PIX

Criado ainda em 2019 pelo Banco Central, o PIX inicia dia 3 de novembro e deve estar em pleno funcionamento até 16 do mesmo mês. Seu intuito é fazer com que os custos das operações de pagamento sejam mais baixos do que são hoje. Mas como?

O que é o PIX

O PIX é outra forma de fazer pagamentos e transferências pela internet. A ideia é fazer com as transferências que antes eram feitas através de TEDs e DOCs cheguem mais rápido e custem menos.

Enquanto esses meios de transação possuem suas regras, valores altos e dias para o pagamento, o PIX não possui dia exato e são gratuitas para pessoas físicas.

Dessa forma, pessoas físicas podem fazer transferências imediatamente e de graça. A exceção da gratuidade fica com as empresas, essas devem pagar um valor para fazer suas transferências.

Como funciona o PIX

Existem 3 formas de fazer uma transferência com o PIX:

  • Inserindo dados de quem vai receber o valor: Essa maneira ocorre da mesma forma que TEDs e DOCs. É necessário identificar CPF, nome, agência e conta do banco. 
  • Com uma chave PIX: as chaves são ‘apelidos’ utilizados pelo banco na hora de fazer uma transferência. Dessa forma, é utilizado apenas um dado e não, todos que eram solicitados anteriormente. Essas chaves podem ser:
    • E-mail;
    • Telefone;
    • CPF;
    • Ou uma sequência aleatória que é gerada pelo Banco Central.
  • QR Code: Para realizar uma transferência também é possível que o aplicativo de celular do pagador leia o QR Code do recebedor e pronto. 

Como era feito antes

Para fazer transações bancárias a pessoas com conta em outras instituições era necessário fazer um TED ou DOC. 

TED é sigla para Transferência Eletrônica Disponível. Fazendo um TED, o dinheiro será enviado e creditado na conta do recebedor até as 17h do dia da transação. Caso ele seja feito após as 17h, o dinheiro estará na conta no dia seguinte. 

Já o DOC é sigla para Documento de Ordem de Crédito. Com o DOC, o valor transferido cai na conta no dia seguinte. Entretanto, se a transação for feita após as 22h, ela pode levar mais de um dia útil. 

Também, o DOC possui um valor mínimo de R$ 4.999,99, enquanto o TED não possui nem valor mínimo nem máximo.

Chaves PIX

Como o PIX também funcionará com chaves de segurança, é preciso entender esse método.

As chaves do PIX são apelidos criados na sua conta no banco. Elas podem ser e-mail, telefone, CPF ou uma sequência criada aleatoriamente pelo Banco Central. 

Dessa forma, basta enviar a sua chave PIX para o pagador. Assim, ele não precisará inserir mais nenhum outro dado. 

Também, pessoas físicas podem cadastrar até 5 chaves por conta e pessoas jurídicas podem cadastrar até 20 chaves por conta. É importante estar atento pois uma chave usada em uma conta não pode ser usada em outra.

Em caso de troca de e-mail ou número de telefone, é possível solicitar nova chave e apagar a antiga. Também, em caso de a chave já ter sido utilizada é possível reivindicar a titularidade da mesma no aplicativo do banco. 

Qual a diferença do Pix para o TED ou DOC

Existem diferenças entre TED e DOC, como o horário de depósito e valores, mas as diferenças entre os dois e o PIX são bem maiores.

Enquanto TED e  DOC são movimentações pagas, com valor estipulado pela instituição de transferência, o PIX é de graça para pessoas físicas. Pessoas jurídicas pagarão uma taxa, mas ainda menor que dos outros tipos de transação.

Também, a questão de tempo para entrada do dinheiro na outra conta é uma vantagem do PIX. Enquanto TED e DOC podem levar mais de um dia útil, o PIX faz com que o dinheiro entre imediatamente. 

Mas não se preocupe! Esse não é o fim do TED e do DOC. Esses métodos de pagamento seguirão a sua disposição.

Como funciona o pagamento

Ao fazer uma transação com o PIX, o valor entra na conta imediatamente. Porém, para fazer um pagamento é necessário que o recebedor aceite esse tipo de pagamento.

Também, para realizar uma transação, não é necessário ter conta em banco. O PIX irá funcionar com fintechs, como PicPay e Mercado Pago. Mas é importante estar atento, afinal, instituições com menos de 500 mil clientes não precisam, obrigatoriamente, utilizar o PIX.

E atenção, o PIX possui diversas facilidades em comparação com outros tipos de transação, mas ainda assim é importante estar atento aos dados de quem irá receber o dinheiro, uma vez que o mesmo não pode ser estornado. Em caso de erro na transferência, é necessário contar com a boa vontade de quem recebeu o valor. 

É possível sacar dinheiro através do PIX?

Ainda não. Mas isso não é motivo para desespero. A ideia do Banco Central é que a partir de 2021 seja possível fazer saques. 

Também, esses saques poderão ser realizados em qualquer estabelecimento comercial. Dessa forma, a pessoa que atende gera um QR Code, você realiza o pagamento e pode retirar o dinheiro, de forma rápida e sem complicações.

Considerações finais

O PIX surgiu para facilitar a maneira como fazemos transações bancárias hoje. Apesar de ainda termos muito receio quanto a novidades digitais que mexem com o nosso dinheiro, é possível ficar seguro sabendo que o projeto foi desenvolvido pelo próprio Banco Central.

Também, as chaves do PIX são os próprios dados do pagante e do pagador. Dessa forma, existe ainda mais segurança sabendo para quem se está pagando.

Entretanto, é preciso ficar atento pois alguns lugares irão demorar para aceitar esse método de pagamento!

eGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas - PIX

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br