Entenda quais são os tipos modelos de negócio e quais se encaixam no perfil da sua empresa

Você compreende o que é um modelo de negócios? Além disso, sabe como implementar esse processo na sua empresa? É comum que muitos empreendedores tenham dúvidas quanto à utilização de métricas e de tipos de modelo de negócio a fim de promover o crescimento do seu empreendimento. 

Neste artigo, listamos as dicas mais importantes para você utilizar um plano de negócios de maneira eficaz e, também, compreender essa ferramenta. Com isso, será possível adaptá-lo ao seu empreendimento e, principalmente, obter uma análise sistemática de todos os fatores correlacionados à sua atividade. Confira agora!

O conceito de modelo de negócios

Tudo ser originou na tese proposta pelo autor Alexander Osterwalder, por meio do Business Model Canvas, ou também denominado Canvas de Modelo de Negócio. Nessa perspectiva, Alexander determinou que todo o negócio possa ser visualizado em uma página. 

A diagramação, com o uso de nove quadrantes, permite que sejam incluídas as atividades mais importantes da empresa e, também, ocorra o debate sobre os pontos fracos do negócio. Mas o que esses quadrantes representam? Vamos dispor o que deve ser colocado em cada um deles: 

  • parcerias: alianças estratégicas que podem maximizar as negociações da sua empresa;
  • fontes de receita: todos os recursos obtidos com a venda ou a oferta de serviço da sua atividade-fim;
  • estrutura de custos: os gastos, dos mais variados tipos, que impactam o seu caixa;
  • relacionamento: uma das áreas mais importantes, visto que a proatividade e o contato com os seus clientes são peças fundamentais para a alavancagem orgânica da sua marca;
  • canais de distribuição: a logística também é um dos fatores que impactam o seu negócio. Por isso, é necessário avaliar toda a estrutura de custos e o atendimento dos prazos de entrega;
  • oferta de valor: esse é o aspecto diferencial da sua empresa. Demonstrar os propósitos e os valores da sua marca, em grande parte, com a utilização de campanhas de marketing, pode despertar o interesse por seus serviços/produtos;
  • segmento de clientes: ou seja, a definição do seu nicho de clientes. Por consequência, será possível orientar suas campanhas e seus processos internos direcionados ao seu público-alvo;
  • recursos-chave: corresponde a todas as alternativas de recursos, humanos ou físicos, que compõem o seu negócio;
  • atividades-chave: processos mais importantes para o correto funcionamento harmonioso de todos os setores da sua empresa. É necessário que tais atividades estejam bem definidas e operacionalizadas. 

Modelo X plano de negócios 

A diferença básica reside no fato de que o plano de negócios é um documento mais detalhado, envolvendo o estudo de várias métricas que vão influenciar a sua empresa, a exemplo de análise do mercado, dos concorrentes e a viabilidade financeira.  

Além disso, há o fato de que, na maioria das vezes, o plano é estruturado antes mesmo de haver a concepção do empreendimento. 

Agora que você já conhece os detalhes tanto do plano quanto do modelo de negócios, vamos falar um pouco mais sobre os tipos, observando o que pode se encaixar no perfil da sua empresa. 

Principais tipos de modelo de negócio  

Franquias 

O franchising corresponde à venda da licença de uma marca já existente. Nesse modelo, há dois elementos principais — o franqueador e o franqueado. O franqueador é o proprietário do negócio que já foi estabelecido e possui uma fórmula testada do seu empreendimento, procurando crescer geograficamente para novas regiões. 

Assim, ele oferece o treinamento adequado para que o franqueado replique esse modelo. Por isso, as franquias possuem uma taxa de sucesso maior do que os empreendimentos que começam do zero.

Há inúmeros estabelecimentos que trabalham com essa estratégia. Conforme dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), existem mais de 142 mil franquias em operação no país. 

Modelos disruptivos 

Você, provavelmente, já ouviu falar sobre as startups — termo em inglês para empresas emergentes inovadoras. Ou seja, são aquelas que superam modelos dominantes no mercado. A corporação que utiliza métodos disruptivos procura atender um nicho específico de mercado ou sobrepor práticas já existentes. 

Exemplos não são escassos para ilustrar esse modelo. Por exemplo, o Uber — que conecta motoristas e passageiros a um serviço de “carona remunerada”. Não obstante, há a Netflix, que oferta filmes e séries no serviço de streaming — forma de distribuição de conteúdo digital. 

Apesar de certa complexidade em conseguir uma grande inovação, você pode implementar práticas disruptivas no seu negócio. Avalie quais setores podem passar por um “choque de gestão” e modificar os processos tradicionais de desenvolvimento. Assim, sua empresa tornará mais competitiva e visível no amplo mercado brasileiro. 

Modelo online-to-offline (O2O) 

Uma plataforma que conecta serviços e produtos ofertados offline — empresas do mundo real —, essa é a definição do O2O. Tal estratégia de negócios procura trazer consumidores em potencial para as lojas físicas. 

Você pode selecionar os produtos que deseja adquirir, comparar preços e, até mesmo, realizar a troca em lojas próprias do marketplace. 

Se você pensa em adotar esse modelo no seu negócio, é preciso que haja o desenvolvimento do perfil de consumidores que pretende atender e prospectar. Com isso, será possível realizar uma comunicação otimizada e eficiente. 

Faça perguntas. Por quais categorias meu cliente navegou? Por que a compra não foi efetivada? Quais as palavras-chave mais utilizadas? Qual o ticket médio nas compras? Desse modo, o O2O poderá ser aplicado de maneira eficiente no seu empreendimento. 

Modelo de assinatura 

A venda de forma contínua e periódica caracteriza esse modelo de negócio. Essa estratégia, apesar de estar bem difundida nos meios online, já ocorria no mercado comum, por exemplo, com a assinatura de jornais e revistas. 

Receitas mensais, bimestrais ou trimestrais são os tipos mais usuais desse serviço. Para adotá-lo, é importante que você defina qual a melhor fonte de receita e a periodização da sua oferta de produtos. 

Invista, também, em campanhas de marketing para fidelizar o seu cliente e divulgar a sua marca perante os seus consumidores. Assim, seu empreendimento será escalável e poderá crescer no longo e curto prazos. 

Gostou do nosso post sobre os tipos de modelo de negócio? Então, siga nossas redes sociais para ficar sempre informado das últimas tendências e novidades publicados aqui no blog!

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br