Micro e pequenas empresas: de olho nas tendências de mercado

O patrimônio líquido é um dos elementos de maior importância quando o assunto diz respeito à contabilidade de uma empresa. De forma bem sucinta, é possível afirmar que o patrimônio líquido é o que representa a riqueza de uma determinada empresa.

Ele fornece informações relevantes, tais como os lucros adquiridos, reservas de valores, valores investidos nos empreendimentos, entre outros pontos pertinentes.

Para compreender de uma forma definitiva a conceituação do patrimônio líquido, vale levar em consideração o balanço patrimonial da empresa. O balanço patrimonial é dividido em dois grupos. São eles:

– O Grupo Ativo: Esse grupo representa os bens e os direitos que pertencem à empresa.

– O Grupo Passivo: Esse grupo, por sua vez, compreende as obrigações da empresa.

Nesse contexto, o patrimônio líquido é parte integrante do grupo passivo, no entanto ele ainda é visto como um passivo do tipo não exigível. Isso porque ele diz respeito à “dívida” da pessoa jurídica diante das demais pessoas que constituem o grupo, podendo ser um empresário individual, um time de acionistas ou, até mesmo, uma sociedade.

Como calcular o patrimônio líquido?

O cálculo do patrimônio líquido é efetuado por meio dos lançamentos contábeis que são originários da operação realizada na empresa. Nesse contexto, a cada aporte de valores que é feito no negócio, o capital social receberá um acréscimo. Levando em consideração que o capital compreende uma das contas que constituem o patrimônio líquido.

Outra maneira de realizar o cálculo do patrimônio líquido é calcular a diferença existente entre o ativo total e o ativo exigível. Para isso, basta fazer uso da seguinte equação:
“Patrimônio Líquido – Ativo – Passivo”.

Para uma melhor compreensão, considere o exemplo de uma determinada empresa administrada por duas pessoas. Os dois gestores investiram na empresa o capital de trinta mil reais, sendo incluído um valor de vinte mil reais no imóvel e também nos produtos oferecidos para os clientes comprarem. Seguindo esse exemplo, o patrimônio líquido está nessa situação:

– Capital Social: Valor de trinta mil reais
– Subtraindo o Capital a integralizar: Que é o valor de dez mil reais
– Resultado do Valor do patrimônio líquido: vinte mil reais.

Depois de um mês de trabalho, os dois empresários faturaram o valor de oito mil reais, no entanto, diante de impostos e outras despesas, o valor ficou cinco mil reais. Sendo assim, a situação do patrimônio líquido está a seguinte:

– Capital Social: Valor de trinta mil reais
– Subtraindo o Capital a integralizar: Que é o valor de dez mil reais.
– Somando lucros acumulados: Que é o valor de cinco mil reais.
– Total do patrimônio líquido: Valor de vinte e cinco mil reais.

Porém, os dois empreendedores decidiram integralizar os dez mil reais que restaram do capital para investir em mais produtos. Sendo assim, após esse investimento, o valor do patrimônio líquido será representado por:

– Capital Social: Trinta mil reais.
– Lucros acumulados: Cinco mil reais.
Total do patrimônio líquido: Trinta e cinco mil reais.

 

As características do Patrimônio Líquido

No Brasil, em conformidade com o que diz a lei 6404/76, o patrimônio líquido é classificado de acordo com a seguinte divisão:

– Capital Social
– Prejuízos acumulados
– Reservas de capital
– Ajustes de avaliação patrimonial
– Reservas de lucros

O Capital social

Dentro do contexto da contabilidade, o Capital Social corresponde ao investimento realizado na sociedade entre os seus acionistas e proprietários. É importante destacar ainda que, de acordo com as leis no Brasil, o valor do Capital Social não sofre nenhum tipo de alteração. Ele poderá apenas ser mudado caso existir uma aprovação de aumentos ou, até mesmo, redução.

Até meados da década de 90, o Capital Social tinha a possibilidade de ser corrigido de forma monetária. Além disso, o investimento no Capital Social pode ser feito de duas formas:

– Por meio de ações: Caso for uma sociedade anônima
– Por meio de cotas: Caso for uma sociedade limitada

Os Prejuízos Acumulados

Eles correspondem ao saldo que restaram dos prejuízos líquidos e dos lucros que ainda não foram distribuídos, no entanto já foram apropriados para constarem no patrimônio líquido.

As Reservas de Capital

Tais reservas são o resultado de saldos em dinheiro que não contam com a capacidade de serem distribuídas para os investidores, sendo assim, elas então são integradas ao Capital Social ou, em determinados casos, compensadas como lucros acumulados.

Ajuste de Avaliação Patrimonial

Esse ajuste corresponde ao resultado do valor de avaliação dos bens comparado com o seu valor justo. O intuito do Ajuste de Avaliação Patrimonial consiste em assegurar que a estipulação do valor justo possa acontecer de uma maneira em que elementos que forçam a liquidação da transação não atrapalhem no resultado final do valor.

As Reservas de Lucro

Essas reservas correspondem as contas de reserva que são formadas pela apropriação de lucros da empresa. Em suma, as Reservas de Lucro são as reservas essenciais para a longevidade financeira da empresa, visto que são lucros que ainda não foram devidamente distribuídos para os acionistas ou demais sócios.

De acordo com o que é estipulado em lei, as Reservas de Lucro podem ser:

– Reserva Legal: Esse tipo de reserva é consolidada para possibilitar ao credor uma maior proteção. Ou seja, pode ser usada apenas com o intuito de trazer acréscimos para o capital social ou também para cobrir alguns prejuízos.

– Reserva Estatutária: Ela é determinada seguindo os preceitos do estatuto da companhia.

– Reserva para Contingências: É um tipo de reserva que tem por intuito diminuir o impacto de eventuais perdas que possam vir a prejudicar a empresa.

– Reserva de retenção de lucros: Essa é a reserva que tem a capacidade de reter alguma parte do lucro líquido para formá-la com a intenção de aumentar os negócios como, por exemplo, por meio de criação de filiais ou outros novos investimentos.

– Reserva de Incentivos Fiscais: Essa reserva indica que a empresa tem a possibilidade de constituir RIF ao receber doações para a realização de investimentos.

– Reserva de Lucros a Realizar: É destinada a partir do momento que o Dividendo Obrigatório supera o valor do Lucro Líquido do Exercício.

Enfim, todos esses conceitos englobam o patrimônio líquido, que é um dos conceitos mais relevantes na administração de uma empresa. Agora, que tal compartilhar com a gente nos comentários como foi a sua experiência com o calculo de patrimônio liquido do seu negócio?

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br