fbpx

Formas de pagamento: 10 formas para seu negócio

Quem possui uma empresa comercial precisa se atentar para muitas questões. Quando falamos de venda, um dos principais pontos para se observar é a forma de pagamento oferecida aos consumidores.

Se você disponibiliza apenas um ou poucos métodos de pagamento, saiba que pode estar perdendo muitas vendas.

Quer conhecer as principais formas de pagamento, além de descobrir como escolher as que mais se adequam ao seu negócio? Neste texto, vamos falar tudo o que você precisa saber. Fique conosco e confira!

O que são formas de pagamento

As formas de pagamento são os meios que a empresa oferece para que um cliente faça o pagamento. Ou seja, após comprar um produto ou adquirir um serviço, se o cliente opta por pagar em dinheiro, a forma de pagamento foi dinheiro em espécie.

Basicamente, todas as formas de pagamento são alternativas de usar o dinheiro. O pagamento por cartão de débito é dinheiro diretamente da conta, por exemplo. Mas, sem precisar carregar o dinheiro físico e com um melhor controle, em função do registro.

Por isso mesmo, o método mais comum é o dinheiro. Uma vez que ele é aceito em qualquer lugar, foi criado um meio de substituição, o Pix. Esse tem se tornado uma forma de pagamento muito utilizada, principalmente, devido a pandemia, onde houve maior necessidade de cuidado com a higiene.

Quais são as melhores formas de pagamento?

Existem inúmeras formas de pagamento disponíveis no mercado. Nem sempre todas as opções são viáveis para um negócio. Contudo, os métodos essenciais precisam se fazer presentes para, com isso, evitar a perda não apenas de vendas, mas de potenciais clientes. Conheça as principais maneiras de realizar um pagamento:

1. Dinheiro

O dinheiro vivo ou pagamento em espécie é uma forma de pagamento do qual o uso tende a declinar. Com a ascensão de maneiras de pagar mais tecnológicas, como os cartões, por exemplo, ela possivelmente perderá espaço.

No entanto, segundo indica uma pesquisa feita pelo Banco Central do Brasil (BCB) no ano de 2018, o dinheiro ainda é a principal forma de pagamento escolhida pela população brasileira.

O estudo aponta que 96% das pessoas entrevistadas disseram adotar o dinheiro como principal método de pagamento, demonstrando uma queda de 4% com relação a uma pesquisa semelhante realizada em 2013.

Além disso, no Brasil, o pagamento em espécie é utilizado principalmente em compras abaixo de R$ 50, sendo que 68% dos entrevistados disseram levar, no máximo, esse valor na carteira.

Formas de Pagamento

2. Boleto bancário

Em compras online, o boleto bancário pode ser considerado o equivalente ao dinheiro. Seu uso é bem grande em e-commerces, pois é uma opção mais tradicional, além de viabilizar a compra para quem não dispõe de outros métodos, como cartões de débito e/ou de crédito.

Para a empresa, ao optar por ter esse método dentre as formas de pagamento, é essencial se atentar aos valores das taxas de emissão cobradas pelas plataformas de gestão de boletos. Elas podem ser bem altas, mas, escolhendo um bom sistema, você poderá lidar bem com esse problema.

3. Cartão de crédito

Faz anos que o Cartão de Crédito está no gosto do povo brasileiro. Nos serviços online, ele é o método de pagamento predileto, enquanto, nos meios físicos, perde apenas para o dinheiro vivo e Cartões de Débito.

O estudo do Banco Central aponta que, quanto maior o valor da compra, maiores são as chances do cliente optar por utilizar cartões de crédito na hora de pagar.

Segundo dados, em compras a partir de R$ 100,00, essa já é a forma de pagamento preferida dos brasileiros. A partir desse valor, já alcançam 35% os adeptos do Cartão de Crédito, chegando a 43% em compras a partir de R$ 500,00.

Diante das estatísticas, pode-se dizer que a possibilidade de parcelamento garantida pelos Cartões de Crédito é o principal fator que o fazem ser tão querido. Por isso, é importantíssimo que sua empresa inclua esse método de pagamento dentre suas opções. Cartão de Crédito não pode faltar!

4. Cartão de débito

Segundo dados do Banco Central do Brasil, a maior parte das compras pagas com o Cartão de Débito estão entre R$ 50,00 e R$ 100,00 reais. Além disso, conforme a pesquisa, 76% dos estabelecimentos aceitam esse método de pagamento.

Muita gente não se adapta muito bem ao Cartão de Crédito, principalmente pela possibilidade de se ter um limite maior do que a renda, o que pode ocasionar dívidas. Além disso, também existem muitos problemas com pagamento em espécie, pois quem anda com dinheiro é o principal alvo de assaltantes. Diante desse cenário, as compras pagas pelo Cartão de Débito se popularizam.

Para o comércio, essa é uma opção positiva, pois os cartões (tanto de crédito quanto de débito) trazem a segurança de receber em dia os pagamentos. Quando o cliente realiza a transação, ele paga à administradora do cartão que, por sua vez, fica responsável por retornar o dinheiro ao estabelecimento.

5. Cheque

O cheque é uma forma de pagamento que está quase totalmente em desuso. Segundo o BCB, apenas 16% dos estabelecimentos aceitam esse modo de pagamento, sendo que há informação de ser utilizado apenas em 1% dos pagamentos.

Esse método de pagamento pode ser vantajoso para o cliente devido à possibilidade de parcelamento por meio de cheques pré-datados. No entanto, não existe nenhuma vantagem para o empreendimento, visto que é muito pouco seguro e as chances de inadimplência são altíssimas.

6. Pix

O pix é um meio de pagamento relativamente novo. Ele foi criado em 2020 e em menos de um ano já representava cerca de 30% das transações bancárias.

Isso acontece porque o Pix é a forma de pagamento que permite que o valor entre na conta de quem recebe quase que imediatamente. Ao contrário das outras transações, como TED e DOC, que podiam demorar mais de 24h e não funcionavam após certo horário, o Pix funciona 24h por dia e 7 dias por semana,

Ainda, ele é totalmente gratuito, fazendo com que se possa enviar valores de qualquer banco para qualquer banco, a qualquer hora do dia sem ter que pagar nada. Outra vantagem é que pode ser utilizado tanto por pessoas físicas como por pessoas jurídicas.

7. Pagamento recorrente

As compras parceladas são ótimas para quem não tem o dinheiro todo em mãos. Mas, até pouco tempo, elas eram feitas apenas com boletos, os famosos carnês, ou boletos. Com a disseminação dos cartões de crédito, eles começaram a fazer parte desse parcelamento, principalmente porque são uma garantia de que a loja receberá esse valor.

O problema é que muitas vezes o valor compromete o limite total do cartão. Assim surgiu o pagamento recorrente.

O cartão de crédito segue registrado para os pagamentos futuros, mas ele não ocupa o limite do cartão de crédito, com o valor sendo creditado na recorrência. Então, todo mês, na data combinada, esse valor é creditado. Por exemplo, podemos citar os serviços de streaming. O contratante assina um serviço por um período de tempo e o valor só é creditado no cartão na data da cobrança.

Essa forma de pagamento também consegue fidelizar o cliente.

8. Transferência

Lojas virtuais não podem receber pagamentos em dinheiro ou cheque. Por isso, uma das maneiras mais utilizadas é a transferência online. Assim, o cliente transfere o valor para a conta da empresa ou do responsável e envia o comprovante da transação.

O envio do comprovante é necessário porque o dinheiro pode demorar algumas horas para entrar na conta. Quem recebe o pagamento está livre de taxas.

9. Crediário

O crediário é um dos meios de pagamento que permite o parcelamento. Mas, ele não garante o pagamento do valor. Isso acontece porque o crediário são boletos emitidos para o pagamento na loja ou em lotéricas.

10.WhatsApp Pay

Em maio de 2021 foi criado o WhatsApp Pay, um método de pagamento que pode ser feito diretamente na conversa do aplicativo. Ele está disponível tanto para pessoas físicas como pessoas jurídicas, as contas comerciais.

Para realizar um pagamento pelo WhatsApp Pay é necessário cadastrar um cartão de débito, para realizar tanto o pagamento como o recebimento dos valores.

11. Link de pagamento

Com a crescente das lojas criadas pelas redes sociais, uma nova necessidade surgiu: o link para pagamento. Esse meio eletrônico de pagamento permite que um link seja enviado ao consumidor para que este realize o pagamento da forma que escolher. Ou seja, o consumidor pode escolher entre realizar o pagamento através do cartão de crédito, boleto, pix, saldo da conta, o que for melhor no momento.

Quais os meios de pagamento mais usados?

Uma pesquisa realizada pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), em agosto de 2021 nos informou quais as formas de pagamento mais utilizadas.

Segundo a pesquisa, cerca de 41% dos entrevistados utilizam o cartão de débito como principal método de pagamento no dia dia, 40,6% utilizam o Pix, 40,2% o dinheiro, 9,3% o boleto e 0,2% usam o WhatsApp Pay.

Os principais motivos para o uso do cartão de débito como principal meio são: mais rápido e prático, controla melhor os gastos, é mais seguro e é mais aceito nos estabelecimentos.

Já o Pix, que vem se tornando um dos queridinhos, é mais utilizado por ser rápido e prático, evitar ou minimizar contato com máquinas ou pessoas, a segurança, ser mais aceito e por permitir controlar melhor os gastos.

Quais formas de pagamento parcelado?

Uma das formas mais comuns de parcelamento é através do boleto. Mas, por não garantir segurança no pagamento, ele vem perdendo lugar para o cartão de crédito.

Principalmente com o crescimento de serviços com recorrência, o uso do cartão de crédito tem se tornado indispensável. Também utilizado nas compras online, ele permite realizar o parcelamento em algumas vezes, podendo ser com juros ou sem juros.

Mas, uma nova forma de pagamento vem tomando espaço: o Pix parcelado. Ele funciona da mesma forma que um serviço de recorrência. Ou seja, para realizar um pagamento por Pix parcelado, basta ir até a área Pix, selecionar o valor e escolher o número de parcelas. Após concluir o processo, o valor é debitado da conta e assim acontece todo o mês equivalente a quantidade de parcelas.

Por que ter várias formas de pagamento?

Vamos imaginar uma situação hipotética. Está chegando o inverno, e o José da Silva percebeu que precisa comprar um casaco de moletom. No mesmo cenário, você e sua empresa trabalham com a venda de roupas.

O José pesquisou em um buscador online e encontrou sua loja virtual. Procurando as opções disponíveis, descobriu um casaco que amou. Colocou no carrinho, mas, na hora de realizar o pagamento e efetivar a compra: “— Cadê a opção de pagar por boleto?”. Ele não encontrou e foi para o seu concorrente procurar o produto que precisa.

Essa é uma história hipotética, mas é muito fácil de acontecer na realidade. Se um potencial cliente entrar em sua loja e não tiver a forma de pagamento que ele está procurando, mesmo que o seu produto agrade muito, as possibilidades de abandono de carrinho são gigantes.

Sem contar que, se uma pessoa deixar um produto por falta da opção procurada de pagamento, as chances de ela não voltar a procurar sua loja são consideráveis.

Diante disso, fica clara a importância de disponibilizar uma gama numerosa de métodos de pagamento. Assim, as chances de seu cliente iniciar e concluir uma compra crescem exponencialmente. Você não deseja perder vendas, não é mesmo?

Como escolher a melhor forma de pagamento para seu negócio?

Não existem segredos ou fórmulas mágicas para escolha das melhores formas de pagamento a serem disponibilizadas em seu negócio comercial.

O ponto-chave para essa decisão é simples: optar pelo método de pagamento que melhor se adeque às necessidades do seu cliente ideal. Conhecer bem o seu público alvo é um fator determinante para o sucesso de seu negócio. Por isso, tenha foco no cliente que você terá êxito em suas escolhas!

Segurança

Além de escolher a forma de pagamento que mais se adapta ao seu negócio, é preciso estar certo de que ela é segura.

Mas, não só os negócios que vendem online devem ter essa segurança. Como citamos acima, o uso do crediário pode não trazer a empresa à segurança de que ela irá receber o valor, uma vez que se tem apenas os dados pessoais para fazer a cobrança, e isso ainda não garante o pagamento.

Já na venda online, existem intermediadores de pagamento mais conhecidos, que garantem uma segurança maior para o seu dinheiro. Normalmente quando se usa intermediadores como o PayPal, eles cobram um valor para o recebimento do dinheiro. Mas, eles trazem uma segurança maior. E estamos falando do seu dinheiro, não se pode negligenciar esse tipo de segurança.

Capital de giro e fluxo de caixa

Você precisa de dinheiro para pagar seus fornecedores na data, o aluguel, a luz… Por isso, não se pode esperar tanto tempo para o recebimento do dinheiro. Por isso, o Pix tem crescido tanto, porque é uma forma de pagamento imediata.

Mas, caso o Pix não seja a melhor forma de pagamento para o seu negócio é preciso identificar qual trará mais flexibilidade para ter o dinheiro em mãos.

Os intermediadores de pagamento, como PagSeguro, por exemplo, tem um tempo diferente para compensação de boletos, débito e crédito. Alguns podem chegar até 3 dias úteis depois do pagamento, e outros em algumas horas.

Entenda como seu fluxo de caixa funciona para que a empresa não tenha problemas com o capital de giro. E caso identifique a necessidade busque por opções de crédito empresarial para equilibrar as contas.

Custo da operação

Algumas formas de pagamento, como através de cartões, tem o custo da maquininha. Em função disso, muitas vezes é necessário inserir juros ou até aumentar o valor dos produtos em função desse custo.

Ainda, quando necessário uma operadora financeira, é preciso considerar os custos que se tem com esse processo no valor cobrado pelo produto ou serviço.

Disponibilidade

Empresas que vendem apenas online não podem aceitar pagamento em dinheiro, por exemplo. Por isso, é importante considerar a disponibilidade da empresa para receber o valor.

Tempo de recebimento

Enquanto métodos como o Pix são imediatos, outros podem ter um prazo maior. Pagamento com cartões de crédito normalmente tem um intervalo de tempo até que o valor entre na conta. Esses prazos podem, inclusive, prejudicar o fluxo de caixa.

Experiência do cliente

Esse é o principal fator de atenção na hora de escolher os métodos de pagamento. Assim, é importante se perguntar: qual forma de pagamento será melhor para o meu cliente?

Considerando a pesquisa CNDL e SPC, os principais métodos são dinheiro, cartão de débito e Pix. Entretanto, uma loja online não pode oferecer dinheiro como método de pagamento, nesse caso, o mais utilizado é o cartão de crédito.

Portanto, esteja atento ao que o seu cliente mais usa e o que ele busca na hora de fazer uma compra.

Banner-conversao-eGestor-blog

Considerações finais

Não importa se o seu negócio é físico ou digital, escolher a melhor forma de pagamento é imprescindível para um bom funcionamento. É através dela que irão entrar os valores de todas suas vendas, se você escolher uma não segura ou que não se adapta a forma como se trabalha, ela pode causar vários prejuízos.

E não se esqueça que o controle financeiro é fundamental. Os valores que entram no seu caixa devem ser registrados, principalmente a maneira. Afinal, valores que entram a partir de cartões vão para sua conta no banco, e valores em dinheiro vão direto para seu caixa. Dessa forma, fique atento ao seu fluxo de caixa!

Início 9 Empreendedorismo 9 Formas de pagamento: 10 formas para seu negócio
Escrito em: 10/02/22
<a href="https://blog.egestor.com.br/author/pedro-henrique-escobar/" target="_self">Pedro Henrique Escobar</a>

Pedro Henrique Escobar

Pedro Henrique Escobar é formado em Administração e gerente de marketing no eGestor. O eGestor é uma ferramenta online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: eGestor.

Comentários:

Compartilhe seu comentário, dúvida ou sugestão!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar…

Fluxo de Caixa: Guia de como fazer o da sua empresa

O que é o fluxo de caixa?O fluxo de caixa é o controle de todos os valores que entram e saem do financeiro da empresa. Qual o objetivo do fluxo de caixa?O objetivo do fluxo de caixa é garantir a saúde financeira do negócio, assegurando...

ERP: O que é e vantagens [GUIA COMPLETO]

Teste Grátis A administração de uma empresa acontece diariamente, com processos e controle que devem ser feitos a todo momento. Esses processos são o que mantém a empresa funcionando, e esse controle é o que mantém as contas em dia e os...

NFC-e (Nota fiscal de consumidor eletrônica) [Atualizado]

Emitir NFC-e Todo produto ou serviço vendido, deve ter sua comprovação fiscal e um dos meios de atestar essa transação é a nota fiscal. Afinal, ela dá segurança tanto à empresa que vende o produto, quanto ao consumidor que o compra....

Nota fiscal eletrônica: tudo o que você deve saber [ATUALIZADO]

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um documento cuja função é atestar a venda de um produto ou a prestação de um serviço. Ela foi desenvolvida com o objetivo de substituir alguns sistemas de impressão de documentos fiscais em papel. Assim...

Faturamento: O que é, como calcular e aumentar o seu

Porque o faturamento é tão importante para a empresa? Porque ele é o valor, em dinheiro, que a empresa recebeu em um período. Assim, ele demonstra se o resultado foi satisfatório ou não. Com o acompanhamento se tem uma melhor ideia da...

Controle financeiro empresarial: Como fazer passo a passo

Passo a passo para fazer o controle financeiro da sua empresa Faça o controle do fluxo de caixa Separe custos e receitas Planejamento de recebimentos e pagamentos Registre todas as operações financeiras Tenha um orçamento bem estruturado...

Controle de Estoque: Como fazer um controle profissional

Porque o controle de estoque é tão importante para a empresa? O estoque é o principal ativo de uma empresa, sendo a forma mais importante de fazer dinheiro. Por isso, ter total atenção a gestão do estoque é de extrema importância. Se a...

Guia do MEI: Tudo sobre o MEI – Blog do eGestor

O MEI (Microempreendedor Individual) é um tipo de empresa voltado para formalização de profissionais autônomos. O custo para abrir um MEI é zero. Os impostos pagos pelo MEI são o ICMS, pela venda de mercadorias, o ISS, por prestação de...

Gestão empresarial: guia definitivo para o sucesso do seu negócio

Toda empresa precisa ter um objetivo, uma missão maior que guie todas as suas atividades. Independente de qual for esse objetivo, ele tem tudo a ver com a gestão empresarial. Isso porque é através de uma gestão empresarial competente e...

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): o que é e quem emite

A NFS-e, ou Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, é um dos tipos de notas fiscais que existe juntamente com a nota fiscal, a nota fiscal do consumidor e o conhecimento de transporte. Elas são úteis para empresas que tem como uma das funções...