Como montar uma criação de abelhas

O mel é um dos produtos mais consumidos em todo o mundo. Além da função adoçante e do seu sabor, ele é famoso por suas propriedades terapêuticas (como anti-inflamatório, antimicrobiano, antisséptico e analgésico) e também por ser rico em ferro, magnésio, fósforo e vitaminas. O mel brasileiro, em especial, é mundialmente reconhecido por sua qualidade e por ser orgânico – variedade cada vez mais difícil de se obter nos países onde as abelhas têm contato com plantas geneticamente modificadas ou tratadas com agrotóxicos.

Os principais estados produtores de mel são São Paulo, Ceará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Piauí que, com os demais estados, atendem ao mercado interno e ainda exportam para Estados Unidos, Alemanha e Canadá. O Brasil apresenta um enorme potencial para o desenvolvimento da apicultura e a atividade é uma alternativa lucrativa para o produtor rural.

A criação de abelhas pode ser desenvolvida tanto em pequena escala, por hobby ou usufruto da família e dos amigos, como em grande escala, constituindo um negócio com elevado potencial comercial. Além de contribuir para a polinização, a apicultura gera produtos como o mel, a cera, o própolis, a apitoxina e a geleia real, todos bastante demandados no mercado interno e mundial. Principalmente depois da expansão da cultura da alimentação saudável e natural, os derivados da abelha têm ganhado cada vez mais fatias de mercado, seja como produtos finais ou enquanto insumo para outras indústrias, a exemplo da de cosméticos, da farmacêutica e da alimentícia.

Para montar um apiário, além da estrutura física, é necessário também buscar conhecimento e entender sobre o comportamento social das abelhas, a biologia do animal e quais são as melhores técnicas de produção e manejo que estão sendo utilizadas. Também é fundamental fazer uma boa gestão do negócio e ter controle eficiente das finanças.

A escolha do local para montar o apiário

Para começar a criar abelhas, é necessário dispor de uma área verde para a instalação do apiário, de preferência na zona rural e com pelo menos 1500 m², uma vez que as abelhas se afastam da colmeia para buscar flores. Além disso, deve haver uma fonte de água a menos de 500 metros da colmeia.

Alguns fatores podem influenciar na qualidade dos produtos e na produtividade das abelhas. Portanto, aconselha-se que a área escolhida seja preferencialmente seca e com baixa ocorrência de ventos, receba incidência de luz solar e esteja afastada de regiões habitadas por pessoas ou de criação de animais – especialmente se as abelhas tiverem ferrão.

A classificação do mel produzido é determinada pela constituição da flora local e pelo processo de extração, o que resulta em diferentes consistências e colorações. É interessante que o território escolhido para a criação seja repleto de árvores de reflorestamento, para a obtenção de um mel de eucalipto, por exemplo, de árvores frutíferas para variedades de laranjeira ou de flores silvestres para o mel de girassol, de rosas, entre outros.

Ebook Crescimento Empresarial

Como começar a criação de abelhas?

A criação de abelhas está dividida em algumas fases. A primeira, do povoamento, pode ser concluída de três formas distintas. O apicultor pode comprar as abelhas de outro apicultor que comercialize os animais, pode capturar as colmeias da natureza e instalá-las no seu terreno ou ainda é possível atrair enxames de abelhas para armadilhas e colocadas nas colmeias do apiário. Existem três tipos de abelha: as nativas, a Apis Melífera e as abelhas africanas. A principal vantagem da criação de abelhas nativas é o fato de não terem ferrão, o que facilita o contato.

A segunda fase se refere à instalação das colmeias, que são as estruturas físicas onde moram as abelhas. Existem três principais modelos em uso atualmente. A colmeia de madeira, que tem forma cilíndrica e é amarrada em árvores, é a mais barata e simples de fazer. Além do custo baixo, a estrutura garante elevada produção de própolis, porém, a produção do mel é baixa e é difícil de fazer a inspeção da colmeia e de controlar a qualidade do mel.

A segunda opção é a colmeia top bar, também feita de madeira e fechada. É fácil de fazer, pois utiliza matéria-prima local, produz mais quantidade de mel do que a anterior – além da cera – e dura cerca de 10 anos. Todavia, para que a produtividade seja interessante, são necessárias aproximadamente dez colmeias destas, o que pode ser custoso dependendo do orçamento disponível para começar o apiário. Por fim, a colmeia Langstroth é a mais comum no mercado e a mais produtiva, apesar de ser também a mais cara. Ela é indicada para apicultores mais experientes e permite entre quatro e cinco colheitas de mel por ano.

Após a instalação das primeiras colmeias, é que realmente tem início a atividade do apiário. O manejo do apiário envolve constante inspeção das colmeias e intervenções para garantir a harmonia da colônia e a produtividade do negócio. São exemplos de intervenções: o controle de pragas, o fornecimento de alimento especialmente em épocas de seca ou de baixa floração (sem alimento, as abelhas abandonam a colmeia), a reparação da estrutura quando necessária, a verificação do comportamento da rainha, a substituição da rainha, notar a existência de predadores como formigas e cupins, entre outras providências.

O processamento do mel e dos demais produtos apiários podem ser obtidos de formas artesanais ou mais automatizadas. Dependendo do orçamento disponível e do tamanho da produção, o empreendedor deve analisar quais opções existentes no mercado são mais adequadas ao seu modelo de negócio.

Questões operacionais e administrativas

No intuito de explorar comercialmente o apiário, é necessário abrir uma empresa e contatar um contador. Para facilitar o controle das finanças do negócio e garantir a melhor administração dos recursos, é aconselhável trabalhar com um software de gestão, como o eGestor, que facilita o monitoramento do setor financeiro, das vendas, da emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), da emissão de relatórios e do controle de estoque de micro e pequenas empresas. Com uma boa gestão do funcionamento do apiário, as possibilidades de sucesso são muito maiores.

A quantidade de funcionários que deverão trabalhar na atividade depende do tamanho do empreendimento: quanto maior a produção, mais gente deverá compor a equipe. O ideal é buscar pessoas treinadas, com experiência prática ou com cursos técnicos em apicultura. O empreendedor ainda deve ficar atento à regulamentação sindical da categoria, principalmente aos procedimentos de segurança para o trabalho junto às abelhas.

Outra dica importante é entrar em contato com associações nacionais e regionais e sindicatos da área, que possam oferecer suporte e informações sobre a criação de abelhas. Deve-se observar, ainda, as normas técnicas que vigoram para o desenvolvimento da atividade, como algumas determinações da vigilância sanitária. Por fim, é fundamental lembrar que a apicultura tem um enorme potencial no Brasil, mas, como todo negócio, exige dedicação e constante atualização do empreendedor sobre o que está acontecendo no mercado. Participar de congressos e eventos da área pode ser uma boa maneira de estar atento e ainda fazer ótimos contatos.

Gostou do texto? Deixe um comentário!

Ebook manual de como abrir uma empresa

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br