Como fazer a Análise de Concorrência Online do site da sua empresa

Vai lançar o site da sua empresa? Primeiro, descubra como pesquisar seus competidores online e garantir sua presença online.

A análise de concorrência é o primeiro passo da estratégia de presença online da sua empresa. Contudo, muitas empresas ainda acreditam que lançar um produto digital é apenas questão de apertar o botão “publicar”.

Na verdade, do mesmo modo como acontece no mundo offline, você precisa entender o seu mercado online. Se você pretende lançar um site, um ecommerce ou mesmo um blog, é preciso entender o quão competitivo é o seu nicho.

Por isso, nesse post, eu vou passar um framework com apenas 4 passos para fazer uma análise da sua concorrência online.

Confira!

Como fazer o Benchmark dos seus competidores online

“Benchmark” é um termo que se popularizou para falar da análise dos seus competidores no ramo dos negócios. De origem inglesa, o termo significa “marcação de banco” e está relacionado com a prática de equipes esportivas assistirem aos jogos de times rivais, para aprender como jogam.

Ou seja, fazer benchmark é entender como o seu competidor joga o jogo na sua indústria. O principal objetivo, então, é avaliar o quanto o seu nicho é competitivo. Assim, você pode entender o tamanho dos esforços que sua empresa deve empregar para garantir o seu espaço nesse mercado.

Quando pensamos, então, em uma estratégia de marketing digital, todas devem começar por uma boa análise da concorrência online. Do mesmo modo como funciona a análise de mercado, a análise online deve considerar os pontos fortes e fracos dos seus competidores.

Mas, você sabe por onde começar para analisar a sua concorrência online? Como você e sua equipe podem imaginar, essa avaliação deve focar em detalhes específicos das estratégias de presença online. Por isso, nesse post, vou mostrar o passo a passo para começar uma análise da competição online!

Organize suas informações (importante!)

Antes de começar, eu sugiro que você ou a equipe responsável pela análise mantenha uma base de dados compartilhada para registrar as informações. Nada melhor para isso do que uma planilha do Google Sheets, mas a sua empresa pode ter outras ferramentas preferidas.

Garanta que todos os responsáveis tenham acesso à planilha e que a entrada de dados seja padronizada. Assim, você garante um documento claro para ser usado nas fases posteriores do seu Business Intelligence.

Comece pelo Google

A porta de entrada da internet, para a maior parcela de consumidores hoje em dia, é o Google e as demais ferramentas de pesquisa. Por isso, uma análise de concorrência online deve começar entendendo como os domínios aparecem nas páginas de pesquisa do Google.

Então, comece definindo as palavras-chaves mais estratégicas para o seu negócio. Ou seja, defina que tipo de busca você quer atrair nos mecanismos de busca. Para isso, pense no tipo de demanda que a sua empresa atende e como os usuários do Google digitam essa busca.

Nisso, faça você mesmo essa busca e veja quais são os domínios que aparecem nas primeiras posições. Tente pesquisas relacionadas e veja também a seção de “As pessoas também perguntam” para entender quem são os sites que tomam mais espaço nos resultados.

Esses são os seus competidores de busca, que podem não ser os mesmos dos seus competidores no mercado. Não há uma regra geral, mas uma boa sugestão seria focar a sua análise posterior em 5 a 15 sites desses competidores.

Avaliando a competitividade de um site

Agora que você já definiu os seus competidores de busca, a sua análise da concorrência deve avaliar a competitividade de cada site. Para isso, você vai precisar de ferramentas de marketing digital como o SEMrush, Moz, Ahrefs ou o Sistrix, que são capazes de servir dados de competidores.

A competitividade de um site é o proporcional à visibilidade que ele possui em mecanismos de busca e pode ser avaliada segundo três métrica principais:

Visitas mensais

As visitas mensais são um indício claro da popularidade de um website, seja um site empresarial, um blog ou um ecommerce. Quanto menor a posição média de um domínio em mecanismos de busca, maior costuma ser as suas visitas mensais.

Autoridade de Domínio

Essa métrica, na verdade, é uma estimativa de ferramentas como o Moz e o SEMrush. Cada uma usa uma metodologia diferente, mas todas tentam se aproximar da métrica secreta que o Google usa para servir os resultados de busca.

Aliás, o Google usa um método guardado a sete chaves para avaliar a autoridade de um domínio em um certo assunto. A nota que o Moz e o SEMrush se baseiam em uma certa “engenharia reversa” do Google, mas não são exatas.

A autoridade de domínio de um website é resultado de vários fatores, mas o principal deles, hoje em dia, ainda é o seu perfil de links. “Backlinks” (ou Inbound Links) são links que sites recebem de outros. Quanto melhor esse perfil, mais autoridade um domínio possui.

A qualidade desse perfil é mais importante do que a quantidade, segundo o estado atual do algoritmo do Google. Sem entrar em detalhes muito técnicos, é sempre melhor ter poucos links de outros sites relevantes no seu nicho do que vários links de qualquer site.

Existem outras métricas. Contudo, para começo de conversa, a sua análise deve começar por essas três.

Entendo a estratégia dos sites

Você já definiu os seus competidores e já extraiu as principais métricas de sua competitividade. Agora, você precisa entender o motivo por trás do desempenho do site desses competidores. Isso depende, principalmente, do conteúdo disponibilizado pelas empresas.

Como você vai ver, conteúdo é muito mais do que artigos em blogs e posts em redes sociais. A internet oferece uma miríade de possibilidades para produtores aumentarem sua reputação e empresas aumentarem a sua relevância em certo nicho.

Confira abaixo os principais tipos de conteúdo que uma empresa pode empregar (e o que a sua análise de concorrência deve levar em conta!).

Landing Pages

As “páginas de aterrissagem”, ou as LP, do seu concorrente são as suas principais fontes de leads e conversões. Avalie a quantidade, os acessos mensais e o tipo de oferta e ação promovida.

Não se engane: landing pages que pedem apenas informações em troca de algum conteúdo gratuito também têm um importante papel na estratégia online do seu concorrente e não podem ficar de fora da sua análise.

Conteúdo online e baixável

Aqui entram todo tipo de blog, página de FAQs e conteúdo baixável como ebooks, manuais, whitepaper, planilhas e outros. Novamente, avalie quantos posts, qual a frequência de postagem do seu competidor, quantos materiais gratuitos eles oferecem e, é claro, a qualidade de todo esse conteúdo.

Uma boa maneira de fazer essa avaliação é verificar a autoria do conteúdo. O autor está creditado? São parte da empresa? Qual é a autoridade que eles têm nesse assunto? Assim, você pode avaliar a qualidade da estratégia de conteúdo.

Vídeos e redes sociais

Avaliar a rede social do seu competidor é imprescindível para analisar tanto a sua presença online, mas também o seu investimento em criação de comunidade e na sua brand awareness.

Para isso, acesse as contas desses competidores no Facebook, no Instagram, no Twitter e em todos os outros canais que sejam relevantes para ele. O YouTube não é exatamente uma rede social, mas as empresas o suam para os mesmos objetivos comerciais e de marketing.

As redes sociais não impactam diretamente a relevância de um site em mecanismos de busca, mas pode ser ótimas fontes de tráfego não-orgânico (que não vêm de mecanismos de buscas) para seus competidores. Portanto, fique de olho nas redes também!

Webinars e newsletters

As estratégias de conteúdo mais maduras lançam mão também de webinars (ou webinários) e newsletters. O que essas duas estratégias têm em comum é que, através delas, uma empresa está lutando para ser reconhecida como uma autoridade nos assuntos mais relevantes do seu nicho.

Esse tipo de iniciativa não apenas dá mais relevância à marca, como também permite criar relacionamento com clientes atuais e potenciais. Ou seja, é uma bela artimanha para aumentar a reputação da marca. Enfim, a sua análise precisa levá-las em conta.

Como é impossível ter os dados de acesso, comparecimento e interação de webinários e newsletter dos seus competidores, a sua análise deverá ser apenas qualitativa. Então, inscreva-se e assista esses conteúdos para entender os pontos fortes e fracos do seu competidor.

Bom, seguindo esses passos, você já conseguiu criar um documento muito completo para sua análise de concorrentes online! Com isso, você já tem uma noção muito mais clara seu mercado online e do que fazer para garantir seu espaço.
O próximo passo seria criar uma agenda para fazer o seu site bater e superar essas marcas no futuro.

Se ficou alguma dúvida, ou se você gostaria de fazer alguma sugestão para enriquecer o framework passado, sinta-se livre para usar o campo de comentários abaixo!

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br