Realizar um bom controle de seus dados pode ser a chave para o sucesso de seu empreendimento. Você já deve ter notado que em muitas circunstâncias, se uma loja ou empresa tem grandes dificuldades para vender ou negociar um produto, ela se esforçará para se livrar de diversas formas. A principal delas é a diminuição de custo. O que incorre também em diminuição de lucros para cada venda. Você deve se perguntar: o que a empresa ganha diminuindo seus preços em promoções e ações semelhantes?

Às vezes, a empresa não ganha nada. A diminuição de preço é tanta que em alguns casos o produto pode sair com baixíssima margem de lucro. Mas a empresa ganha mais ao vender seu produto por um baixo custo do que ao deixá-lo “mofando” por um período longo no estoque. Se você é iniciante no negócio de vendas, pode até duvidar deste dado, mas estocar produtos é algo oneroso e, às vezes, difícil de administrar.

O estoque é oneroso, pois ele não possui custos apenas do ponto de vista monetário em si. Ele também apresenta gastos com a  logística. Se algum produto é um fracasso em vendas e, portanto, permanece no estoque, ele irá: atingir sua data de vencimento e ser descartado (representando um prejuízo total do investimento feito sobre essa mercadoria), além de ocupar um espaço no depósito que poderia ser utilizado por um produto que realmente tivesse algum giro.

Entendendo estes fatos, você poderá compreender melhor a importância do Custo Mercadoria Vendida (CMV) e aprender como realizar o cálculo adequado.

O que é CMV?

CMV é a sigla para Custo de Mercadoria Vendida. Você não deve, em hipótese alguma, confundir esta variável com o lucro ou outros dados, pois o Custo Mercadoria Vendida possui sua própria complexidade. O cálculo do CMV envolve uma série de fatores: o custo investido na aquisição de insumos ou matérias-primas, os serviços realizados sobre os produtos, o lucro obtido com as vendas, o capital empenhado na logística e até mesmo o custo da mercadoria que não foi vendida.

Isto mesmo, o custo de mercadorias vendidas realiza o cálculo da venda de suas mercadorias levando em conta também o que não é vendido. Realizar este cálculo serve para que seus resultados sejam mais precisos e você consiga tomar ações estratégicas mais efetivas na administração de sua empresa

Conheça o eGestor, um software online para gestão de pequenas empresas.

Um exemplo hipotético: sou um comerciante do produto X, sobre o qual aplico um lucro 75% sobre cada venda. Ou seja, cobro por aquela mercadoria 75% a mais do valor que investi na compra do estoque, os custos dos funcionários, enfim, todo o capital investido para a aquisição da mercadoria. Apesar de meu lucro de 75% sobre as vendas, em um determinado período consegui vender apenas 60% de meu estoque.

Embora eu ainda tenha conseguido retirar os 75% do lucro das vendas realizadas, uma parte considerável deste capital foi utilizado para realizar as ações necessárias de destinação do estoque não vendido. Seja o descarte, a doação ou qualquer outro fim que a mercadoria não vendida tenha tomado.

Em números, comprei um lote do produto X que vem com 10 unidades. Por cada unidade paguei $ 100. Logo, meu preço de venda era $ 175. Vendi 6 unidades do produto X, tendo como entrada de capital um total de $ 1050. Considerando que gastei $ 1000 pela compra do lote e, que para me “livrar” de cada unidade não-vendida gastarei em média $ 12,5 (hipoteticamente), acabo por ficar com um lucro total de zero. Ou seja, não perdi e nem ganhei com esta negociação.

Nesta negociação, o comerciante foi infeliz por alguns equívocos. Dentre eles, compra de um estoque o qual não poderia vender em sua totalidade, consequente mau-estabelecimento de preços, o que incorre em pouco lucro líquido e, certamente, não consideração adequada do CMV, o que acabou por inviabilizar todo o processo. Com as fórmulas exibidas a seguir, você poderá ter noção de como realizar o cálculo do Custo da Mercadoria Vendida.

Planilha de controle de estoque gratuita para download

O cálculo do CMV

Atenção para alguns termos técnicos:

Inventário – sistema que estabelece a entrada e saída de mercadorias e insumos em um empreendimento. Deve ter atualizações de dados em tempo real , como todo o estoque vendido e adquirido. É possível realizar o cálculo sob duas perspectivas, veja qual é a mais adequada para sua situação:

Cálculo monetário – realiza os cálculos levando em conta a medida em valores, e não em unidades. Tem como ênfase a avaliação financeira.

Cálculo por mercadoria – mais utilizado para logística e operações. Realiza os cálculos com base na quantidade de estoque.

Agora que você já está introduzido aos nomes de alguns dados, vamos às fórmulas. Primeiramente, calcularemos o CMV de seu inventário por MERCADORIA. O Custo de Mercadoria Vendida  é igual à equação do estoque inicial (EI), mais compras (C), mais devoluções de compras (DC), menos devoluções de vendas (DV), menos estoque final (EF). Em resumo, temos que:

CMV = EI + C + DC – DV – EF.

Para realizar o cálculo do CMV é muito simples! Basta utilizar a mesma fórmula, realizando a multiplicação dos valores concretos pelo respectivo valor unitário do produto em questão. Portanto, supondo que o valor do produto seja R$ 10, basta efetuar o mesmo cálculo da fórmula anterior, multiplicando os valores por 10.

Realizar o custo de mercadorias vendidas de sua empresa regularmente permite que você tenha maior conhecimento sobre a solidez de seu estoque, suas vendas e seus rendimentos. Cuide destes dados para que a saúde econômica de seu empreendimento não seja prejudicada.

Lembre-se que para o devido cálculo desta e de outras variáveis é necessário ter o conhecimento atualizado dos números relacionados ao estoque, portanto, utilize algum software de inventário com atualizações automáticas, preservando assim a exatidão dos resultados obtidos com seus cálculos. Este programa deverá realizar o registro instantâneo sobre todas as entradas e saídas que acontecem no estoque.

Dentre as estratégias que também podem ser bastante efetivas para melhorar os índices de custo mercadorias vendidas, busque fazer com que sua empresa tenha alta efetividade em todas as etapas de produção. Estabeleça rotinas e processos, integre funcionários de toda a equipe, faça uma boa gestão de espaço físico, faça compras programadas com seus fornecedores e um mapeamento regular e periódico de seu estoque.

Gostou do texto? Deixe um comentário !

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em http://www.egestor.com.br