fbpx

Fator R: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

O cálculo de impostos pode ser um grande desafio para os empresários de pequeno e médio porte. Entre as diversas questões que devem ser consideradas, em 2018 surgiu um novo fator que merece bastante atenção: o Fator R

Saber calculá-lo pode impactar diretamente no valor de imposto que uma empresa terá que pagar para a Receita Federal. Por isso, juntamos aqui, as informações mais importantes sobre o cálculo.

O que é Fator R?

O Fator R é um cálculo que mede a razão entre os gastos com a folha de pagamento e a receita bruta de uma empresa.

Algumas atividades do Simples Nacional, que listaremos mais à frente neste texto, podem ser enquadradas no Anexo III ou Anexo V, dependendo do Fator. Ou seja, o Fator R pode determinar se uma empresa se enquadrará no Anexo III ou V de tributação do Simples Nacional.

Para uma empresa no ramo das atividades listadas se enquadrar no Anexo III, seu Fator R deve ser igual ou maior a 28%. Caso ele for menor que 28%, ela se enquadrará no Anexo V.

Isso é importante, porque as alíquotas para as empresas que se enquadram no Anexo III começam a partir de 6%, já as alíquotas para empresas do Anexo V começam em 15,50%.

Ou seja, por meio do Fator R, uma empresa pode pagar menos imposto.

Como calcular o Fator R?

Calcular o Fator R é relativamente simples. Para isso, é preciso ter em mãos a folha de pagamento, que inclui pró-labore, salários e demais encargos trabalhistas e a receita bruta dos últimos doze meses anteriores ao período que está sendo apurado. É importante lembrar que pró-labore corresponde ao valor pago pelo trabalho realizado por sócios da empresa, como o trabalho administrativo, por exemplo.

Portanto, ele é calculado da seguinte forma:

Fator R = Total da folha de pagamento acumulado nos últimos 12 meses / Receita bruta acumulada dos últimos 12 meses.

Imaginemos o seguinte exemplo:

Uma academia de ioga, fictícia, tem um faturamento de R$ 20.000 mensais, totalizando R$ 240.000 nos últimos 12 meses. Já a sua folha de pagamento, foi de R$ 10.000 mensais, totalizando R$ 120.000 nos últimos 12 meses. Logo:

Fator R = R$ 120.000 / R$ 240.000

Fator R = 0,50

Transformando esse valor em percentual temos:

Fator R = 0,50*100 = 50%

A academia de ioga fictícia, portanto, se enquadra no Anexo III e poderá assim, pagar menos imposto.

Anexo III ou Anexo V?

De maneira geral, as empresas cuja atividade figure no Anexo III pagam impostos com alíquotas menores.

Porém, há algumas atividades que estão sujeitas ao Fator R. Assim, mesmo que a empresa pertença a um ramo do Anexo V, ela estará sujeita a tributação conforme o esse fator.

Abaixo, veja as alíquotas para cada anexo, de acordo com cada faixa de receita bruta:

ANEXO III

  • 1ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de até R$ 180.000 – Alíquota: 6,00%
  • 2ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 180.000,01 a R$ 360.000 – Alíquota: 11,20%
  • 3ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 360.000,01 a R$ 720.000 – Alíquota: 13,50%
  • 4ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 720.000,01 a R$ 1.800.000 – Alíquota: 16,00%
  • 5ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 1.800.000,01 a R$ 3.600.000 – Alíquota: 21,00%
  • 6ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 3.600.000,01 a R$ 4.800.000 – Alíquota: 33,00%

ANEXO V

  • 1ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de até R$ 180.000 – Alíquota: 15,50%
  • 2ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 180.000,01 a R$ 360.000 – Alíquota: 18,00%
  • 3ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 360.000,01 a R$ 720.000 – Alíquota: 19,50%
  • 4ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 720.000,01 a R$ 1.800.000 – Alíquota: 20,50%
  • 5ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 1.800.000,01 a R$ 3.600.000 – Alíquota: 23,00%
  • 6ª Faixa: Receita Bruta em 12 meses de R$ 3.600.000,01 a R$ 4.800.000 – Alíquota: 30,50%

Atividades sujeitas ao FATOR R

Abaixo, listamos algumas das principais atividades que estão sujeitas ao fator:

  • Academias desportivas e de atividades físicas em geral;
  • Escolas de ioga, dança, capoeira ou artes marciais;
  • Empresas de auditoria ou consultoria;
  • Clínicas de nutrição;
  • Estúdios de design;
  • Empresas que montam estandes para eventos;
  • Fisioterapia;
  • Jornalismo;
  • Medicina, medicina laboratorial, medicina veterinária e enfermagem;
  • Odontologia;
  • Psicologia e psicanálise;
  • Acupuntura e terapia ocupacional;
  • Serviços de tradução e interpretação;

Benefícios do Fator R

Antes da criação do Fator R, apesar de o Simples Nacional ser um regime tributário vantajoso, com menor tributação e maior facilidade no pagamento de imposto, ele oferecia uma alíquota unificada de tributação. Assim, ele não levava em conta nem as despesas, nem o lucro de uma empresa, mas apenas o seu faturamento bruto.

Porém, sabemos que os encargos trabalhistas representam custos expressivos para uma empresa. Especialmente para as empresas de pequeno porte. O Fator R, portanto, foi extremamente benéfico para o empresário de pequeno e médio porte, suavizando a carga tributária ao disponibilizar alíquotas mais baixas.

Além disso, o Fator R incentiva os empresários de pequenas e médias empresas a aumentarem suas folhas de pagamento e contratarem mais funcionários. Na verdade, essa foi justamente uma medida do Governo para lidar com a crise econômica e o desemprego crescente. Isso porque, agora, quem determina a alíquota do imposto a ser pago pela empresa é a folha de pagamento.

Considerações Finais

Apesar de constituir um cálculo relativamente simples, o Fator R é um assunto que merece ser tratado com cuidado, pois pode ter um grande impacto tributário para a empresa. Assim, é essencial que o pequeno e médio empresário levem o Fator R em consideração para tomar as melhores decisões para a sua empresa.

Banner-conversao-eGestor-blog
Início 9 Empreendedorismo 9 Fator R: tudo o que você precisa saber sobre o assunto
Escrito em: 07/03/20
<a href="https://blog.egestor.com.br/author/pedro-henrique-escobar/" target="_self">Pedro Henrique Escobar</a>

Pedro Henrique Escobar

Pedro Henrique Escobar é formado em Administração e gerente de marketing no eGestor. O eGestor é uma ferramenta online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: eGestor.

Comentários:

Compartilhe seu comentário, dúvida ou sugestão!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar…

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): o que é e quem emite

A NFS-e, ou Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, é um dos tipos de notas fiscais que existe juntamente com a nota fiscal, a nota fiscal do consumidor e o conhecimento de transporte. Elas são úteis para empresas que tem como uma das funções...

Gestão empresarial: guia definitivo para o sucesso do seu negócio

Toda empresa precisa ter um objetivo, uma missão maior que guie todas as suas atividades. Independente de qual for esse objetivo, ele tem tudo a ver com a gestão empresarial. Isso porque é através de uma gestão empresarial competente e...

Controle financeiro empresarial: Como fazer passo a passo

Passo a passo para fazer o controle financeiro da sua empresa Faça o controle do fluxo de caixa Separe custos e receitas Planejamento de recebimentos e pagamentos Registre todas as operações financeiras Tenha um orçamento bem estruturado...

Guia do MEI: Tudo sobre o MEI – Blog do eGestor

O MEI (Microempreendedor Individual) é um tipo de empresa voltado para formalização de profissionais autônomos. O custo para abrir um MEI é zero. Os impostos pagos pelo MEI são o ICMS, pela venda de mercadorias, o ISS, por prestação de...

Controle de Estoque: Como fazer um controle profissional

Porque o controle de estoque é tão importante para a empresa? O estoque é o principal ativo de uma empresa, sendo a forma mais importante de fazer dinheiro. Por isso, ter total atenção a gestão do estoque é de extrema importância. Se a...

ERP: O que é e vantagens [GUIA COMPLETO]

Teste Grátis A administração de uma empresa acontece diariamente, com processos e controle que devem ser feitos a todo momento. Esses processos são o que mantém a empresa funcionando, e esse controle é o que mantém as contas em dia e os...

Nota fiscal eletrônica: tudo o que você deve saber [ATUALIZADO]

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um documento cuja função é atestar a venda de um produto ou a prestação de um serviço. Ela foi desenvolvida com o objetivo de substituir alguns sistemas de impressão de documentos fiscais em papel. Assim...

Fluxo de Caixa: Guia de como fazer o da sua empresa

O que é o fluxo de caixa?O fluxo de caixa é o controle de todos os valores que entram e saem do financeiro da empresa. Qual o objetivo do fluxo de caixa?O objetivo do fluxo de caixa é garantir a saúde financeira do negócio, assegurando...

Faturamento: O que é, como calcular e aumentar o seu

Porque o faturamento é tão importante para a empresa? Porque ele é o dinheiro que a empresa recebeu em um período, que mostra se ele foi bom ou não. Acompanhar o faturamento se sabe quanto a empresa pode gerar de capital. Ele também é...

NFC-e (Nota fiscal de consumidor eletrônica) [Atualizado]

Emitir NFC-e Todo produto ou serviço vendido, deve ter sua comprovação fiscal e um dos meios de atestar essa transação é a nota fiscal. Afinal, ela dá segurança tanto à empresa que vende o produto, quanto ao consumidor que o compra....