Ter um bom plano é o primeiro passo para construir um negócio bem-sucedido. Porém, as ferramentas tradicionais tornam essa tarefa cansativa e demorada, coisa que nenhum empreendedor deseja. Para solucionar isso, surgiu o Business Model Canvas.

Essa é uma ferramenta cada vez mais usada, seja para a construção de novos modelos de negócios ou na expansão de empreendimentos que já existem, tendo ganhado grande destaque, especialmente pela simplicidade e eficiência.

Quer saber exatamente o que é Business Model Canvas e como aplicar isso em seu empreendimento? Continue lendo nosso post e fique por dentro do assunto. Boa leitura!

O que é Business Model Canvas (BMC)?

Você já deve ter visto ou mesmo criado um plano de negócios, que é um documento amplo e cheio de páginas que visa responder perguntas relacionadas ao mercado de atuação, público-alvo da empresa, estrutura de custos e muitas outras coisas.

Imagine esse plano de forma bastante resumida (o suficiente para caber em apenas um quadro) e visual, podendo ser preenchido em uma reunião de brainstorming com a equipe de trabalho, de forma muito mais ágil e inovadora.

Esse é o Business Model Canvas!

Em tradução livre para o português, o nome dessa ferramenta significa “quadro de modelo de negócios”. Ela, basicamente, consiste em um quadro dividido em nove principais blocos, os quais representam questões-chave para a criação de uma empresa.

A ferramenta foi criada pelo suíço Alexander Osterwalder, que atualmente é professor e consultor de negócios. Hoje ela é usada por algumas das maiores empresas do mundo, como 3M, General Electric, Microsoft e Intel.

Guia de Gestão Estratégia

Quais são os blocos do quadro de modelo de negócios?

Os blocos permanecem sempre os mesmos, independentemente do segmento ou tamanho da organização. Para que você possa preenchê-los com mais qualidade, é necessário conhecê-los profundamente. Veja:

  1. Parceiros-chave: este bloco representa quem realiza as atividades-chave que a sua empresa não faz. Defina com clareza as companhias que você contratará como parceiras, pois elas serão essenciais para que você possa oferecer um produto ou serviço atraente.
  2. Atividade-chave: diz respeito ao que a sua empresa faz, ou melhor, às principais tarefas que serão exercidas para entregar o que foi combinado com o cliente. Uma escola, por exemplo, pode colocar: planejamento de aulas, elaboração de provas, avaliação dos alunos, etc.
  3. Recursos-chave: é tudo o que é preciso para entregar o que foi prometido ao cliente. Coisas como: tecnologia, ferramentas de trabalho, equipes inovadoras, etc.
  4. Proposta de valor: a proposta de valor vai além do produto — é o que a empresa oferecerá de realmente valioso para seus clientes. Imagine uma universidade. Ela não oferece apenas um curso de 5 anos, mas a possiblidade de crescimento pessoal e profissional aos alunos.
  5. Relação com os clientes: é a estratégia que será usada para conquistar ou manter um cliente. Dentre as principais categorias de relacionamento, é possível destacar: a assistência pessoal, o self-service e o serviço automatizado (hoje muito comum).
  6. Segmento de clientes: este bloco representa seu público-alvo. Para preenchê-lo, você deve buscar responder questões como: quem são seus clientes (pessoas físicas ou jurídicas), qual sua idade, classe social, onde eles estão, etc.
  7. Estrutura de custos: representa todos os custos, diretos e indiretos, que serão necessários para manter o negócio ativo. Alguns exemplos: mão de obra, aluguel do espaço, energia, etc.
  8. Fontes de receitas: é a forma pela qual você vai transformar sua proposta de valor em recursos financeiros para o empreendimento. Os exemplos mais comuns são: venda de recursos, licenciamento, aluguel e taxa de assinatura.

Como usar o Business Model Canvas?

Agora que já sabe o que é e conhece os principais blocos que compõem essa ferramenta, veja como você pode utilizá-la para obter o máximo de resultados possível.

Imprima o quadro de modelo de negócios e utilize post-its

Para começar, você deve imprimir o Business Model Canvas. Quanto maior a folha, melhor para o preenchimento e visualização do projeto. Além disso, é indicado que se utilizem os post-its para cada um dos nove blocos, pois eles são mais fáceis de aplicar e, caso necessário, retirar.

Também existe a possibilidade de preencher o Canvas de forma online. A strategyzer é uma plataforma criada pelo próprio Alexander Osterwalder para isso. Nela, é possível imprimir o modelo desejado ou mesmo preenchê-lo pela internet.

Conheça minuciosamente o seu negócio

Apesar de ser uma técnica simples, não se deve subestimá-la e achar que é possível colocar a “mão na massa” sem conhecer profundamente seu negócio. Antes de preencher o Canvas, tire um tempo para estudar e estimule seus colegas a fazer o mesmo.

Pesquise e reflita sobre os principais pontos que serão tratados. O que seus clientes esperam da empresa? Qual o melhor meio de relacionamento com o público-alvo? Quais custos fazem parte do negócio? Como é possível monetizar a proposta de valor?

Inspire-se em outras empresas do mesmo segmento

É possível aprender muito com as outras empresas do mercado, especialmente suas concorrentes. Essa é uma estratégia chamada benchmarking, e deve ser utilizada para otimizar o preenchimento do Business Model Canvas.

Monitore, por algum tempo, outras empresas. Veja como elas oferecem seus produtos e serviços, como se relacionam com seus clientes e investem em estratégias de fidelização. Essas informações poderão te ajudar bastante!

Envolva sua equipe no preenchimento do Business Model Canvas

Essa é uma ferramenta colaborativa, ou melhor, utilizada para ser preenchida em grupo. Por isso, é indicado que equipe ou sócios sejam convidados para preencher o Canvas. Certamente, grandes ideias vão surgir, estude e estruture cada uma delas.

Uma ótima dica é a reunião de brainstorming — técnica de geração de ideias, muito indicada para quem deseja criar um modelo de negócios mais inovador. Para ter uma boa reunião de brainstorming, é indicado:

  • contar com uma equipe de até 9 pessoas;
  • ter um moderador (que será responsável por conduzir o encontro);
  • utilizar os post-its para escrever as ideias;
  • estimular a geração de ideias criativas;
  • não falar mal das ideias dos outros participantes;
  • ter um bom processo para filtrar e selecionar as melhores ideias.

Ao aplicar todas essas dicas, é possível usar o Canvas e obter o resultado desejado, criando, assim, um modelo de negócios diferenciado e extremamente atraente para os seus clientes.

Agora que está por dentro do assunto e sabe o que é e como aplicar o Business Model Canvas, aproveite para compartilhar conosco suas dúvidas ou experiências sobre o assunto. Convidamos também para que você teste gratuitamente o sistema eGestor para gestão empresarial e emissão de notas fiscais eletrônicas!

eGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br