empreendedores de sucesso: silvio santos

Ao se referir em televisão, todo brasileiro tem como referência o grande apresentador e empresário Silvio Santos. Sem dúvidas, o artista é um dos mais populares no Brasil. Tudo isso deriva-se do seu grande carisma que possui, tanto que ousou ser candidato a presidência da república. Porém, a simpatia não é a única qualidade de uma das pessoas mais bem sucedidos do país. Silvio Santos destaca-se como um dos maiores empreendedores da história brasileira. Com poucos recursos, o apresentador explorou todas as possibilidades de se fazer negócio. E no final construiu um grande império que vai além do seu canal de televisão.

Conheça a sua história

O empreendedor tem origens humildes. Nasceu no bairro da Lapa, no Rio de Janeiro. Tem filiação de dois imigrantes judeus. O pai Alberto era de uma região que hoje pertence a Grécia, enquanto a sua mãe Rebecca, tem origens de uma pequena cidade da Turquia. O casal deu origem a cinco filhos, entre eles, Senor Abravanel, no dia 12 de dezembro de 1930.

Silvio Santos começou a trabalhar muito cedo. Seu primeiro trabalho foi com 14 anos. Nas eleições de 1946, o pequeno empreendedor teve a sua primeira grande ideia. Começou a vender carteirinhas de plástico que tinham como finalidade guardar títulos eleitorais e outros documentos. Com isso, Silvio tornou-se ambulante junto ao seu irmão mais novo Leon. Porém com a repressão policial aos camelôs na época, os meninos vendiam os seus produtos nas ruas por apenas alguns minutos, preferencialmente no tempo de intervalo dos fiscais.

O seu potencial artístico manifestou-se muito cedo. Em virtude da potente voz, o apresentador destacou-se nas ruas do Rio de Janeiro. Tanto que foi convidado a realizar um texto como radialista na Rádio Guanabara. Ele conseguiu chamar a atenção dos radialistas, tanto que ficou classificado em primeiro lugar no teste, ficando à frente de grandes nomes como o humorista Chico Anysio.

Porém, esse trabalho durou muito pouco. Silvio Santos escolheu voltar a ser ambulantes pois conseguia um faturamento maior. Quando completou 18 anos, Silvio serviu o Exército Brasileiro na Escola de Paraquedistas do Rio de Janeiro. Depois da experiência no exército, o empreendedor deixou de trabalhar como camelô e voltou a se dedicar como radialista. Tornou-se locutor em Niterói para conseguir alguma renda.

Quando Silvio Santos trabalhava em Niterói, tinha que pegar uma barca que cruzava a Baía de Guanabara. Foi aí que ele teve uma das grandes ideias empreendedoras. Ele montou um serviço de alto-falantes dentro da barca. Ele o utilizava para realizar a propaganda de diversos produtos. No entanto, a iniciativa obteve tanto sucesso, que Silvio sugeriu que as barcas oferecessem um bingo e um bar. Quando um cliente comprava alguma bebida, automaticamente recebia uma cartela para concorrer a brindes.

Mas Silvio Santos não parou por aí. Aos 20 anos, mudou-se para São Paulo. Lá ele estudou como técnico de contabilidade, mas resolveu seguir a sua carreira artística. Tempos depois, conseguiu uma vaga na Rádio Nacional de São Paulo como locutor. Ao mesmo tempo, elaborou uma revista de palavras cruzadas, charadas e passatempos. Ele mesmo revendia a “Brincadeiras para Você” nos estabelecimentos comerciais da cidade, a fim de conseguir uma renda extra.

Ebook manual de como abrir uma empresa

O homem do Baú

Todo esse talento que Silvio possuía para os negócios ofertou novas oportunidades. O conhecido Baú da Felicidade era como um carnê onde cliente realizava o pagamento e depois retirava os produtos nas festas de final de ano. Ele antigamente pertencia ao amigo de Silvio Santos, Manoel de Nobrega. Porém, Nóbrega estava com dificuldades em administrar os negócios. Então, em 1958, Silvio Santos resolveu ajudar o seu amigo e viu que o Baú da Felicidade poderia ser uma excelente alternativa de negócio. Até que o apresentador assumiu todo o controle da empresa. Os negócios prosperaram e em 1962 fundou-se então, o Grupo Silvio Santos.

No início, Senior Abravanel optou por manter o sistema de crediário da empresa. Porém, houve uma expansão. O Baú da Felicidade criou uma loja própria, em que permitia as pessoas trocassem os seus carnês quitados por brinquedos e demais eletrodomésticos. O sucesso foi tanto que o Baú começou a sortear prêmios maiores como imóveis e carros. Tanto que o seu império expandiu-se para diversas outras áreas. Sendo que entre os anos de 1965 a 1975, Silvio Santos criou e fundou mais de dez empresas. Entre os mais conhecidos estão a Marca Filmes, a concessionária Vimave e a Baú Construtora.

Porém, no final dos anos 60 o Brasil apresentava um cenário de recessão econômica e alta inflação. Sendo assim, Silvio Santos passou a aplicar o dinheiro das prestações em carnês em outros investimentos. Em 1969, surgiu então o Baú Financeira, que mais tarde transformou-se no antigo Banco PanAmericano. O dito grupo financeiro começou a destacar-se pela liderança de títulos de capitalização, sendo assim, em 1991 iniciou-se a comercialização da Telesena que está em circulação até hoje.

Tempos de crise

No ano de 2007 a venda do Baú da Felicidade foi suspensa em todo o país. O processo de extinção ocorreu devido à grande oferta de crédito, parcelamentos e facilidades de compra, não havia mais mercado que sustentasse esse tipo de negócio. Com o fim do carnê, Silvio resolveu transformar as lojas do Baú em Lojas do Baú Crediário que abria o crediário em que as pessoas levavam as mercadorias antes de pagá-las.

Em 2011, o império do empreendedor começou a cair lentamente. Nesse ano houve uma grave crise do Banco PanAmericano. O banco acumulou uma grande quantidade de dívidas e precisou ser vendido. O rombo foi diagnosticado em um valor de quase R$4,3 bilhões. Devido à crise, Silvio cogitou inclusive morar nos Estados Unidos. Inclusive, toda essa onda de decaimento, levou que as Lojas do Baú Crediário também fossem compradas pela organização Magazine Luiza.

No entanto Silvio Santos possui um alto espírito empreendedor e começou a elevar a sua empresa de cosméticos Jequiti. A empresa que foi inaugurada em 2006. Depois do rombo, o empreendedor começou a apostar todas as suas fichas nesse negócio. Mais uma vez a sua estratégia foi bem sucedida e houve um sucesso em vendas.

O império do grupo Silvio Santos consegue faturar com a Jequiti o dobro da taxa registrada pelo setor de cosméticos brasileiros. A empresa cresce aproximadamente 20% ano. Tanto que em 2015, foi relançado o carnê do Baú da Felicidade- Jequiti onde as pessoas realizam o pagamento como crediário e trocam por produtos da marca. Hoje, a Jequiti é uma das maiores empresas de cosméticos do Brasil.

Passados os anos de crise, o Grupo Silvio Santos segue em alta no mundo dos negócios. Tudo isso deve-se ao espírito empreendedor e persistente de Senior Abravanel. Hoje, a companhia chega a faturar 6 bilhões de dólares com um superávit aproximado de 800 milhões de dólares.

O empreendedorismo na televisão

Silvio Santos iniciou a sua carreira na televisão no ano de 1961. Seu primeiro programa foi chamado de Vamos Brincar de Forca que mais tarde se tornaria o famoso “Programa Silvio Santos”. Como empresário de sucesso, o apresentador decidiu organizar a sua própria emissora de TV.

O projeto foi concretizado em 1975 a partir de um investimento inicial de mais de 10 milhões de dólares. Surgiu então a chamada TVS que em sua fundação contava com cerca de 13 mil funcionários. Em 1981, Silvio Santos mais uma vez expandiu os seus negócios. Ele ganhou a concessão de mais quatros canais que hoje formam o Sistema Brasileiro de Televisão. Toda a sua popularidade e carisma abriu as portas para a carreira política. Ele participou das campanhas presidenciáveis em 1989. Porém a sua candidatura foi impedida judicialmente em virtude de o apresentador ser dono de uma rede de TV.

Por muitos anos, Silvio Santos tem persistido o seu investimento no seu canal de televisão. O SBT é uma das maiores ferramentas que o empresário utiliza para vender os seus produtos. Com o seu elevado carisma e persistência nos negócios, o ex-camelô conseguiu se tornar um dos homens mais ricos do país.

Ebook Crescimento Empresarial

Um empreendedor de garra

De fato, Senor Abravanel mostra ao Brasil ser um exemplo de empreendedorismo. Ele conseguiu construir todo o império do Grupo Silvio Santos graças a sua garra e força de vontade de querer vencer. E mais ainda prova que é possível resistir as crises econômicas e financeiras que o mercado impõem. Com o seu modelo de negócio, ele afirma que se faz necessário explorar os mais diversos nichos de mercado e sempre estar aberto a todas as oportunidades.

Por isso, podemos dizer que ser um empreendedor de sucesso pode ser possível. Embora, Silvio Santos carregue os seus 84 anos continua firme na gestão dos seus negócios. O que nunca lhe faltou foi coragem e ideias brilhantes nesses 70 anos de trabalho. Em uma das suas entrevistas em comemoração ao aniversário da sua empresa, o empreendedor deixou claro que apenas conseguirá atingir os seus objetivos aquele que souber enfrentar os desafios e não sonhar demasiadamente. Para ele, todas as coisas são difíceis e devem ser lutadas com garra.

Veja uma entrevista com o Silvo Santos

Gostou do texto? Deixe um comentário!

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br