fbpx

Demonstração de Fluxo de Caixa: o que é e métodos de apuração

Todo empresário precisa de um controle financeiro. E, para esse controle financeiro funcionar, independente de ser um negócio que faça vendas ou serviços; é fundamental um sistema de controle do fluxo de caixa. Ainda, dentro desses aspectos ainda existem outras áreas que devem ser gerenciadas com atenção. Assim, um dos relatórios que auxilia nessa administração é o de DFC (Demonstração de Fluxo de Caixa). Muitos empresários não têm conhecimento de como fazer ou de o que é esse tipo de informação, portanto explicaremos melhor a seguir:

O que é DFC

O DFC, ou demonstração de fluxo de caixa, é o controle de entradas e saídas durante determinado período. E, consequentemente, é o resultado dessa movimentação também. 

Ele serve para melhorar todo o controle do fluxo de caixa ajudando assim, na tomada de decisões relacionadas ao futuro da empresa. Elas podem ser desde novos investimentos até corte de gastos, tornando-se de suma importância.

Afinal, de que adianta ter dinheiro em caixa, ter imóveis e outros patrimônios, mas ter dívidas? O fluxo de caixa tem exatamente a função de ajudar com isso. Ele controla todos os valores que entram, sendo eles todos os pagamentos de clientes, vendas e outros; mas também, todos os valores que saem, como pagamento de funcionários, compra de materiais, reposição de estoque, e vários outros.

A DFC está relacionada ao DRE (Demonstrativo do Resultado do Exercício), afinal, também pode ser incluída no balanço patrimonial.

Essa informação é obrigatória para empresas de capital aberto e as com patrimônio líquido superior a R$ 2.000.000,00 e para PMEs. Essa é uma demonstração de fluxo de caixa apresentada anualmente.

Estrutura de uma Demonstração de Fluxo de Caixa

A Demonstração de Fluxo de Caixa deve conter itens essenciais. Ele normalmente é composto pela divisão em 3 grandes áreas:

Atividades operacionais

As atividades operacionais da DFC abrangem os gastos e despesas relacionados às atividades geradoras de receita da empresa. Essas atividades podem ser:

  • Contas a pagar e receber
  • Impostos
  • Pagamento de fornecedores
  • Recebimentos de clientes.

Por essas serem recursos ligados à atividade principal da empresa, tem associação direta com o capital circulante líquido. Assim, o cálculo dessas atividades se dá pelo valor utilizado para produzir e vender o produto ou realizar o serviço menos o valor recebido por eles. 

Estão relacionadas, normalmente, ao ativo e passivo circulante do balanço patrimonial.

Atividades de investimento

Essas são atividades ligadas a investimentos realizados pela empresa relativos a patrimônios de longo prazo. Eles podem ser: 

  • Compra de imóveis
  • Móveis
  • Veículos
  • Investimentos financeiros
  • Recebimento de valores

São patrimônios de longo prazo porque, para ser considerado atividade de investimento, ele não pode ter sido comprado com a intenção de venda rápida. Portanto, estão relacionadas diretamente ao ativo não circulante do balanço patrimonial. 

Atividades de financiamento

Essas são o passivo circulante e não circulante juntamente do patrimônio líquido.

Do passivo, estão incluídos nessas atividades financiamentos e empréstimos; do patrimônio líquido são consideradas as novas entradas que são os investimentos novos dos sócios; e das saídas podem ser a divisão dos lucros, por exemplo.

Resultado da DFC

O resultado de uma demonstração de fluxo de caixa é a soma de todos os resultados líquidos investigados em cada grupo de atividade. É preciso igualar a diferença dos saldos do início e do fim do período analisado.

Métodos para fazer o DFC

A DFC pode ser feita por dois métodos diferentes: direto e indireto. Eles são derivados do balanço patrimonial e do DRE de certo período de tempo, servindo para uma avaliação mais precisa dos dados.

Método indireto

O método indireto de fazer a demonstração de fluxo de caixa se refere à relação entre o resultado do caixa das atividades e o lucro líquido. Esse é concernente a estoque, e contas a receber ou pagar, por exemplo.

Ele é relativo aos lucros ou prejuízos resultados no DRE, e por isso é chamado de indireto. Justamente por esse motivo, não é tão utilizado, já que não é o mais apurado.

Segundo o Manual da Contabilidade Societária, o método indireto, conhecido também por método da conciliação deve:

  • Retirar do valor do lucro líquido as ações de adiantamento de cartões, créditos tributários, gastos antecipados e outros. Assim como as contas a serem recebidas futuramente, ou alterações futuras de caixa.
  • Dispensar do lucro líquido procedimentos derivados das atividades de financiamento e de investimento

Método direto

O método direto da demonstração de fluxo de caixa se refere a pagamentos e recebimentos relacionados ao caixa bruto da empresa. É o método mais usado para fazer a DFC.

Novamente, segundo o Manual da Contabilidade Societária, eles devem conter:

  • As atividades operacionais:
    • Recebimento de clientes;
    • Pagamentos de fornecedores;
    • Despesas administrativas;
    • Pagamentos ao governo
  • As atividades de investimento:
    • Compra de ativo permanente;
    • Recebimento de dividendo.
  • As atividades de financeiro:
    • Financiamentos;
    • Integralização de capital;
    • Empréstimos bancários;
    • Divisão de lucros.
Atividades operacionaisValores
(+) Recebimento de clientesR$
(-) Pagamento a fornecedoresR$
(-) Despesas administrativas e comerciaisR$
(=) Caixa obtido pelas atividades operacionaisR$
Atividades de investimento
(-) Compra de ativoR$
(+) Recebimento de dividendosR$
(=) Caixa obtido pelas atividades de investimentoR$
Atividades de financeiro
(-) Pagamento financiamentoR$
(+) Integralização de capitalR$
(=) Caixa obtido pelas atividades de financeiroR$
Saldo de disponibilidadesR$

Para um controle de fluxo de caixa mais simples, é possível utilizar uma planilha de fluxo de caixa do Excel, por exemplo. Ela, juntamente com uma planilha de controle financeiro, ajudará no gerenciamento de contas, com a previsão de caixa e com a organização do seu negócio em geral.

Vantagens

A demonstração de fluxo de caixa trará apenas benefícios para a empresa. A única coisa que pode ser considerada um prejuízo é o tempo para a realização. Mas, para isso, é possível contratar um escritório contábil de fora da empresa para fazê-lo, o que irá diminuir também possíveis erros.

Dentre essas vantagens estão:

  • Traz dados de forma simples, sem interposições de leis fiscais;
  •  O relatório serve como auxiliar na tomada de decisões futuras dentro da empresa, avaliando a necessidade de empréstimos ou a possibilidade de novos investimentos;
  • É uma forma de novos investidores terem segurança, um bom relatório pode trazer novas aplicações;
  • Também é um método de fazer comparações com o passado da empresa, podendo assim avaliar seu crescimento.

Como controlar o fluxo de caixa

Mas, caso haja um crescimento maior e a planilha não suprir mais as necessidades da sua empresa, está na hora de migrar para um sistema mais completo de gerenciamento. E o eGestor é o que você procura. Ele possui um sistema completo de movimentações financeiras, tal como o total disponível em caixa a partir das vendas e pagamentos inseridos no sistema. 

Além disso, gera relatórios diversos. Como um relatório de fluxo de caixa periódico, relatório de curva ABC, de comissionamento de funcionários, assim como o DRE.

Início 9 Sistema de Gestão 9 Controle Financeiro 9 Demonstração de Fluxo de Caixa: o que é e métodos de apuração
Escrito em: 19/04/20
<a href="https://blog.egestor.com.br/author/pedro-henrique-escobar/" target="_self">Pedro Henrique Escobar</a>

Pedro Henrique Escobar

Pedro Henrique Escobar é formado em Administração e gerente de marketing no eGestor. O eGestor é uma ferramenta online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: eGestor.

Comentários:

Compartilhe seu comentário, dúvida ou sugestão!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar…

Fluxo de Caixa: Guia de como fazer o da sua empresa

O que é o fluxo de caixa?O fluxo de caixa é o controle de todos os valores que entram e saem do financeiro da empresa. Qual o objetivo do fluxo de caixa?O objetivo do fluxo de caixa é garantir a saúde financeira do negócio, assegurando...

NFC-e (Nota fiscal de consumidor eletrônica) [Atualizado]

Emitir NFC-e Todo produto ou serviço vendido, deve ter sua comprovação fiscal e um dos meios de atestar essa transação é a nota fiscal. Afinal, ela dá segurança tanto à empresa que vende o produto, quanto ao consumidor que o compra....

Guia do MEI: Tudo sobre o MEI – Blog do eGestor

O MEI (Microempreendedor Individual) é um tipo de empresa voltado para formalização de profissionais autônomos. O custo para abrir um MEI é zero. Os impostos pagos pelo MEI são o ICMS, pela venda de mercadorias, o ISS, por prestação de...

ERP: O que é e vantagens [GUIA COMPLETO]

Teste Grátis A administração de uma empresa acontece diariamente, com processos e controle que devem ser feitos a todo momento. Esses processos são o que mantém a empresa funcionando, e esse controle é o que mantém as contas em dia e os...

Nota fiscal eletrônica: tudo o que você deve saber [ATUALIZADO]

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um documento cuja função é atestar a venda de um produto ou a prestação de um serviço. Ela foi desenvolvida com o objetivo de substituir alguns sistemas de impressão de documentos fiscais em papel. Assim...

Gestão empresarial: guia definitivo para o sucesso do seu negócio

Toda empresa precisa ter um objetivo, uma missão maior que guie todas as suas atividades. Independente de qual for esse objetivo, ele tem tudo a ver com a gestão empresarial. Isso porque é através de uma gestão empresarial competente e...

Controle de Estoque: Como fazer um controle profissional

Porque o controle de estoque é tão importante para a empresa? O estoque é o principal ativo de uma empresa, sendo a forma mais importante de fazer dinheiro. Por isso, ter total atenção a gestão do estoque é de extrema importância. Se a...

Faturamento: O que é, como calcular e aumentar o seu

Porque o faturamento é tão importante para a empresa? Porque ele é o dinheiro que a empresa recebeu em um período, que mostra se ele foi bom ou não. Acompanhar o faturamento se sabe quanto a empresa pode gerar de capital. Ele também é...

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): o que é e quem emite

A NFS-e, ou Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, é um dos tipos de notas fiscais que existe juntamente com a nota fiscal, a nota fiscal do consumidor e o conhecimento de transporte. Elas são úteis para empresas que tem como uma das funções...

Controle financeiro empresarial: Como fazer passo a passo

Passo a passo para fazer o controle financeiro da sua empresa Faça o controle do fluxo de caixa Separe custos e receitas Planejamento de recebimentos e pagamentos Registre todas as operações financeiras Tenha um orçamento bem estruturado...