Como definir a cultura organizacional de pequenas e médias empresas?

Todo humano nasce com uma personalidade própria, que define o modo como ele interage com o mundo e consigo mesmo. Da mesma forma, toda empresa possui características exclusivas que direcionam seus serviços e a distinguem de outras organizações. Porém, para que essa identidade seja marcante perante o mundo corporativo, a instituição precisa saber definir sua cultura organizacional.

Mas o que isso significa? Como sua empresa pode criar uma cultura organizacional sólida? Preparamos este artigo justamente para responder a essas questões. Então continue lendo e tire todas as suas dúvidas sobre esse assunto!

Afinal, o que é cultura organizacional?

A definição de cultura organizacional é bem ampla, mas pode ser resumida em um conjunto de fatores, como crenças, costumes e valores que permeiam o ambiente interno da empresa.

E tal comportamento, portanto, rege a forma como as demandas da instituição são executadas, o modo como os colaboradores se relacionam e a imagem da companhia perante a sociedade empreendedora.

Sendo assim, é inevitável que uma empresa determine sua cultura organizacional para que consiga, entre outras coisas, alinhar seus profissionais com os objetivos do negócio, possuir uma forte política interna e seguir uma estratégia assertiva.

Aliás, esse é o segredo das corporações de sucesso, como a Google. De acordo com o livro “Como o Google funciona” — de Alan Eagle, diretor de comunicação da Google — a cultura organizacional da instituição é voltada para a livre colaboração dos funcionários.

Por isso, todos os colaboradores — do estagiário ao presidente – trabalham no mesmo salão. Além disso, segundo Alan Eagle, esse ambiente interno integrado aumenta a produtividade, a criatividade e um fluxo espontâneo de ideias entre toda a equipe.

Em suma, esse é um dos motivos pelos quais a empresa ocupa a primeira posição no ranking celebre da GTPW — great place to work.

Então, você tem alguma dúvida de que a cultura organizacional da Google a está tornando bem-sucedida no mundo corporativo?

Quais são as principais características das culturas organizacionais?

Mas, será que é possível uma companhia de pequeno ou médio porte possuir uma identidade tão forte como a gigante Google? Sim, é possível! Mas, para isso, será necessário entender alguns fatores que compõem uma cultura interna vigorosa. Vejamos quais são:

1. Inovação

Empresas inovadoras incentivam seus colaboradores a assumir riscos por buscarem novas maneiras de realizar seus serviços. E, por isso, fomentam a sua criatividade.

Assim, no atual cenário empresarial, é fundamental que a inovação esteja entre os pilares da cultura interna de uma organização.

Por outro lado, companhias que treinam seus funcionários a realizar serviços sempre da mesma forma tendem a ficar estagnadas e obsoletas, e logo desaparecem do cenário corporativo.

2. Agressividade

Algumas organizações consideram a agressividade um item primordial em seu ambiente interno. Por isso, são empresas altamente competitivas, e desejam que os seus colaboradores também o sejam.

Dessa forma, essas empresas esperam conquistar uma fatia cada vez maior do mercado em que atuam. E, uma vez que buscam superar a concorrência a todo o momento, suas estratégias são assertivas.

3. Orientação para resultados

No mundo corporativo. há companhias que focam apenas nos resultados — como, por exemplo, aumentar as vendas de um determinado produto.

Por outro lado, as instituições que se preocupam com sua cultura organizacional investem no processo que levará ao seu principal objetivo.

Para isso, buscam definir suas estratégias, treinar os colaboradores, melhorar a qualidade de produtos e serviços e construir um excelente relacionamento com clientes, fornecedores e parceiros da companhia.

Guia de Otimização de Processos

4. Direcionamento da equipe interna

Um item muito importante para o fortalecimento da identidade interna da empresa é manter toda a equipe bem orientada sobre os alvos da instituição.

E, para atingir esse objetivo, as companhias oferecem conselhos, sugestões e treinamento para seus colaboradores.

Logo, quando essa prática se torna habitual, o engajamento dos funcionários com a cultura organizacional é maior, pois eles se sentem cuidados e valorizados pela empresa.

5. Valorizar os detalhes

Empresas que cuidam dos detalhes de suas demandas internas também são muito bem-vistas por funcionários e por outras organizações. Afinal, dar atenção a pormenores que, geralmente, passam despercebidos significa zelo e responsabilidade.

Algumas companhias, por exemplo, dão uma recepção de boas vindas para recém-admitidos com cartões fixados por toda a mesa onde o novato trabalhará. Além disso, entregam um kit com itens personalizados de acordo com as peculiaridades do trabalhador.

É um detalhe simples, não acha? Mas imagine o impacto que essa atitude terá no novo colaborador! Com certeza, assim será mais fácil ele se adequar a cultura interna da instituição.

Como uma empresa pode definir sua cultura interna?

Para a elaboração da cultura organizacional, é preciso reunir a alta administração da empresa e discutir sobre quais são os objetivos da companhia. Nesse encontro, será preciso conversar sobre quais valores internos são compatíveis com a meta da organização.

Por exemplo: se o alvo da empresa é atrair novos talentos profissionais, então o ambiente interno terá de deixar os colaboradores encantados com a instituição.

E, para isso, talvez seja preciso criar uma política de benefícios e recompensas, ou investir na capacitação desses trabalhadores. De modo que os funcionários, ao se tornarem fãs da companhia em que trabalham, espalharão sua satisfação aos quatro ventos.

Como consequência, a visibilidade do negócio perante o mundo corporativo aumenta, e mais talentos profissionais serão atraídos por esse brilho.

O passo dois é deixar bem claro para toda a equipe interna as diretrizes que regerão a cultura organizacional. Isso pode ser feito por meio de palestras, treinamentos ou até simples encontros agendados previamente.

Digamos que a organização definiu que a boa comunicação interna fará parte da identidade da companhia. Assim, a fim de promover essa interação, a alta gestão decidiu que um dia por semana haverá um happy hour perto do fim do expediente.

Nesse caso, para que os funcionários entendam o objetivo desses eventos semanais, os gestores precisarão explicar isso. Então, o happy hour será apenas um símbolo de uma prática — a boa comunicação — que, aos poucos, permeará todos os tratos entre as equipes.

Por fim, solidifique a cultura organizacional. Não pense que, uma vez definidos os valores da companhia, seus efeitos serão perpétuos. Na verdade, é essencial que toda a empresa continue a ser lembrada dos preceitos culturais da instituição.

Além disso, novas ideias para manter aceso o fogo da identidade da organização devem ser implantadas. Então, com o tempo, a essência da empresa ficará tão forte que bastará olhar para o logotipo da marca para que todos saibam dizer o que há por detrás dele!

E aí, o que achou do nosso artigo? Com essas dicas, ficou mais fácil de definir a cultura organizacional da sua empresa, não é? Baixe o nosso e-book sobre gestão estratégica e fique por dentro de mais dicas para aplicar no dia-a-dia de seu negócio!

Guia de Gestão Estratégia

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br