Independente de gostarmos ou não, a moda está no nosso dia a dia. Todos os dias, quando nos levantamos, paramos para escolher a roupa que iremos vestir. E por isso estamos introduzidos nesse sistema. 

Hoje existem dois conceitos na indústria da moda: o fast fashion e o slow fashion. O fast fashion é o conceito de moda rápida. Onde toda mudança de estação é criada uma coleção nova, fazendo com que as pessoas se sintam compelidas a comprar. E o slow fashion é o oposto. É um movimento sustentável. Onde as roupas compradas são mais duradouras e mais específicas. Assim, quebrando o processo de produção em massa.

Uma alternativa para o slow fashion é o brechó. Que é uma loja de artigos usadas que são revendidos. Sendo eles, roupas, sapatos, acessórios e algumas até vendem móveis antigos. Eles surgiram com o intuito de se livrar de coisas antigas em bom estado, para não serem jogadas fora. Sendo assim, os sebos estão para os livros assim como os brechós estão para as roupas.

São relacionados com as Thrift Stores americanas. Que não são voltadas apenas a pessoas de baixa renda. Até porque, hoje são considerados “na moda”. Havendo brechós de marcas famosas, de celebridades e outros. Alguns são voltados a causas sociais e outros voltados para seu lucro. E com esse conceito te ensinaremos como montar um brechó.

Planejamento de como montar um brechó

A primeira etapa, das mais importantes. Qualquer empresa nova deve iniciar com um planejamento. Seja ele, se expandir pela cidade ou até internacionalmente. Ora ganhar visualização nas redes. Coloque no papel tudo que você pretende com o seu negócio. 

Como dito anteriormente, os brechós podem ser voltados a causas sociais. Se essa for sua intenção, entre em contato quem você quer ajudar e cheguem a um plano estratégico.

Se sua intenção é o lucro, entenda o propósito. Se esse for vender roupas antigas, ou vintages. Ou então vender roupas que estão na moda no momento.

Após definido o propósito, comece a pensar no nome que dará a sua empresa. Pode dar trabalho no início, mas escolher um nome que identifique bem sua empresa pode trazer novos clientes. Além de um reconhecimento cada vez maior.

Esse será um investimento de baixo custo. Já que no início você pode contar com doações ou até com suas próprias roupas.

A partir de então, planeje como montar um brechó com as próximas dicas. 

Para quem vender

Como citado anteriormente, defina para quem você quer vender suas roupas.

Seguindo as dicas de como montar um brechó, e partindo, por exemplo, da ideia de que seu brechó será voltado para moda atual, você poderá montar uma estratégia de marketing, planejar as roupas que irá comprar. E que além disso, ajuda na escolha do nome e do local. Observando as regiões que o seu público alvo costuma circular.

Conheça seus concorrentes

Hoje os brechós são conhecidos de todos. E para muitos é o principal local de compra de roupas. Assim, o mercado só aumenta. 

Assim, faça uma análise da concorrência. Após identificar seu foco e público alvo, investigue os outros brechós do seu bairro ou cidade. Como as peças vendidas na sua loja serão praticamente exclusivas não há tanta necessidade de investigar os produtos vendidos. Além de ser bem difícil. Mas não custa pesquisar o foco deles e como a loja é montada, para não fazer algo igual ou parecido. 

Compra de peças

Após definido seu público alvo e o que você pretende com ele, chegou a hora de encontrar os produtos. Portanto, se você não dispõe de um valor muito alto no início, pode começar juntando roupas antigas suas, da família, amigos, vizinhos, quem tiver algo para doar ou vender por um valor baixo. E sabemos que quase todo mundo tem um roupa no armário que nunca usou. Ou que não pretende mais usar. 

Assim, outras opções são procurar essas roupas em bazares e feiras. Em algumas cidades existem os chamados “Mercados de Pulgas”, que servem para comerciantes locais exporem seus produtos. Também procure em sites. Mercado Livre, Olx e outros, vendem lotes de roupas, contendo diversas peças, de vários tamanhos diferentes. E algumas vezes até calçados.

Mas se você possui um capital maior para montar seu brechó, pesquise lojas que fecharam e estão vendendo roupas mais baratas.  

Outra alternativa, que pode melhorar a relação com a população em seu entorno, é comprar roupas dos seus próprios clientes. Comprando elas por um preço mais baixo e vendendo por um valor que lhe dê algum lucro. Gerando assim um envolvimento maior com a comunidade.

Uma das coisas mais importantes na parte de roupas de um brechó, é que claramente você quer roupas que estão próprias para venda. Não é porque é uma loja de roupas usadas que elas podem estar em qualquer estado. Após a compra, procure lavar as roupas antes de colocá-las a venda. Caso nas suas compras exista alguma roupa que esteja descosturada, por exemplo, arranje tempo para arrumar isso. Claro, as que podem ser arrumadas.

Escolhendo a localização

O espaço do seu brechó é relativo. Se você está procurando como abrir um brechó, você pode querer um plano B no seu orçamento ou realmente montar uma companhia.

Ademais, existe outra opção, que seria montar um brechó online. Eles se utilizam de redes sociais e sites (como o enjoei.com.br, que você pode montar sua lojinha pagando apenas uma taxa pequena para o site) para exibir as peças que estão disponíveis. Mesmo assim, em todos os casos você precisa de um lugar para armazenar suas roupas.

Caso haja opção de alugar um lugar para expor suas roupas, é preciso levar em consideração diversas áreas. A localização, ou seja, se sua loja será montada no seu bairro ou no centro da cidade. Escolha sua localização baseando-se nos concorrentes a sua volta. E também o espaço interno do local.

E o interno?

No início sua loja não precisará dispor de um ambiente muito amplo. Principalmente se for montada em uma região residencial. 

Em alguns casos, pode ser montada na sua casa, em algum espaço vazio que caiba seus produtos. Assim como uma grande parte dos brechós começam. 

Mas, se for alugado algum lugar e sua demanda for grande, procure ter um ambiente frontal, onde as roupas serão expostas; e um ambiente para ser usado com depósito. 

Planilha de controle de estoque gratuita para download

Time de vendas

Não há necessidade de um time de vendas muito amplo nesse ramo. Afinal, normalmente quem opta por comprar em um brechó, normalmente está lá para garimpar. Ou seja, procurar algo que seja do tamanho e do seu gosto. Consequentemente, é necessário poucos vendedores.

Assim, para fazer a limpeza das roupas, pode se conseguir ajuda ou parceria com alguma lavanderia. Mas, pode até mesmo ser feita na sua casa.

E se você decidir por contratar alguém, faça questão que seu funcionário passe por um treinamento. Esse ponto é essencial para o bom atendimento da sua loja. Portanto, faça seu(s) vendedor(es) conhecer(em) os ambientes e como funciona sua loja.

Marketing e divulgação

No caso do brechó online, o marketing se faz juntamente com a venda. Que por serem usadas as redes sociais para venda, não é necessário ter outra apenas para divulgação. Ou seja, seu item será sua propaganda. 

Assim, brechós físicos, precisam de outro meio de exposição. Ele pode ser feito na internet, no mesmo plano do brechó online. Ou seja, nas redes sociais e sites. Mas também offline, tendo uma fachada que chame a atenção. Além de divulgação por folders ou flyers. 

Por dentro da legislação

Considerando que todos empreendedores querem crescer, mesmo que você comece com uma lojinha online, uma hora seu negócio vai aumentar. A partir daí, você precisa decidir o tamanho da sua empresa. Sendo assim, necessário fazer alguns trâmites legais. Seriam eles os registro da empresa nos seguintes órgãos:

  • Junta Comercial;
  • Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
  • Secretaria Estadual de Fazenda;
  • Prefeitura Municipal, para obter o alvará de funcionamento;
  • Enquadramento na Entidade Sindical Patronal em que a empresa se enquadra (é obrigatório o recolhimento da Contribuição Sindical Patronal por ocasião da constituição da empresa e até o dia 31 de janeiro de cada ano);
  • Caixa Econômica Federal, para cadastramento no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”;

Além de um registro na Previdência Social, para inscrição da empresa no INSS. E para montá-lo em um ponto comercial é necessária vistoria da prefeitura e do corpo de bombeiros da sua cidade. E claro, seguir o CDC, o Código de Defesa do Consumidor.

Controle administrativo

Agora você já sabe como montar um brechó. Mas ainda há algo faltando. Com tantos produtos circulando, tanto venda como compras, você precisa de um controle. Assim, esses dados podem ser armazenados em planilhas de controle de estoque, de fluxo de caixa ou de controle financeiro.

Ou também a partir de um software de gestão de empresas. Como o eGestor. Aqui, seu único trabalho será inserir os produtos, a venda e a compra. Todos os cálculos necessário são feitos pelo sistema. Assim como emissão de recibos, boletos e notas fiscais.

E você ainda pode testar o sistema eGestor por 15 dias grátis

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br