Mesmo em cenários econômicos não tão favoráveis, abrir uma loja de vestuários e acessórios ainda se destaca como um empreendimento extremamente viável.

Afinal, roupas são itens de primeira necessidade; a todo o tempo as pessoas precisarão se vestir, e vão querer acessórios para acompanhar suas aquisições. O que vai variar é o valor das peças, e o volume e frequência das compras, independentemente de qual seja a condição financeira dos clientes.

Além disso, a diversificação também é um outro atrativo para os que desejarem empreender nessa área, pois são muitas as possibilidades na hora de compor o mix de produtos a ser oferecido aos clientes.

Então, pensando em todos esses fatores, preparamos este post com 6 dicas especiais para você que quer abrir uma loja de vestuários e acessórios. Interessado? Continue lendo e confira!

1. Você tem perfil empreendedor?

Você já teve alguma experiência anterior conduzindo seu próprio negócio? Vai gerenciar sua loja sozinho ou vai ter sócios? Está preparado para tomar decisões importantes rotineiramente? E para lidar com as consequências dessas decisões?

Essas perguntas podem ser determinantes para o sucesso do seu projeto, portanto, é preciso ter muita clareza nesse momento. Gaste o tempo que precisar para sentir segurança minimamente para dar os primeiros passos.

Muitas coisas não podem ser previstas quando se decide empreender, e, se esperarmos por um momento em que estejamos completamente prontos, isso nunca vai chegar. Até porque muitas habilidades serão construídas quando você já estiver em atividade.

Nesse sentido, outra pergunta que você se deve fazer é “tenho o perfil para atuar especificamente no setor de vestuários e acessórios?”. Trata-se, afinal, de um mercado influenciado por variações de tendências, inovações de materiais, modelos e outros — o que exige muito dinamismo.

2. Vai vender para quem?

Diferentes públicos consomem de forma diferente; vender roupas de festa para crianças é totalmente distinto de vender moda praia, por exemplo. Portanto, mais importante ainda do que “o que” você vai vender, é necessário pensar em “para quem” você oferecerá os seus produtos.

Qual é a faixa etária com que você gostaria de trabalhar? Qual é o perfil do público que você gostaria de atender? Qual é o nível socioeconômico da sua clientela? Estabeleça seus critérios: a idade média, o segmento, o gênero. Pense em quem você gostaria de atender para começar a pensar no seu mix de produtos.

E esse tipo de pergunta deve ser feito antes, pois vai impactar, inclusive, na escolha do local da sua loja. Afinal, as chances de você ser mais bem-sucedido alugando ou vendendo vestidos de festa, por exemplo, será maior ou menor dependendo do local da cidade onde você decidir atuar.

3. Onde você vai vender?

Como já adiantamos, a escolha do local é uma das mais importantes, pois impacta diretamente os custos que você vai ter dificuldade de reduzir uma vez estabelecida sua loja: os custos fixos. Falaremos mais disso em seguida. Agora, o que precisa ficar claro é que você deve procurar sempre o melhor custo-benefício na hora de escolher onde se estabelecer.

Por isso, procure não se precipitar, e use o tempo que achar necessário. São muitas as variáveis que você deve observar. A primeira, talvez, deva ser qual a região da sua cidade é a mais favorável para o tipo de produto que você decidiu vender.

Pode até ser mais fácil vender próximo a outras lojas do segmento do que numa região onde não haja concorrência; em contrapartida, o seu público-alvo talvez não tenha o hábito de procurar o que precisa naquela região.

Assim, o perfil dos das pessoas que circula no lugar, a segurança, o volume local de carros, se o acesso é fácil: tudo isso deve ser levado em consideração. E pense também — ainda que a título de esboço — no layout que você quer para a sua loja, considerando sempre a experiência do cliente.

Isso porque fica muito mais fácil (e barato) acomodar suas expectativas ao espaço do que o contrário. E não se esqueça da regra de ouro, quando se fala em procurar um local para sua loja: procure estar próximo do seu público, e não de qualquer público.

Ebook Crescimento Empresarial

4. Quem são seus concorrentes?

Quais são os lojistas que oferecem um mix de produtos parecido com o seu? Quantos são eles? Quanto costumam vender? Visite a região onde pretende instalar sua loja em dias e horários diferentes, e procure entender os padrões de consumo da região.

Se possível, converse com funcionários e até ex-funcionários dos seus concorrentes — quanto mais informações você reunir, melhor. E quanto mais decisões você tomar apoiado por informação de qualidade, menor é a probabilidade de você ter maus resultados.

Assim, busque também por pesquisas de mercado sobre o segmento em que pretende atuar. Nem todo empreendedor iniciante tem dinheiro para encomendar um estudo de viabilidade, mas você ainda pode consultar outras informações referentes ao seu mercado gratuitamente, na internet.

Lembre-se: devemos nos apropriar de todas as ferramentas que pudermos, e, se forem gratuitas, melhor ainda.

Outra coisa que você deve fazer é listar — da forma mais sincera possível — as vantagens e desvantagens dos seus concorrentes e, depois, listar quais são as vantagens e desvantagens que você enxerga no seu próprio negócio. De novo: tente ser o mais racional e sincero possível.

5. Qual é o seu planejamento de finanças ao abrir uma loja de vestuários e acessórios?

Depois de definir qual será o eu segmento de mercado, o seu mix de produtos e região da cidade em que pretende atuar, é hora de orçar quanto vai custar para realizar seu empreendimento. Para isso, levante primeiro os custos fixos.

Aluguel, água, energia, internet e telefonia são os principais componentes dessa categoria de custos que vai lhe acompanhar mensalmente. E você deve prestar muita atenção, pois não é fácil reduzir custos fixos. Portanto, tente conseguir a maior economia possível na hora de se estabelecer.

Outros custos referentes ao início da atividade da sua loja serão os relacionados ao mobiliário, equipamentos, seu estoque inicial e um sistema de gestão empresarial. Estabeleça sua estratégia de divulgação também nessa fase, e já inclua os custos no seu planejamento.

Além disso, se não tiver dinheiro para colocar o empreendimento em funcionamento, você provavelmente terá que recorrer a linhas de crédito. Nesse caso, deve acrescentar ao seu planejamento uma projeção de quanto tempo você levará para pagar o empréstimo, para saber se consegue realizar a quitação e ainda manter sua loja funcionando.

Uma opção de empreendimento que costuma ter mais facilidades na hora de aprovação de crédito são as franquias. Outra possibilidade, caso você não disponha de um capital inicial muito grande, é montar uma loja online.

6. Monte seu time

Por fim, invista em uma equipe qualificada. Num primeiro momento, investir em pessoas com experiência em vendas especificamente no seu segmento pode ser uma boa estratégia — afinal, vendedores costumam trazer consigo bons clientes.

Tomando essa precaução, você acaba se cercando de pessoas que já têm um engajamento com o projeto e cuja experiência profissional pode se tornar um diferencial competitivo extremamente importante para uma empresa iniciante.

Enfim, como você pode ver, são muitas as variáveis a considerar na hora de abrir uma loja de vestuários e acessórios. Portanto, tenha sempre em mente que ter informação de qualidade ao seu dispor pode significar a diferença entre o seu sucesso e seu o fracasso!

E aí, gostou das dicas que separamos para você? Agora, aproveite para ler um pouco mais sobre o assunto e entenda tudo sobre marketing para micro e pequenas empresas!

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em http://www.egestor.com.br