banheiro químico

O negócio de locação de banheiros químicos pode ser  lucrativo. Tendo em vista a crescente demanda impulsionada pela agenda de grandes eventos em locais abertos no país. Mas o investimento é alto e, por diversas razões, requer um volume alto de capital de giro.

Estima-se que, só para entrar no setor, o investimento inicial não é inferior a R$ 300 mil. Mas essa conta não inclui o capital de giro necessário. A infraestrutura envolve espaço físico amplo, com galpões capazes de armazenar uma grande quantidade de peças, veículo de transporte de carga para fazer a logística de abastecimento, caminhão “limpa fossa”, e um quadro funcional versátil, capaz de aderir à sazonalidade do setor.

Não há maiores dados a respeito de quanto movimenta o setor, ainda que a concorrência seja acirrada, sugerindo a busca de diferenciais competitivos num mercado em que a oferta tem características de commodities.

O que se pode afirmar, com base nas informações disponíveis na mídia, é que uma empresa no patamar de investimento de R$ 300 mil pode ter um faturamento anual a partir da casa dos R$ 3 milhões. Podendo ser muito maior de acordo com o volume do serviço e da capacidade da empresa de atender. Números que indicam a possibilidade de um rápido retorno sobre o investimento. Desse modo, fica evidenciado que a complexidade do setor, como ficará claro mais à frente, enfrentada com bom planejamento e conhecimento da cadeia de relações, é compensada com excelente margem de lucro.

Ebook manual de como abrir uma empresa

Carnaval

Uma reportagem do portal UOL, de janeiro de 2014, mostra que pelo menos algumas empresas do setor multiplicam até por dois o volume de negócios realizados nessa época do ano.

Uma empresa de Taboão da Serra, região metropolitana de São Paulo, capital, realizou naquele ano 2 mil locações, segundo seu executivo, somente para os cinco dias de carnaval, entre sexta-feira e terça-feira. Sabe-se, no entanto, que, desde então, o carnaval de rua que vinha se expandindo, não só cresceu no período momesco, como se expandiu através do calendário, ocupando com eventos dias anteriores e posteriores à festa oficial.

Segundo o mesmo executivo, a empresa alugava, em média, 1.300 banheiros químicos por mês, o que aponta para um faturamento mínimo na casa dos R$ 130 mil mensais. Isso  indica que a sazonalidade da demanda não implica, necessariamente, em fluxo de caixa negativo nos períodos de baixa. É evidente que tudo depende da gestão do negócio.

O principal cliente e a necessidade de diversificação da base de clientes

A gestão é algo que vai além da demanda e da logística. O componente político está fortemente presente, uma vez que o principal cliente desse do setor de locação de banheiros químicos é o setor público.

O carnaval é um caso típico, e as festas de final de ano outro. O problema é que, como tudo que envolve concorrências públicas, a gestão política é vital. Não é incomum a formação de cartéis e licitações com cartas marcadas.

Outro problema é que o setor público nem sempre é um bom pagador. É preciso que a espera compense. Em outras palavras, fechar algo com o setor público pressupõe contratos robustos em termos de valor. O que justifica ter que suportar possíveis atrasos longos.

A alternativa é diversificar os clientes, investindo os esforços de prospecção de negócios no setor privado.

Reportagem do portal O Popular, de junho de 2015, sobre a Festa do Divino Pai Eterno, uma festa religiosa, que tinha a expectativa de movimentar R$ 300 milhões, promovida pela Associação Turística Fé no Coração do Brasil, revelou que durante os dez dias do evento a direção do mesmo disponibilizou nada menos que 500 banheiros químicos.

Estimando-se em R$ 150,00 cada banheiro, a empresa que fez a locação faturou nada menos que R$ 75 mil diários, ou R$ 750 mil em dez dias. Não há dados sobre o custo direto para o fornecimento do serviço, mas, de forma geral, se resume ao custo de transporte dos materiais e uso volume de produtos químicos, que são usados na limpeza das cabines.

Controle e finanças

Para melhor calcular o custo por evento, o ideal é fazer um levantamento do custo total anual com recursos humanos, logística de armazenagem e transporte, custo administrativo e de marketing, ratear o investimento inicial pelo tempo em que se pretende ter o retorno sobre o investimento e comparar com a receita total no exercício financeiro. Não é algo tão complexo quanto parece. Um bom gestor financeiro saberá fazer esse trabalho.

O mercado oferece soluções em tecnologia da informação bastante em conta. São medidas capazes de respaldar e otimizar a rotina de controle das finanças, a partir de aspectos como: Faturamento, custo da operação, gestão do estoque e perfil da demanda.

Uma ferramenta disponível no mercado, e que atende plenamente a demanda gerencial do setor, é o eGestor. São módulos fáceis de operar e relatórios amigáveis, capazes de absorver todas as informações da empresa e refiná-las para a tomada de decisões. Reduzindo  assim os custos administrativos e aumentando a capacidade de controle sobre o negócio.

Ebook Crescimento Empresarial

Um pouco mais sobre o mercado

O evento religioso referido acima é apenas uma das manifestações de um mercado que oferece muitas oportunidades. O Brasil, por si só, é um país que, dadas suas características climáticas, geográficas, turísticas e culturais, oferece uma diversificada e robusta oferta de eventos a céu aberto. Sem contar que o extenso litoral, com alta incidência de praias e períodos de calor.

O interior contribui com as concorridas festas de peão de boiadeiro, e os eventos artísticos, sobretudo musicais. Eventos estes que são distribuídos por todo território nacional, oferecendo oportunidades ao setor de locação de banheiros químicos.

Informação do Ministério do Turismo demonstra que o Brasil é o 11º maior realizador de eventos do mundo. Foi responsável, em 2015, por 2,4% dos eventos, mesmo em meio à crise econômica. Naquele ano, foram 292 eventos realizados, um número bastante relevante, que, certamente, não dá conta de tudo que aconteceu no país.

Como ficou evidenciado, não se pode desprezar a força do setor religioso. No ano de 2016, a Câmara dos Deputados registrou o pedido de autorização de mais de 100 eventos religiosos. Todos foram aceitos.

Outra excelente oportunidade para o setor são os canteiros de obras de construção civil. A legislação determina que nesses locais é obrigatória a instalação de banheiros químicos. Por ser menor a quantidade, a lucratividade da operação fica reduzida. Não obstante, é uma excelente oportunidade para que a empresa adquira fontes de receitas por longos períodos, mais estáveis, oferecendo certa segurança ao fluxo de caixa.

Como funciona a locação

O processo de locação de um banheiro químico é bastante simples. Consiste em quatro etapas: especificação do serviço, entrega, limpeza e recolhimento dos dejetos e recolhimento dos equipamentos.

A fase de especificação do serviço é o que determina qual será o preço de cada unidade disponibilizada, e o valor total do serviço deve ter como base o custo total diário x a quantidade de dias.

Há dois fatores que determinam o custo por unidade para o cliente. O primeiro deles é a concorrência. No setor público, sobretudo, o preço tende a ser reduzido em função da competitividade, mas a prestação de serviço ao setor privado não exclui essa variável como determinante para a realização do serviço.

O outro fator que influencia no preço é o número de despesas realizadas. Para a empresa, cada limpeza representa um custo de deslocamento e gasto de produtos químicos. Mas não é somente o custo da empresa que deve ser levado em consideração. É preciso levar em conta, sobretudo, o benefício e o valor para o cliente. É evidente que mais limpezas significam melhor qualidade do serviço que é entregue para o consumidor final. Condições de higiene são fator preponderante na avaliação dos serviços prestados em um evento.

A entrega é a parte mais simples. Consiste no transporte do galpão até o local e na instalação dos banheiros.

Limpeza e recolhimento dos dejetos

Os banheiros químicos são feitos em polietileno, um material bastante resistente. Não é preciso conectá-los à rede de esgoto. O próprio equipamento armazena os dejetos.

Parte do processo de higienização é aquele que ocorre durante o uso, que consiste no processo químico. Trata-se de um líquido bactericida que é posto no interior do reservatório para combater o odor.

A limpeza dos banheiros é feita com um veículo que tem a finalidade específica de limpar as fossas. O mecanismo desse veículo é usado para retirar os dejetos dos banheiros químicos e transportá-los para o descarte. Este processo é feito em estações de tratamento ou na rede de esgoto sanitário. A empresa pode, também, investir no seu próprio sistema de tratamento, mas é preciso um investimento a mais na casa dos R$ 200 mil.

Após o recolhimento, os banheiros são higienizados. O processo de recolhimento do equipamento é simples. Consiste na desinstalação e no transporte.

Logística e recursos humanos

Grande parte do custo de uma empresa do ramo de locação de banheiros químicos está ligada à logística de guarda e transporte dos equipamentos. O que implica na compra ou aluguel de espaço para galpão, construção ou reforma.

A empresa pode, no entanto, optar por tentar reduzir esse custo recorrendo ao aluguel de galpão em um condomínio logístico. Em geral, há uma afinidade geográfica natural entre essas atividades, uma vez que os condomínios logísticos têm suas instalações nas proximidades dos grandes centros de consumo, que é onde, em geral, ocorrem os grandes eventos.

Nos condomínios logísticos, a empresa rateia com outras o custo de segurança e infraestrutura, que consiste, ainda, em galpões modulares, instalação e serviços agregados, como alimentação e limpeza.

Outro serviço que pode ser terceirizado é o transporte. Tudo depende do volume de uso desse tipo de serviço; é isso que irá determinar se justifica ter um veículo próprio. Outra forma interessante é o compartilhamento dos veículos com outras empresas que utilizam pouco o transporte, através de sublocação, sempre levando em conta a possibilidade de uma estrutura enxuta.

Quanto aos recursos humanos, a atividade do setor recomenda profissionais especialistas e polivalentes, capazes de atuar em todas etapas do serviço: carga, descarga, instalação, operação e limpeza. É uma forma de se trabalhar com uma equipe enxuta, reduzindo a ociosidade em períodos de baixa demanda e evitando a necessidade de contratação de mão de obra temporária. O que demanda treinamento e adaptação, em períodos de muitos pedidos.

Buscando diferenciais competitivos

De um modo geral, o mercado de locação de banheiros químicos se aproxima muito de um mercado de commodities. Tendo em conta que a busca de diferenciais competitivos é dificultada.

Sendo assim, o investimento em atendimento impecável ao cliente e precisão no processo de entrega e recolhimento dos equipamentos é fundamental. O que implica todo cuidado com treinamento de pessoal e com logística, como será visto mais à frente.

No que diz respeito ao processo de atendimento, há muito mais em questão do que simplesmente o tratamento. Será um ótimo diferencial competitivo se a empresa puder oferecer respostas precisas ao cliente no que diz respeito ao dimensionamento de suas necessidades.

Em outras palavras, o cliente, antes de buscar alguém que lhe forneça o serviço, precisa estar diante de um consultor ou um especialista. É preciso que o atendente tenha informações consistentes para a partir das características do evento e da previsão de participantes, estimar o tamanho da demanda. Só a título de exemplo, eventos em que há consumo de bebidas, por exemplo, podem demandar até quatro vezes mais unidades químicas que eventos religiosos, por exemplo.

O normal é que a empresa construa esse conhecimento com o tempo. Mas não custa buscar no mercado um profissional que já tenha essa noção. O cliente sabe que precisa de banheiros químicos, mas não sabe dimensionar essa necessidade; logo, informações precisas, com base em dados históricos que confirmem as recomendações do consultor, servirão para gerar uma relação de confiança e podem fazer a diferença na hora da escolha do cliente.

Contrate um contador

Qualquer que seja a atividade na qual se pretenda atuar, há um processo burocrático a ser enfrentado. Quem toca esse processo é contador. Contratar um é o primeiro passo. Ele vai dar entrada nos cadastros, fazer as inscrições e cumprir todas as etapas que levam a concessão do alvará para operar. Como se trata de uma atividade que tem correlação com a questão ambiental, em razão do descarte de dejetos, é bom procurar se informar na prefeitura da cidade sobre quais são as licenças específicas para o setor e quais as obrigações da empresa perante a legislação ambiental.

Gostou do texto? Deixe um comentário !

Escrito por eGestor

O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas.
Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br