Apesar de toda a modernidade, a tecnologia e, especialmente a luz elétrica, as velas não saíram de moda. Elas continuaram com seu charme e ganharam importância em diversos ramos, como o da decoração, trazendo luxo e sofisticação aos ambientes. Elas também são utilizadas em festas e eventos, seja para apagar as velhinhas comemorando aniversários ou enfeitando bolos de casamento. Ainda é utilizada como forma de reverência de crenças e religiões.

Como tipo de negócio, a vela é um produto interessante, visto que é de uso contínuo e consumida rapidamente. Isto é, você a utiliza e assim que ela acaba, é necessário comprar outra para substituir. Por isso a concorrência é bastante expressiva e merece atenção na hora do planejamento para montar uma fábrica de velas. A demanda das velas comuns, as lisas, simples e brancas, é contínua, e com um histórico de compras é possível verificar altos picos de vendas durante as diversas épocas do ano. O mercado de velas decorativas vem crescendo a cada dia, bem como as aromáticas e votivas. As velas artesanais têm tido crescente expansão, visto que seu público é bem específico e condiz com a filosofia atual.

Público Alvo

O primeiro passo para montar uma fábrica de velas é elaborar um plano de negócio e com isso definir suas ações e o público-alvo. Serão velas comuns ou artesanais? Quais as necessidades do seu público? Qual o diferencial da sua fábrica? Usar a criatividade e focar em nichos de mercado tais como desenvolver produtos ecologicamente corretos, pode trazer um diferencial realmente competitivo.

Fábricas se dividem estruturalmente entre a indústria, a administração e a área da produção, além de espaços para estocar as matérias-primas, os insumos, os equipamentos e o produto final. Por isso ao pensar na estrutura deve-se levar em conta o tamanho do imóvel, mas também a localização. Pode ser afastada da cidade ou não. Mas é importante levar em consideração os fornecedores locais e/ou regionais. Quanto mais próximo, maior é a economia em transporte.

Equipamentos

Em relação aos equipamentos necessários, são eles: as máquinas modeladoras de velas comuns e/ou de sete dias, reservatório para fusão de parafina, refrigerador de parafina, maçarico para ser utilizado nos tanques, tanque para derreter e termômetro para controlar a temperatura da parafina, alinhador de pavio e as formas dos tamanhos escolhidos. Claro que não se pode excluir os equipamentos necessários às outras áreas como a administração, tais como cadeiras, mesas, e computadores, entre outros.

Matérias-primas

As principais matérias-primas utilizadas são a parafina, que é derivada do petróleo e a estearina, que pode ser usada sozinha ou para aumentar a vida útil da parafina, deixando a vela com aspecto mais brilhante, mais firme e dura. O material do pavio também pode variar, sendo utilizado comumente o barbante ou material sintético. Dependendo do mercado escolhido, entre os materiais ainda estão corantes de cores variadas, essências para perfumar e até mesmo o verniz, para as velas que são do tipo envernizadas. As embalagens merecem uma atenção a parte e devem condizer com o público-alvo escolhido no plano de negócio. Tudo deve ser pensando para agradar esse público.

Escolher bons fornecedores é condição essencial para oferecer um ótimo produto. Deve-se ter atenção à qualidade e a viscosidade da parafina ou estearina e realizar a escolha correta do pavio, levando em consideração o formato e o modelo da vela. Todo esse cuidado faz muita diferença no produto final. Corantes e aromatizantes ou óleos essenciais também devem ser adotados com cautela, em especial este último que pode ser fonte de alergias. Optar por produtos naturais pode reduzir esse fator.

Ebook Crescimento Empresarial

Investimento

O investimento deve ser pensando já para incluir a compra ou aluguel do imóvel para montar a fábrica de velas, as instalações e as reformas necessárias para deixar tudo dentro do padrão exigido pelas normas técnicas. Além da compra dos equipamentos, das matérias-primas, o transporte, os gastos administrativos. Ter uma reserva para os gastos que estejam fora da previsão e o capital de giro fazem muita diferença nesse momento. Bem como estar ciente dos principais gastos e custos e se preparar para pagar salários, tributos, comissões, encargos, impostos, segurança, água, energia elétrica, e equipamentos de proteção. Tudo deve ser anotado e fazer parte do planejamento.

Gestão da empresa

Uma das facilidades que a tecnologia trouxe foram os sistemas de gestão e montar uma fábrica de velas ou uma empresa de outro ramo hoje em dia, fica difícil não pensar em adotar esse tipo de praticidade. Fica muito mais fácil na hora de realizar o fluxo de caixa e controlar as contas, tanto a pagar quanto a receber. Isso porque os dados ficam em um lugar só e o sistema faz todos os cálculos para o seu negócio, inclusive relatórios de fluxo financeiro, futuro e DRE. O controle é maior e você sabe exatamente o que está acontecendo com o seu dinheiro, seus produtos, seus estoques e suas vendas. Controlar o fluxo de caixa faz com que você consiga se planejar de forma eficiente em relação ao controle do estoque. Você deve ficar atento ao controle do estoque para que haja harmonia, ou seja, que ele não seja pouco para que os clientes novos possam usufruir e que não fique tempo demais estocado e o investimento seja perdido.

Um bom sistema de gerenciamento faz isso por você, um controle eficiente que gere relatórios importantes sobre a movimentação do produto, histórico e com datas específicas. Sistemas como o eGestor fazem tudo isso e ainda permitem que você emita a nota fiscal eletrônica (e Danfe) e envie para seus clientes. Também é possível importar arquivos XML, evitando que você tenha que digitar as notas vindas de seus fornecedores. Planejar e contar com as novas tecnologias faz toda a diferença na hora de montar o seu negócio.

Gostou do texto? Deixe um comentário!

Ebook manual de como abrir uma empresa

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br