açougue

O mercado de carnes dificilmente entra em crise. Mesmo em uma época de rigidez na fiscalização depois de tantas fraudes, muitas empresas irão crescer devido à queda dos concorrentes. O fortalecimento de alguns frigoríficos acaba dando um movimento novo ao setor inteiro. Das grandes redes de atacado a pequenos açougues, todos experimentarão o lucro advindo do apelo maior por bons produtos e preços.

Atualmente, o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de carne de frango e o quarto maior produtor de carne de porco, o que comprova a grande relevância deste mercado no país, tanto para a exportação quanto para o consumo interno. Segundo pesquisa realizada OCDE ( Organização para cooperação e Desenvolvimento Econômico), o consumo de carne por pessoa no Brasil, tende a subir 20% até o ano de 2021, o que representa em quantidade um aumento de 0,96kg para 1,5kg. Portanto, investir no ramo pode ser altamente promissor.

O consumo de carne não está ligado somente a questão de matar a fome, mas também acaba envolvendo fatores culturais e fisiológicas. A carne bovina, por exemplo, é uma fonte de proteínas e vitaminas, sendo essencial na alimentação das pessoas. 

Portanto, se você está pensando em montar um açougue, mas está com dúvida a respeito dos benefícios, saiba que poderá, sim, ter excelentes retornos.

Para lhe ajudar com seu negócio e lhe mostrar como montar um açougue, elaboramos esse artigo. Ele poderá funcionar como um roteiro com tudo o que é importante para você estabelecer seu negócio. Aqui, você encontrará as etapas fundamentais na criação de um açougue. São informações úteis para seu projeto de negócio. Acompanhe.

Planejamento

O planejamento é o primeiro ponto, mas só deve ser feito após você analisar todos os outros. Isso porque você deverá fazê-lo com base nas informações prévias de cada passo listado aqui.

Depois de pensar sobre eles, você criará um arquivo com todas as etapas do projeto, com uma lista de ações para cada uma delas. Caso ache necessário, conte com um profissional, como um contador ou consultor, pois ele facilitará esse processo para você.

Concorrência

Além dos outros açougues, você será concorrente de mercados, supermercados (às vezes redes) e mercadinhos. Por isso, é preciso conhecer muito bem cada um deles, para poder oferecer um produto melhor. O trabalho de levantar informações sobre a concorrência pode ser demorado, mas vale muito a pena. Através desses dados, você consegue vender seu produto pelo melhor preço.

Há vários meios de conhecer seus concorrentes: indo aos estabelecimentos, pagando alguém para ir ou contratando uma empresa especializada em pesquisa. De qualquer forma, é preciso comprar o produto da concorrência para conhecer o atendimento, o preço praticado e a qualidade da carne. Assim você poderá estabelecer o valor do custo-benefício de cada concorrente.

Também é possível conseguir boas informações conversando com o público que frequenta o estabelecimento. Eles darão uma ideia sobre os interesses deles naquele local, e você nem precisa contar o porquê do questionamento.

Analise também a estrutura que eles possuem e a variedade de produtos à venda. É importante fazer esse trabalho de maneira organizada. Você pode criar uma tabela com uma coluna para cada concorrente. Nela, você escreverá os pontos fortes e fracos de cada um. Em seguida, crie uma última coluna para a sua empresa, na qual escreverá o que você terá que fazer para superá-los.

É essencial que você também comercialize produtos complementares, como cervejas, refrigerantes e outras bebidas em geral, além de outros produtos essenciais para um churrasco como grelhas, tábua, carvão e álcool dentre outros, para não ficar para trás da concorrência.

Público-alvo

Não é porque você vai criar um açougue que você não irá realizar também uma pesquisa de público-alvo. O conjunto de clientes é composto por pessoas de diferentes classes sociais, mas é importante chegar ao perfil ideal. Você deve conhecer os consumidores de carne da região para entender o que eles desejam encontrar em um açougue.

Se você descobrir quanto a maioria costuma ganhar de salário, por exemplo, saberá qual o preço deverá ter para poder lucrar. Isso também irá lhe ajudar a encontrar o ponto comercial ideal e a montar a estrutura adequada a ele. 

Ebook Crescimento Empresarial

Ponto comercial

Há 4 principais fatores que geram consumo: psicológico, social, cultural e físico. Eles podem complicar seu negócio se são esquecidos. Pense no caso de um empresário que abriu um mercado de carnes gourmet em uma região de baixa renda. Ele não terá lucro porque negligenciou a cultura local. Mas se ele abrir um pequeno açougue com carnes baratas ganhará dinheiro. Portanto, analise esses fatores:

  • Psicológico: O público próximo ao ponto comercial está preparado para comprar seu produto?
  • Social: Eles desejam carnes na faixa de preço que você irá oferecer?
  • Físico: Falta açougue para suprir a demanda por carnes na região?
  • Cultural: O seu produto está adequado ao público da região?
  • Concorrência: O local está livre de açougues concorrentes que possam “roubar” o seu público?

Com base nisso, você poderá levantar informações sobre o estabelecimento ideal. Pense na facilidade do acesso e no comércio ao redor. Um açougue localizado numa rua em que as pessoas normalmente passam para ir almoçar é uma boa ideia. Mas se ele estiver do lado de um hipermercado, não.

É importante lembrar que você não deve adquirir o negócio rapidamente. Se gastar com aluguel, construção ou compra sem fazer um estudo profundo, poderá perder dinheiro. A escolha do ponto comercial costuma ser o passo mais demorado, e é melhor que seja. Isso garantirá que você não cometa erros.

Legislação

O açougue, como se enquadra em estabelecimento comercial, deve prestar contas junto aos órgãos públicos como todos os outros. Você deve mexer com a documentação com antecedência, porque esse aspecto tende a ser o mais chato na abertura de um negócio. E como há muita burocracia no Brasil, é preciso fazer com planejamento. Quanto mais cedo começar, mais cedo usufruirá dos direitos comerciais.

O ramo de alimentação, sobretudo o de carnes, possui muitas regras imposta pelo Estado. Costuma ser bastante fiscalizado, e por isso você deve ler a lei com atenção. A vigilância sanitária irá ao estabelecimento com certa frequência para checar a qualidade dos produtos, bem como a data de vencimento, o armazenamento, a condição de higiene do açougue, a maneira como as carnes são manipuladas e preparadas, os uniformes dos funcionários, o estoque, o maquinário de corte, etc.

Para evitar problemas, dirija-se à prefeitura e já obtenha a lista de toda a documentação que você precisará ter para pegar a licença de abertura. Informe-se sobre os órgãos relacionados ao setor para formalizar o pagamento de imposto e outras pendências. Além disso, você precisará ir ao corpo de bombeiros para agendar uma visita ao local, de modo a garantir a possibilidade de instalar o açougue. Algumas providências serão imprescindíveis para a legalização do seu negócio, são elas:

  • Registro na junta comercial;
  • Registro na Secretaria da Receita Federal;
  • Registro na Secretaria da Fazenda;
  • Registro na Prefeitura do Município;
  • Obtenção de CNPJ;
  • Registro no Sindicato Patronal;

Equipamentos

Entre os equipamentos necessários para a venda do produto estão: Balcões refrigeradores, balcão para atendimento, câmaras refrigeradas, freezers, moedor de carne industrial, serra para cortar carne congelada, gancheira, picador, amaciador de carne, balanças eletrônicas, mesa de corte, itens de cozinha (facas), caixa registradora, calculadora e máquina de cartões para pagamento. 

Além disso, você precisará de equipamentos para a gestão, que deverá ser colocado no escritório. Entre eles estão: Mesas, cadeiras, telefone, computador, armários e arquivos para documentos.

Existem outros tipos de equipamentos que, dependendo do tamanho do negócio, você precisará possuir. É o exemplo de veículos.

Cheque com antecedência o valor de tudo o que você irá precisar para saber quanto vai precisar pagar. Assim, se você precisar adequar ao orçamento, saberá de antemão no que gastará menos. Por exemplo, se for necessário economizar, é melhor encontrar fornecedores de móveis mais baratos, pois assim você garante um melhor equipamento de refrigeração.

Fornecedor

O fornecedor do açougue deve ser escolhido com bastante cuidado. Por se tratar de um produto que estraga com facilidade, você deve planejar cuidadosamente. É preciso saber, por exemplo, o tempo médio que a carne ficará exposta. Dar importância à rotatividade é extremamente importante para vender um produto de qualidade.

Além disso, o cliente de açougue costuma entender mais do assunto do que o que compra no mercado. Por isso, é preciso ter cuidado com a procedência de cada produto, sobretudo nos tempos de hoje, em que o consumidor está mais atento à qualidade dos frigoríficos. É possível que muitos questionem qual é seu fornecedor.

Nesse ponto, é recomendável que você sempre adquira carnes de um produtor local. Além de facilitar a logística, o preço costuma ser menor, e a carne costuma conter menos produtos prejudiciais à saúde. Ademais, com o número de denúncias de grandes frigoríficos, os produtores locais passaram a ser mais valorizados.

Investimento

O investimento inicial poderá variar de acordo com o tamanho da estrutura física, localização, produtos comercializados e outros fatores. Mas de uma forma geral, podemos estipular um valor de pelo menos R$ 40 mil para um pequeno açougue, que deve ser o suficiente para arcar com os custos referentes a aluguel do espaço em caso de não se optar por um local próprio, móveis e equipamentos, taxas de abertura do negócio e estoque inicial.

Também é importante levar em conta os custos fixos com luz, água, produtos de higiene, impostos e tributos. Soma-se a isso, em caso de você optar por contratar cerca de 5 funcionários, que é mais do que suficiente para um açougue de pequeno porte, o valor necessário para arcar com todas estas despesas gira em torno de R$ 25 mil.

Gestão

Pense que você terá muitas funções relacionadas à gestão. Mantenha o local sempre limpo, livre de odores e de acordo com os padrões de higiene. Obtenha produtos de qualidade e dê um atendimento especial, para atrair e manter o cliente. Se o açougue não estiver bem organizado e administrado, ele pode espantar os consumidores.

Você deve estar sempre buscando métodos e técnicas de gestão para melhorar a direção do seu negócio. Cursos e treinamentos são sempre bem-vindos, pois ninguém chega a um estado de perfeição. Mesmo os melhores gestores do mundo estão sempre se aprimorando. E se você contratará funcionários, é importante investir na capacitação desses profissionais. Veja alguns pontos importantes:

  • Gerência: Deve conhecer a estrutura mercadológica e as particularidades do setor de compras relacionadas ao açougue. Precisa entender de rendimento de carne e dos melhores indicadores financeiros para o trabalho.
  • Produtos: É preciso saber a legislação que regula a comercialização, os procedimentos higiênicos e as receitas. Isso é muito importante, por exemplo, com carnes temperadas, que precisam de um cuidado especial.
  • Ações operacionais: Deve conhecer tudo sobre compras, armazenamento, transporte, exposição, produção de cartazes e precificação. Além disso, é preciso saber o que mudou no ramo do negócio nas últimas décadas.

Você percebeu que para ter uma boa gestão do negócio, é preciso dar atenção a muitos fatores. Por isso, mantenha as tarefas bem organizadas para tudo funcionar como uma “máquina”. Como há muitas tarefas que você deve realizar, conte com um cronograma ou agenda bastante precisa e detalhada.

Nesse sentido, você poderá ter ajuda de um software de gestão. Ele integra, numa só plataforma, todas as ações relacionadas à administração do açougue. Você poderá controlar a chegada e saída dos produtos, os funcionários, as vendas e até a emissão de nota fiscal. Além disso, bons sistemas como o eGestor dão também informações sobre o negócio. Você consegue obter relatórios detalhados, que mostram o que está funcionando e o que deve ser descartado na sua estratégia de gestão. 

Divulgação

A divulgação do seu açougue poderá ser feita de diversas formas. Existe a publicidade mais tradicional, através da qual você faz sua empresa ser conhecida pelo “boca a boca”. Isso envolve, por exemplo, pagar para pessoas distribuírem papeis na rua ou serem “outdoors humanos”. Adquira materiais de qualidade, como panfletos, folders ou placas.

Se você contratar uma agência de publicidade, ela poderá divulgar o açougue de formas mais sofisticadas. Pode ser lucrativo, por exemplo, criar comerciais para o rádio ou a TV, anúncios em jornais ou revistas. Você também poderá pagar para uma pessoa influente fazer propaganda do seu negócio.

Outro meio que pode e deve ser explorado é a internet. Trata-se de uma maneira barata de divulgar sua empresa. Criando um site, você compartilha informações sobre a empresa e seu produto, de modo a atrair pessoas que pesquisam na web por açougues na região. Em uma página no Facebook, você pode divulgar promoções, preços especiais, descontos e muitas outras coisas de interesse do seu potencial consumidor.

Conclusão

Você percebeu que não é tão complicado montar seu açougue, desde que você comece a planejar todos os pontos com antecedência. É preciso ter atenção e dedicação, além de tempo, já que uma empresa não pode ser criada de uma hora para outra. Porém, saiba que todos os meses que você gastar no trabalho serão importantes para economizar e lucrar.

Gostou do texto? Deixe um comentário !

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br