Como a tecnologia dá apoio à gestão de indicadores financeiros?

Diferente do modelo mais conhecido de gestão, que foca nos processos, a gestão de resultados se direciona para o cumprimento de objetivos e metas. Que são baseados nos valores definidos pela empresa. A gestão por resultados tem como fundamento o comprometimento real da equipe e o empenho de todos, inclusive dos gestores, para o cumprimento da meta.

O gestor avalia todos os trâmites da empresa para reorganizar suas equipes e direcionar funções e prazos. Mas, na verdade, seu papel mais importante é transformar seus colaboradores em auxiliares plenamente envolvidos com os objetivos. A partir de transformações profundas da empresa.

Como Surgiu a Gestão de Resultados

Do inglês “management by objectives” ou “management by results”, a proposta de gestão de resultados chegou ao Brasil através de grandes empresas multinacionais. Até chegar a outras da iniciativa privada e com muitos debates para ser inserida no poder público.

Foi o austríaco Peter Drucker quem utilizou o termo “gestão por resultados” pela primeira vez, em 1954. Drucker era escritor, professor e brilhante consultor administrativo. Considerado o pai da administração atual. A partir dele, o setor administrativo se voltou para a globalização e o direcionamento sobre as pessoas que fazem parte das empresas.

Drucker afirmava que o esforço de vendas é reduzido quando tudo na empresa funciona como previsto no estoque, distribuição, preço e oportunidade. A venda é consequência de uma empresa inteira comprometida na qualidade do produto final.

Em seu livro The Practive of Management, Peter Drucker faz desafios empresariais aos gestores. Propondo uma administração muito mais agressiva e ao mesmo tempo partidária e envolvente. Nada mais perfeito para os dias atuais do que uma gestão por resultados.

A gestão de resultados e os funcionários

O foco nos resultados não são direcionados apenas ao setor de vendas. Que em geral é mais sensível as ações que visam o comprometimento de metas, mas a todos os setores da empresa. Onde cada um tem sua cota de comprometimento e objetivo a ser alcançado, que vai se renovando a cada mês.

O gestor precisa saber delegar funções e preparar uma estrutura dinâmica e sólida para que os colaboradores se sintam envolvidos com a empresa. Com voz ativa, liberdade para opinar com críticas e sugestões, os funcionários se sentem realmente fazendo parte da engrenagem. E a partir disso, se envolvem cada vez mais com a busca pelos resultados.

Ao decidir direcionar sua administração para a gestão de resultados, a empresa compreende que atingi-los fazem parte de todo o processo de gestão. Todos juntos são parte do resultado positivo ou negativo causado pela condução dos trabalhos. Unidades integradas, assim como setores e funcionários, cada um com sua atribuição para atingirem um único objetivo.

Como chegar aos objetivos?

Embora o foco seja chegar à meta e não como chegar até ela, equipes desorganizadas e independentes não conseguem chegar ao objetivo conjunto. Um funcionário que entende que precisa apenas apresentar o resultado, sem se preocupar na organização de como chegar até ele, dificilmente vai conseguir isso. Cada empregado é medido de acordo com o que faz, sempre comparado ao seu desempenho real e o que conseguiu conquistar com ele.

Esse tipo de gestão não intitula um líder que faz escolhas e cria sozinho um planejamento estratégico. É o conjunto quem o faz e são os empregados quem estabelecem as metas junto com seus gestores. A partir de dados reais das possibilidades da empresa, da equipe e dos próprios gestores. O que proporciona metas muito mais justas e condizentes com a realidade do que àquelas impossíveis de serem realizadas.

Essa união faz com que não haja regras muito rígidas e sim o compromisso com o final do prazo. Se as diretrizes forem cumpridas com rigor, não importa a forma como elas são realizadas. Dentro desse tipo de orientação, profissionais que fazem Home Office, por exemplo, tem a liberdade de trabalhar em nuvem, sem que haja compromisso em bater ponto. Mas ele sabe que precisa apresentar resultados para continuar usufruindo de sua liberdade. E cada vez mais empresas optam por funcionários Home Office, que barateiam o custo diário da empresa e trazem para si um funcionário muito mais comprometido e relaxado.

Organizando a gestão de resultados dentro da empresa

Não é uma tarefa fácil mudar o tipo de gestão, e muito menos é feito rapidamente. É preciso estudar o processo, avaliar os riscos e vantagens, conhecer muito bem como funciona a equipe e como está o andamento logístico da empresa.

Mudar uma cultura pode levar tempo e muita ação objetiva e firme para que não haja gargalos no meio do caminho, quebrando o ritmo aderido.

A primeira etapa para se atingir chegar as metas estabelecidas é que os gestores tenham uma visão muito clara sobre o planejamento estratégico definido, as ambições da empresa e os seus maiores objetivos.

Em seguida, os colaboradores devem ser reunidos para que essas definições sejam lapidadas e até mesmo novos prazos sejam realinhados. Os acordos com os funcionários são fundamentais para que a gestão de resultados seja sedimentada.

Guia de Gestão de Equipes

Mensuração de resultados

A partir das definições e compromissos selados, é a hora da monitoração do processo. Há aplicativos e softwares muito uteis para mensurá-los. E é antes do resultado final do prazo que os pré-resultados são avaliados entre todos, para compreender o que funcionou ou não e o quanto falto para se atingir o sucesso da meta.

Já no final os desempenhos individuais são avaliados e julgados conforme o resultado apresentado. Quando há o cumprimento do objetivo, ou chegou-se muito próximo dele com a equipe tendo se dedicado com afinco para isso, todos recebem recompensas satisfatórias e condizentes com o esforço, em prol da renovação das energias para a próxima meta.

Quando uma empresa adota a gestão por resultados ela conquista a motivação dos colaboradores, que se envolvem em todo o processo e se sentem reconhecidos pelo esforço e o valor do trabalho empenhado. Da mesma forma como a comunicação ganha, já que para que esse tipo de gestão funcione ela precisa estar uniforme e consistente. E com o tempo e a ajuda dos próprios colaboradores, os processos acabam se aprimorando, os objetivos ficando ainda mais claros e ordenados, e o aumento da autoestima de todos profissionais acaba sendo um dos maiores ganhos pessoais da administração.

Gostou do texto? Deixe um comentário!

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br