De alguns anos pra cá, muitas empresas têm optado por utilizar algum sistema de gestão na nuvem, com o auxílio do cloud computing.

De maneira geral, essa tecnologia permite que dados e sistemas deixem de ficar armazenados em equipamentos, como discos rígidos e outros dispositivos dos usuários, e sejam mantidos em servidores.

Essa característica define, inclusive, vários fatores relacionados à modalidade, como alta escalabilidade e performance. Se você quer conhecer mais sobre a computação em nuvem e suas principais vantagens, continue a leitura!

O que é o cloud computing

Também chamada de computação em nuvem, o cloud computing pode ser definido como execução de sistemas, soluções de TI e armazenamento de dados em servidores.

Isso inclui (mas não se limita a) ferramentas de big data, aprendizado de máquina, sistemas de gestão integrada e backup. Dessa forma, é possível gerenciar vários serviços em uma plataforma unificada, flexível e escalável.

Quais são os tipos de infraestrutura da computação em nuvem

Hoje, a computação na nuvem podem ser adquirida em três tipos de infraestrutura. São elas:

IaaS (Infrastructure as a Service)

Sigla para Infrastructure as a Service (ou Infraestrutura como Serviço, em português), o IaaS é um modelo de negócios no qual a empresa contrata uma infraestrutura altamente personalizável para uso interno.

Nesse caso, os recursos disponíveis serão como um servidor dedicado, mas disponibilizado via máquinas virtuais gerenciadas pelo negócio. Assim, a companhia contará com um ambiente para execução de seus sistemas internos de acordo com a sua necessidade.

Guia de Gestão Estratégia

PaaS (Platform as a Service)

Também conhecido como Plataforma Como Serviço, o PaaS (Platform as a Service) é o modelo de computação em nuvem no qual o usuário paga pelo uso de uma plataforma digital personalizada com softwares pré-instalados.

Consequentemente, a empresa contará com serviços sob demanda, gerenciados por terceiros de acordo com as suas necessidades.

SaaS (Software as a Service)

Um dos modelos de negócio mais tradicionais da área, o SaaS (Software as a Service, ou Software Como um Serviço, em tradução direta) é o tipo de nuvem em que a companhia, ou usuário, contrata uma ferramenta para uso por meio de assinaturas.

Esse é o caso, por exemplo, de suítes de aplicativos como Microsoft Office 365 e G Suite. Ambas permitem o acesso via web, em apps mobile ou localmente (no caso do MS Office 365 em ambientes desktop e no G Suite apenas via Chrome OS).

Por se tratar de um modelo focado no licenciamento de softwares, o SaaS tornou-se popular rapidamente. Companhias conseguiram reduzir custos de licenciamento de ferramentas e, ao mesmo tempo, obter acesso a updates e novas funções com agilidade.

Além disso, equipes tornaram-se mais móveis e capazes de atender a um número amplo de clientes.

6 vantagens de ter um sistema de gestão na nuvem

O investimento na computação em nuvem traz várias vantagens para uma empresa. Escalabilidade, segurança e performance são alguns dos itens mais populares. Entre os 6 principais, podemos destacar:

1. Ganho de mobilidade

Na medida em que dados e sistemas ficam armazenados fora do computador pessoal, é possível ter acesso a eles por meio de outras máquinas, de smartphones ou de tablets. Basta uma conexão com a internet para garantir o acesso.

Isso significa que caso o seu computador sofra danos, ou você não esteja com ele em um momento importante, as informações possivelmente necessárias não ficarão inacessíveis, já que estarão seguras e disponíveis online.

Isso pode ser visto como um fator estratégico. O suporte a clientes passa a ser feito com dados precisos e maior agilidade. Como consequência, a empresa mantém-se competitiva mesmo em momentos de crise.

Outra vantagem é que rotinas de home office são adotadas sem perda de produtividade. Por trazerem mais flexibilidade, a companhia será capaz de reduzir custos e manter rotinas funcionais mesmo quando colaboradores estiverem longe do ambiente corporativo.

2. Melhora dos indicadores de produtividade

Para as empresas, os sistemas de gestão na nuvem, como o eGestor, têm se mostrado um ótimo negócio, pois a disponibilidade dos dados a partir da internet tem aumentado a comunicação interna e a produtividade.

Essa tecnologia é muito útil para aquelas que possuem equipes geograficamente distantes, que viajam constantemente a trabalho ou que flexibilizam os locais de serviço, permitindo aos seus funcionários a modalidade home office.

Com o sistema de gestão na nuvem, os funcionários conseguem acessar os dados da empresa, atualizar relatórios, produzir informações e compartilhá-las em tempo real.

Um mesmo documento pode ser visualizado e editado por várias pessoas. Tudo isso diretamente via web, com alta performance e segurança.

A manutenção de aplicativos na nuvem também criará um espaço de trabalho integrado. Isso será crucial para que a companhia mantenha o seu índice de produtividade elevado.

Não se esqueça de que em um ambiente com alta colaboração, profissionais atuam com maior agilidade e segurança.

3. Ampliação da segurança de usuários

Está enganado quem pensa que pelo fato de os dados da empresa não estarem armazenados em HDs internos, corre-se maior risco de perder as informações ou tê-las invadidas por terceiros.

Sistemas na nuvem se mostram seguros por uma série de fatores. Os provedores de cloud computing utilizam padrões internacionais de segurança, como criptografia avançada, SSL, ISO, dentre outros. Sendo assim, as chances de invasões e perdas de dados confidenciais são praticamente nulas.

Outro fator está relacionado ao armazenamento de dados e arquivos. Enquanto empresas fazem backups de modo tradicional, demorando horas para realizar as cópias, esse processo é automático no sistema de nuvem, através do espelhamento de servidores.

Assim, não é possível perder os dados, pois, caso aconteça algum erro, eles estarão disponíveis em outro servidor.

Se a empresa optar por migrar algum legacy software para a nuvem, a capacidade de tais aplicações lidarem com dados de terceiros em segurança será ampliada.

Vulnerabilidades dos dispositivos utilizados pelos usuários não afetarão a execução da ferramenta. Dessa forma, o risco de registros serem expostos a terceiros é bastante reduzido.

4. Sistemas constantemente atualizados

Nos sistemas tradicionais, é necessário o suporte de uma equipe de TI para fazer a atualização e otimizar o funcionamento dos softwares escolhidos para a gestão da empresa. O atendimento é individual, custa caro e pode demorar a ser realizado.

Por isso, o sistema na nuvem se torna uma ótima ferramenta para as pequenas e médias empresas. Ele evita que a sua companhia gaste tempo e dinheiro com essa tarefa, permitindo possíveis investimentos em outras áreas e novas ferramentas.

Sempre que uma nova versão dos sistemas contratados for disponibilizada, a sua distribuição será feita em passos simples. Todos os profissionais terão acesso rápido a novas funcionalidades e correções de bugs ou vulnerabilidades de segurança. Isso levará a um ambiente de TI com alta performance e confiabilidade.

5. Melhora na escalabilidade operacional

A escalabilidade operacional é a capacidade de a empresa manejar os seus recursos conforme a oscilação da demanda por serviços.

Com a computação em nuvem, os serviços de TI podem ter o seu desempenho modificado a qualquer momento, garantindo que todos os usuários consigam trabalhar sem gargalos operacionais.

Bastam alguns cliques para que o gestor de TI modifique as soluções contratadas pelo empreendimento.

Esse fator também influenciará o planejamento de médio e longo prazo da empresa. A estratégia de investimento será baseada na capacidade da companhia de poupar recursos financeiros por meio de uma infraestrutura mais compacta e adaptada às necessidades do negócio.

Como consequência, ferramentas inovadoras e com alto retorno financeiro passam a ser utilizadas com facilidade.

6. Simplificação dos processos de gestão

A simplificação dos processos de gestão pode ser fundamental para que a companhia tire o máximo de proveito da computação em nuvem.

Com a migração das ferramentas de TI para ambientes de cloud, técnicos e analistas vão poder configurar soluções em uma plataforma centralizada. Já as rotinas de backup são executadas automaticamente, por meio de processos automatizados.

Junto com o monitoramento automático de recursos, tais fatores contribuem para uma grande melhoria nas rotinas de gestão do negócio.

A empresa passa a poder definir estratégias com maior foco nas demandas dos usuários, tendo em vista que os técnicos investirão menos tempo na resolução de problemas e em rotinas preventivas. Ao mesmo tempo, projetos críticos (como a adoção de novos sistemas) ganharão agilidade e performance.

A computação em nuvem é uma tecnologia inovadora, que tem otimizado serviços e a capacidade de empreendimentos atenderem ao seu público-alvo.

Ferramentas tornam-se escaláveis, ganham segurança e performance. Profissionais podem ter uma rotina de trabalho flexível e com grande mobilidade.

Isso garante uma prestação de serviços continuada e direcionada às demandas de clientes e parceiros comerciais. Como consequência, a companhia se destacará no mercado pelos serviços de alta qualidade.

E você? Tem alguma experiência com esses sistemas de armazenamento na nuvem? Pode ser até que já utilize algum sem saber: Google DriveDropbox e 4Shared são os exemplos mais comuns.

Já pensou em optar por algum ainda mais sofisticado para a sua empresa? Então entre em contato com um de nossos especialistas e descubra quais são as melhores soluções para migrar para a nuvem, de acordo com o perfil do seu negócio!

Conheça o eGestor, um sistema de gestão na nuvem para empresas. Controle de Estoque, Vendas, Financeiro e Nota Fiscal Eletrônica.

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em http://www.egestor.com.br