plano de negocios

Um plano de negócios é crucial para o crescimento e sucesso da sua empresa. Além de um documento importante para toda a gestão, ele descreve todos os objetivos e caminhos a serem seguidos pela sua equipe, além de reduzir riscos. Considera, ainda, mercado, estratégias e gestão financeira.

Tudo precisa ser planejado com cuidado para que funcione bem, assim como planejamos uma casa, uma festa ou qualquer outra ação mais elaborada. Pular a etapa do plano de negócio só fará com que você corra riscos desnecessários e fique perdido em situações mais complexas.

Segundo o guia de elaboração do plano de negócios do Sebrae, a primeira etapa é o sumário executivo, ou seja, um resumo do plano. Com introdução e justificativa você inicia o plano, inserindo informações como: principais pontos do plano, dados dos empreendedores, experiências, dados do empreendimento, missão, setores, forma jurídica, enquadramento tributário, capital social e fonte de recursos.

Principais pontos:

Aqui é necessário descrever, praticamente apresentar o seu negócio. Por isso, você insere informações como quais os produtos ou serviços comercializados, principais clientes, retorno de capital investido, localização da empresa, montante investido, faturamento, lucro esperado e demais informações pertinentes.

Dados sobre os executivos

Os responsáveis pela administração também precisam ser apresentados. Dessa maneira coloca-se seus conhecimentos, experiências, habilidades, como em um currículo.

Empreendimento

O empreendimento deve ser descrito com inscrição do CNPJ, por exemplo, bem como a missão da empresa, razão de existência, valores, descrição de público, importância social para empregados, fornecedores, comunidade, sócios, etc.

Setores

A sua empresa responde a algum setor de atuação que impacta a economia de tal setor. Ela pode ser do setor agropecuário, indústria, comércio ou prestação de serviços.

Forma jurídica

A empresa precisa existir formalmente, de acordo com as leis, bem como para ter relação jurídica com outras instituições. Analise quais são as possibilidades:

  • Microempreendedor individual: alguém que trabalha sozinho e se torna pequeno empresário, a partir de inscrição feita no site: http://www.portaldoempreendedor.gov.br.
  • Empresário individual: pessoa física que faz alguma atividade organizada para circulação de serviços ou bens.
  • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada: constituída por única pessoa, dono do capital social.
  • Sociedade limitada: composta por, no mínimo, dois sócios sejam pessoas físicas ou jurídicas. Tem responsabilidade de acordo com cada cota equivalente.

Guia de Gestão Estratégia

Enquadramento tributário

As empresas que optam pelo Simples Nacional se beneficiam com a redução e simplificação de tributos, bem como recolhimento de imposto único.

O ME, perante a lei, é a pessoa jurídica com receita bruta anual menor que R$ 360 mil. Entre R$ 360 mil a R$ 3,6 milhões se torna Empresa de Pequeno Porte. Para esses dois casos, o Simples Nacional abrange os seguintes tributos: CSLL, PIS/PASEP, IRPJ, COFINS, ICMS, ISS, IPI e Contribuição para a Seguridade Social Patronal.

Já o MEI, que opta pelo Simples Nacional, tem que ter renda bruta anual de até R$ 60 mil. Não pode ter empregados tampouco ser sócio ou titular de outra empresa.

Capital social

Nesta etapa, é necessário descrever todos os recursos usados para a criação e montagem do negócio. Pode ser desde dinheiro, a ferramentas e equipamentos.

Fonte de recursos

Descrição de como são obtidos os recursos para a empresa ser implantada. Podem ser seus recursos, de terceiros ou de ambos.

Análise de mercado

Você precisa conhecer e colocar o seu cliente no plano de negócios, afinal são eles que determinam a sua empresa. Por isso, a descrição do público-alvo é crucial. Insira no seu plano informações como faixa etária, trabalho, onde moram, sexo, tamanho da família, renda, escolaridade, etc. No caso das pessoas jurídicas descreva o ramo de atuação, número de empregados, tipo de produtos oferecidos, tempo de mercado, capacidade de pagamento, número de filiais, imagem de mercado, etc.

Estudo de concorrentes

Conhecer a concorrência também é necessário. Você aprenderá em que pode mudar, o que você pode oferecer de diferencial para o seu cliente, entre outras informações pertinentes. Fazer comparativos também é útil nessa etapa.

Estudo dos fornecedores

Aqui é preciso expor todas as pessoas e empresas que fornecem equipamentos, matérias-primas e outros itens para fabricação e venda de um serviço ou de um produto. O cadastro atualizado de cada um é crucial para resolução rápida de possíveis problemas e também para realização de pesquisa de preços e orçamentos.

Plano de marketing

De extrema importância, este plano descreve os principais itens comercializados seja, produto ou serviço. Toda a descrição de cor, tamanho, modelo, etc, precisa estar presente.

Um plano de negócios bem feito garante o sucesso do seu negócio. Vale lembrar que ele pode ser revisitado e modificado de acordo com as necessidades, além disso, todos esses pontos se modificam, por isso a atualização é importante.

Para facilitar a elaboração, você pode usar softwares gratuitos, além de consultar e-books interessantes sobre o tema para guiar a produção. Ler outros planos ou livros que tratam do tema de maneira didática também pode te ajudar.

Antes de iniciar a produção, colha todas as informações necessárias para não ficar parando e retomando a escrita. Isso faz o trabalho não render.

Seguindo esses passos, você terá um plano de negócios bem estruturado e de acordo com mercado atual.

Conheça o eGestor, um software online para gestão de micro e pequenas empresas.

 

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em http://www.egestor.com.br