Abrir uma empresa online: entenda todos os passos

Graças à internet, muitos processos burocráticos estão ficando mais simples, em função da facilidade dos serviços de modo online. E, por isso, muitos negócios estão sendo criados de forma totalmente online. Isso, porque o processo de abrir uma empresa online reduz muito os gastos. 

Entre esses gastos, são reduzidos, principalmente, os gastos para dar entrada em um CNPJ de forma presencial. Contudo, é necessário que o empresário tenha um bom planejamento. Esse planejamento precisa ser desde o início de abrir uma empresa online, até a venda dos produtos. Por isso, é essencial que ele se atente a alguns pontos que poderão fazer uma enorme diferença no sucesso do seu negócio no mundo virtual. 

Abrir uma empresa completamente online

Há alguns anos, abrir uma empresa online não era nem algo cogitado. Muitas pessoas possuíam receio de fazer esse tipo de compra de forma eletrônica, até porque não se tinha conhecimento sobre. 

Mas, hoje, uma grande parcela da população mundial realiza esse tipo de compra. E isso inclui tanto compras nacionais como internacionais.

No exterior, tudo começou com os marketplaces, principalmente a Amazon e o eBay. Ainda anteriores a lojas próprias online, pessoas físicas faziam um cadastro e vendiam itens pessoais. Com o tempo, foram criadas lojas e pessoas jurídicas começaram a comercializar seus produtos por lá.

Dessa forma, a parte da população que tinha interesse nesse tipo de transação, mas ainda estava receosa, foi criando mais segurança. E hoje, até o processo de abrir uma empresa é feito de forma eletrônica.

Passo a passo para abrir uma empresa online

Engana-se quem pensa que abrir uma empresa online não requer planejamento. É justamente o contrário. Um empreendimento na internet precisa ser pensado com atenção e com foco nas estratégias adequadas a cada tipo de organização.

É essencial que as ações sejam efetuadas de forma correta e no momento exato,  só assim haverá o êxito comercial. Logo, é comum que surjam dúvidas neste momento.

Então, foi pensando nisso, que preparamos este conteúdo, que oferece um passo a passo para que você, empreendedor, saiba fazer a coisa certa para garantir o êxito do seu empreendimento.

1. Definir o público-alvo e a categoria do negócio

O primeiro passo para abrir uma empresa online precisa ser a definição de quem serão as pessoas atendidas pela sua organização. Afinal, quando se foca em muitos tipos de personas, é praticamente inevitável que uma parcela desse público saia insatisfeita.

E, até por uma questão de orçamento, é fundamental que haja um objetivo claro daquilo que será vendido.

Ou seja, se o lojista decide oferecer diversos produtos sem antes realizar uma pesquisa de mercado e/ou um estudo da concorrência — para entender os diferenciais e o valor cobrado pelos concorrentes — é bem possível que sua empresa se perca em meio a tantos gastos que podem não ter retorno.

2. Plano de negócio para abrir uma empresa online

O plano de negócio é uma etapa vital de qualquer empreendimento. Neste documento, o empresário vai levantar quais os produtos ofertados; quanto será preciso investir para chegar a determinado objetivo; e de que forma serão feitas cada etapa, desde a oferta do produto até o feedback do cliente.

É uma espécie do “coração” da empresa, e faz parte do planejamento. Sua principal finalidade é prevenir gastos desnecessários e assim evitar prejuízos.

3. Abrir uma empresa

Depois de ter definir o público-alvo e os produtos, é hora de organizar os documentos para abertura do CNPJ.

Nesse momento, é importante a ajuda de um contador. Com essa ajuda, a empresa será enquadrada no regime de tributos mais adequado à sua realidade fiscal. Todavia, existem duas categorias de empresa que os empreendedores costumam se cadastrar. São elas:

  • Microempresa (ME): A ME admite o faturamento de até R$ 360 mil por ano. No entanto, há a obrigação de se contratar um contador, e além disso, é preciso que o contrato social seja apresentado à Junta Comercial;
  • Microempreendedor Individual (MEI): O MEI configura é uma empresa simplificada que possui apenas um funcionário: o empresário. A MEI tem diversas facilidades, destacando-se a diminuição dos tributos pagos à Receita Federal, por ser um CNPJ pertencente ao regime do Simples Nacional. Contudo, esse tipo de empresa só pode ter um faturamento anual de R$ 81 mil.

Hoje, para a abertura da Microempresa (ME), já existem escritórios de contabilidade que fazem o contrato social e a entrega dos documentos de forma digital e gratuita.

No caso da MEI, o próprio solicitante pode acessar o Portal do Empreendedor e solicitar a abertura do CNPJ, de forma rápida e online. Você precisará inserir informações como:

  • nome fantasia da instituição;
  • capital investido;
  • tipo de atividade (CNAEs);
  • endereço do estabelecimento (que pode ser a própria residência);
  • entre outros dados, como um e-mail ativo e um número de telefone.

Depois, será necessário apenas dirigir-se à prefeitura e/ou Sebrae local para entregar alguns documentos. Assim, o alvará de funcionamento será emitido e consequentemente, será possível a emissão de notas fiscais.

4. Criar um site ou escolher uma plataforma

Depois de abrir uma empresa online, é imprescindível que a mesma possua um site. Nesse site deve estar sua loja virtual.

Há diversas plataformas que oferecem um domínio (URL exclusivo com o nome da sua empresa) para as lojas virtuais. Porém, aqui são necessários alguns gastos como a hospedagem do site.

Todavia, uma ótima opção é a utilização de plataformas gratuitas de venda coletiva. Essas são os chamados Marketplaces, como o Mercado Livre.

É importante acentuar que, apesar de não haver a necessidade de gastos com mobílias para colocar os produtos como numa loja física, isso não dispensa o cuidado que o vendedor precisa ter com a disponibilização das mercadorias na sua loja virtual.

Portanto, capriche bem na descrição das peças. Tenha fotos e vídeos com uma boa qualidade. Além disso, tente descrever o produto da melhor maneira possível, com todas suas características. Dessa forma, se oferece o maior número de informações sobre cada item.

5. Ações de Marketing

Após criar um site e disponibilizar os produtos, é hora de investir (e muito) na propaganda. Aqui, valem diversos artifícios, como:

  • Redes sociais: é interessante a criação de uma página da empresa no Facebook e Instagram. Assim, o público conhece sua instituição e seus produtos de uma forma mais simples. Isso, sem contar que essas são ferramentas excelentes de contato direto com o público do seu negócio;
  • Marketing de Conteúdo: diferente da propaganda tradicional, o marketing de conteúdo vem ganhando mais força. Isso, porque o processo de transformação de visitantes do seu site/blog ou rede social em clientes é feito de forma gratuita;
  • Anúncios Pagos: a divulgação em redes sociais como o Facebook Ads, Instagram Ads e o próprio Google, ainda é uma estratégia bastante utilizada. É a partir deles que publicações que ficam no topo dessas plataformas. Isto é, com chances dobradas de serem vistas por um maior número de pessoas.

Como visto, não há uma receita pronta sobre qual a melhor estratégia de propaganda. Isso vai depender da finalidade e dos objetivos de cada empresário a curto e longo prazo.

6. Gestão do negócio

Depois de a empresa obter êxito no seu nicho de atuação, é preciso manter esses ganhos. Assim, se garante a estabilidade do empreendimento e o crescimento da marca.

Entre essas ações, estão as formas de pagamento. Podemos citar algumas delas: cartão de crédito, boleto bancário e a intermediação de financeiras, como o MercadoPago, PagSeguro e Paypal. Essas plataformas facilitam o pagamento, pois geralmente são integradas ao site do negócio.

Os canais de atendimento também são outro fator essencial à credibilidade da marca. Portanto, ofereça um atendimento de qualidade, seja através de e-mails, redes sociais e/ou através de um chat no próprio site da sua empresa.

Mais que vender e entregar os produtos, é vital manter uma boa relação com seus clientes, de forma que sua empresa passe uma imagem séria e comprometida.

Gestão do estoque e logística

Outro ponto fundamental a se levar em conta, é o envio dos produtos, o qual geralmente é feito pelos Correios. Porém, quando há um alto número de entregas, é viável que a instituição conte com uma empresa parceira, que ofereça a logística de envio.

Em alguns casos, como forma de agilizar o recebimento das mercadorias, os lojistas contam com as transportadoras.

Também, é necessário ter uma atenção completa ao estoque do seu negócio. Por não se ser feita uma exposição física, pode-se pensar que não é necessário ter um estoque tão grande. Mas, tudo deve ser avaliado.

Coloque-se no lugar do seu cliente. Quando ele compra um produto e tem um prazo estipulado, ele espera receber neste período. Caso isso não aconteça por problemas de estoque, você está falhando com o seu cliente.

Considerações finais

Abrir um negócio do zero, e principalmente de forma rápida e online, não é mais um sonho e sim uma realidade. Graças ao avanço da tecnologia e da simplificação dos processos burocráticos o processo de abrir uma empresa online se torna cada vez mais simples. 

Como vimos, abrir uma loja online e oferecer seus produtos é uma possibilidade real, desde que o empreendedor tenha um objetivo claro e saiba executar um planejamento com base na realidade do seu empreendimento e do capital a ser investido.

Por tudo isso, apostar em um sistema de gestão empresarial também é essencial para a manutenção do seu negócio, de maneira que os ganhos sejam mantidos e haja o controle de todos os processos financeiros e fiscais.

eGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas - abrir uma empresa online

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br