Pois é, houve esforço, compromisso, investimentos, análises de concorrência, gastos, preparação para o mercado e outros trabalhos para manter sua empresa em pé. Mas infelizmente, você percebe que o negócio não decolou e a venda da sua empresa é a alternativa mais viável para não ter problemas posteriores.

Tanto para quem vê seu negócio não dando certo ou quem quer mudar de ramo, a venda de uma empresa necessita de cuidados e uma atenção redobrada para o cálculo do valor de venda, se preparar com técnicas de negociação, planejar fluxo de caixa e oferecer um valor condizente com a valorização da sua empresa.

Para ter noção de como calcular o valor de venda da sua empresa, é bom começar com a percepção de valor que ela possui.

Perceber o valor da empresa

Antes de partir para o cálculo em si, é importante que você tenha em mente do poder que sua empresa tem. Isso será um dos fatores primordiais para negociar o valor dela com um investidor. Mesmo que você não queira vendê-la por completo ou que não queira vendê-la agora, é bom ter noção do quanto sua empresa é valorizada.

Para ter em mente essa percepção, você precisa saber como o mercado percebe sua empresa. Ela é pequena? Ainda tem potencial de crescimento? O valor pré-calculado é um valor que um investidor pode pagar? Detalhes como esses podem dar uma definição mais clara da posição de sua empresa e perceber o valor que ela tem.

Proporcionando um melhor conhecimento de mercado e também de negociação, saber a valorização da empresa pode ajudar a calcular um valor compatível, pois não existe um valor exato para venda e a chegar num resultado positivo. Mesmo que seja algo subjetivo.

O cálculo: como fazer?

É certo que calcular o valor de venda não é algo muito fácil. Por isso, não faça algo que não sabe, pois há o risco de oferecer um preço acima do proposto ou abaixo do esperado, causando transtorno para ambos os lados, você e o investidor. Para realizar esse processo com segurança, contrate um profissional contábil que poderá calcular um valor considerável.

Se ainda houver dúvidas na hora de contratar um contador, há também a opção de contratar um serviço de consultoria para perceber a avaliação da sua empresa pelo mercado, de investidores em potencial para pagar o valor proposto e oferecer as bases necessárias para venda.

O principal critério para o cálculo é pensar que a empresa não deve ser avaliada somente pelo que ela é agora, mas o potencial dela no futuro. Fazendo uma análise de posição no mercado, o contador ou a empresa de consultoria terá uma base do valor patrimonial do estabelecimento a ser vendido.

O fluxo de caixa

O próximo passo na hora do cálculo é avaliar o fluxo de caixa descontado. Esse tipo de avaliação se baseia com uma projeção aproximada do fluxo de caixa nominal com um percentual de desconto. Esse desconto oferece uma redução de toda a somatória de valores que a empresa receberia nos anos seguintes, no qual se concentram custos de oportunidade, depreciação, taxas de risco e outros custos que estariam englobados nessa somatória.

Nesse caso, a pessoa que usará o modelo de fluxo de caixa descontado precisa considerá-lo, além de base fundamental para o cálculo de venda da empresa, como uma forma de previsão do quanto sua empresa vale. Se sua empresa baseia seu fluxo de caixa descontado para daqui a dez anos, qual será a taxa de crescimento estipulado pela empresa?

Nessas horas, as análises tanto boas como ruins precisam de um conhecimento sólido desse cálculo de fluxo de caixa. Quanto custa a taxa livre de risco da sua empresa? O custo de oportunidade tem previsão de aumentar ou diminuir daqui pra frente? Como fazer a redução de modo correto a fim de passar um valor de venda real? O contador pode lhe ajudar a resolver essas questões e a calcular de forma certa.

Plano de avaliação

Para muitos, o processo, além de ser um pouco árduo e muito detalhado, pode ser estressante e não passar o valor exato que sua empresa merece ser vendida. Uma grande dica a ser acrescentada nesse processo é elaborar um plano de avaliação para convencer os investidores a se atentarem à compra da sua empresa.

O primeiro passo é identificar sua empresa pelos bens ativos que ela possui. Se você não souber fazer o cálculo por meio do fluxo de caixa descontado ou se a empresa não a possui, os ativos dela podem ser um fator fundamental para valorizá-la e resultar numa negociação pertinente.

Valores tangíveis servem como piso de venda para o negócio. Valores intangíveis, como patentes e arrendamentos, podem agregar um valor considerável para venda. No entanto, é preciso coincidir os dois valores para que o investidor não tenha a impressão de que está pagando por algo não tangível.

Mesmo se sua empresa tiver alguns pontos negativos, procure trabalhar em estratégias para pôr nesse plano de avaliação que servem de recursos para superar esses pontos negativos. Isso torna seu patrimônio mais atraente aos investidores e resulta numa venda mais rápida.

Guia de Gestão Estratégia

Agregar valor real ao patrimônio

Entendendo o cálculo e a valorização da empresa, é hora de dar o valor real. Para isso, leve sempre em conta os clientes que a empresa trabalha. Quem são eles? Há quanto tempo sua empresa manteve parceria com eles? O quanto eles influenciavam em seu faturamento? Expor esses detalhes pode servir para agregação de valor, contanto que a representação de cada um deles não ultrapasse o faturamento de 5% da empresa.

Se lembra de tornar os pontos negativos em positivos? Essa dica se encaixa aqui também! Mostre perspectivas boas que sua empresa pode trabalhar para ter um crescimento considerável nos próximos anos. Insumos? A compra deles vai aumentar o faturamento ou pôr a empresa em uma crise financeira? As perspectivas quanto a matérias-primas que sua empresa trabalha e oferece também são variáveis importantes para a agregação de valor do patrimônio.

Outros detalhes, como a capacidade para gerar boas vendas e uma gestão bem vista junto com seus resultados, também servem como base para calcular o preço do patrimônio. Esses passos podem ser seguidos de forma direta ou indireta, isso dependerá da forma que você e seu contador irão trabalhar para conseguir determinar o preço real da empresa.

Algo importante é avaliar a marca. O quão forte ela é? Mesmo que ela seja nova ou já seja tradicional, o valor da marca influencia e muito no preço e os investidores prestam muita atenção nisso. É por isso que é necessário ter um equilíbrio, tanto para empresas nem tão reconhecidas ou empresas tradicionais no mercado.

Não é bom demonstrar o valor da empresa somente pela estrutura ou pelo nome, mas se essas variáveis juntamente com todos os outros potenciais que o patrimônio possui forem levadas em consideração, o preço será determinado de forma mais justa, e os investidores sentirão com mais firmeza o valor real que a empresa possui.

Então, se ainda tem dúvidas quanto a calcular o valor da sua empresa, contrate uma empresa de consultoria ou um contador e obtenha mais informações sobre esse processo. Lembre-se que a melhor arma para o negócio é conhecer o uso da melhor estratégia para vender.

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor

O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas.
Teste gratuitamente em http://www.egestor.com.br