estratégia

Planejar. Você já deve estar cansado de ouvir tanto esta palavra no contexto empresarial, não é mesmo? Mas, você sabe que a importância desta etapa é incomparável e que é graças a ela que muitas organizações obtêm sucesso? A fim de dar aquele empurrãozinho na empresa, neste artigo você encontra informações sobre os três tipos de planejamento essenciais ao negócio: O planejamento estratégico, o tático e o operacional.

Apesar de muito gestor acredita que tudo é uma coisa só, vale destacar que cada etapa deve ser essencialmente desenvolvida com cuidado e atenção a fim de que os objetivos e metas possam se tornar concretos ao término do período avaliado. Acompanhe logo a seguir a definição e os exemplos de cada um dos tipos de planejamento:

O que é planejamento estratégico?

O planejamento estratégico tem por principal objetivo analisar os diversos contextos e cenários. Tanto internos quanto externos, que envolvem e afetam de alguma forma na rotina e nos trabalhos da empresa. O plano estratégico é um instrumento que garante ao gestor avaliar melhor tudo o que se passa dentro do ambiente empresarial. Além disso, a partir dele também é possível abraçar oportunidades e se desvencilhar de potenciais ameaças e riscos.

Em resumo, este documento deve servir para mostrar onde a empresa está e até onde ela quer ir demonstrando ainda os meios para que seja viável atingir os resultados planejados. Para que o planejamento estratégico da empresa seja bastante detalhado determinando o sucesso de todo o empreendimento é importante considerar quais são as etapas deste tipo de plano que, em muitos contextos ficou conhecido como Plano de Negócios.

Veja a seguir alguns dos tópicos que devem ser abordados no planejamento estratégico da sua empresa e não deixe nada de fora desta importante etapa!

Análise dos cenários

Primeiramente, avalie e analise a fundo cada cenário a que sua empresa faz parte. Por exemplo, ela pode ter uma localização física e outra virtual. Os cenários são extremamente diferentes, não é mesmo? Portanto, trabalhe-os de modo diferente também! Neste primeiro passo é importante considerar quem são seus concorrentes diretos e indiretos, destacar o seu público-alvo e as possíveis oportunidades e ameaças vindas do mercado para o seu segmento de atuação.

Definição dos objetivos da organização

Em mãos dos dados e das informações obtidas no passo anterior, é hora de definir quais são os objetivos e metas da empresa. Nesta etapa pode-se considerar tanto questões numéricas quanto de menção.Por exemplo, um objetivo da empresa pode ser o de ser reconhecida como a melhor dentro do seu segmento no mercado local.

Sua meta, entretanto, pode ser aumentar em 30% o lucro líquido e em 10% o número de clientes de cartela. É importante lembrar que esses objetivos definidos devem ser plausíveis. Afinal, de nada adiantar colocar como meta um lucro de R$ 1 milhão de reais se, de fato, a empresa tem apenas a possibilidade de arrecadar R$ 100 mil. Mantenha os pés no chão!

Definição das estratégias a serem utilizadas

Depois de saber o que a empresa espera, é chegado o momento de definir como tais resultados serão alcançados. Quais serão as estratégias postas em prática para que aqueles 30% a mais realmente apareçam no fim do mês? Neste momento é válido levar em consideração tudo aquilo que foi visto até aqui, principalmente no primeiro passo, já que qualquer alteração do mercado pode acabar por impossibilitar o alcance dos objetivos. Também é este o momento de definir as estratégias promocionais e de atração para o público.

Construção do plano de ação

Por fim, não menos importante, a construção do plano de ação deve considerar tudo o que já foi visto e as demais possibilidades, principalmente voltadas a cenários negativos. Qual será a postura da empresa no caso de uma recessão, por exemplo? Quais os diferenciais e “cartas na manga” para se manter conforme as variações da economia? Vale ressaltar por fim que no planejamento estratégico definem-se ainda a missão, a visão e os valores organizacionais sendo estes os três pilares de qualquer negócio.

Guia de Gestão Estratégia

E planejamento tático?

O meio da pirâmide organizacional, o planejamento tático, é justamente o responsável por tornar todas as definições do estratégico uma realidade dentro do dia a dia da empresa. Em geral ele diz respeito a mudanças e implementações de médio prazo. Sua atuação está principalmente voltada a as áreas funcionais do negócio.

Enquanto que no planejamento estratégico formulam-se as receitas, no tático é hora de juntar todos os ingredientes para tirar aquilo que só estava no papel, transformando em uma conduta, ação ou plano. Para uma maior compreensão, observe o seguinte exemplo: Um dos objetivos estabelecidos no primeiro planejamento. Ou seja, o estratégico, pode ter sido “Fechar mais parcerias”.

Apesar de parecer algo bastante claro e simples, para que deixe de ser um objetivo e passe a ser uma realidade é necessário pensar em algumas circunstâncias e possibilidades. É aqui que entra a metodologia 5W2H. Você já ouviu falar nela? Sabe como trabalhá-la em seu ambiente interno?

5W2H

Uma das formas de pôr estratégias em prática tornando-as resultados é a partir desta técnica que se refere a algumas perguntas em inglês e que podem auxiliar a empresa a delimitar o passo a passo do sucesso. Essa lista de verificação deve ser feita com cada um dos objetivos e é fundamental prestar muita atenção a cada uma das respostas. Veja em detalhes quais são essas 7 questões:

  •  What? – O que deve ser feito?
    A primeira e mais simples pergunta para responder, no exemplo que está sendo usado a resposta seria justamente “Fechar mais parcerias”, o pontapé inicial para colocar este objetivo em prática;
  •  Why? – Por que deve ser feito?
    É possível que a empresa tenha notado que fechar um número maior de parcerias é uma oportunidade para o empreendimento ou até mesmo uma necessidade. Seja qual for o caso, saber claramente por que é essencial pôr o objetivo em prática ditará o rumo do planejamento tático;
  • Where? – Onde deve ser feito?
    O objetivo é aplicável a toda a empresa ou apenas alguns departamentos e profissionais participam? Onde é necessário investir e prestar mais atenção? Entre em detalhes;
  •  When? – Quando deve ser feito?
    O planejamento tático trabalha com metas e objetivos a médio prazo, desta forma não tente montar um cronograma para ontem. Seja sucinto e inteligente na hora de definir quando tudo deve sair do papel;
  • Who? – Por quem será feito?
    Fechar mais parcerias requer a contratação de novos profissionais ou alguns determinados podem tocar este objetivo adiante? É preciso que um gestor esteja à frente ou a equipe como um todo poderá rumar para a concretização do objetivo? Questione;
  • How? – Como será feito?
    Desenvolva um cronograma detalhado das tarefas e saiba exatamente quando e como cada etapa acontecerá a fim de ter o objetivo conquistado; 
  • How much? – Quanto custará?
    Por fim, determine o gasto para que a meta seja cumprida. Veja quais materiais e recursos, tanto físicos quanto humanos, serão usados. A partir de então, coloque tudo isso em uma tabela a fim de não ter gastos maiores que os necessários.

Respondidas essas perguntas, você e sua empresa estarão muito mais próximos de conquistar de fato, cada um dos objetivos que foram elencados na etapa estratégica.

Por fim, o que é planejamento operacional?

É chegado o momento de definir o último grupo, a base da pirâmide do planejamento empresarial. O operacional é o hoje e o amanhã. É justamente ele quem faz realmente acontecer algo e confere lucros ou prejuízo aos negócios. As ações são sempre de curto prazo e uma marca registrada desse planejamento é a entrega das metas mensais e individuais, algo que é muito comum no comércio varejista, por exemplo.

Você sabe quanto a sua empresa tem que faturar diariamente a fim de suprir a todas as necessidades de gastos e despesas? Sabe quanto cada funcionário deve trazer de retorno a fim de compensar o pagamento de sua folha salarial? Apesar de parecer questões obvias, muitas empresas passam a pagar para trabalhar por não considerar tais itens como de importância.

Sem saber quanto precisam ganhar mensalmente, deixam passar despercebidos os prejuízos do dia a dia ou ainda acarretam inúmeros dias negativos tornando impossível atingir o valor inicialmente proposto. Baseando-se em absolutamente tudo o que foi tratado nos itens anteriores, no operacional é preciso treinamento e atitude para fazer as coisas acontecerem. De acordo com cada negócio e seu respectivo segmento, será assumida uma postura para lidar com a execução das tarefas.

Vale destacar que nenhuma etapa é autossuficiente. Falhando qualquer uma delas, é comum que os objetivos não sejam alcançados, afinal, a conquista é o resultado de um trabalho minimamente calculado por estes três tipos de planejamento. Mesmo em empresas de pequeno porte é essencial esta estruturação e não tem problema nenhum se uma só pessoa for responsável pela elaboração e estruturação de várias dessas etapas. O importante mesmo é que estas sejam completas e que permitem os resultados satisfatórios tão desejados.

Gostou do conteúdo apresentado por este artigo? Aproveite para compartilhá-lo com seus amigos e colegas!

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor

O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas.
Teste gratuitamente em http://www.egestor.com.br