fbpx

Métricas Financeiras: Confira quais são elas

As métricas financeiras são interpretações de medidas relacionadas às finanças da empresa. Elas são utilizadas com indicadores, que juntos entregam resultados significativos para tomadas de decisões e planejamento.

As métricas financeiras fazem parte do planejamento operacional de todas as empresas. Assim, para alcançar melhores resultados, é necessário alinhar essas métricas com as metas e os objetivos que a empresa deseja alcançar.

As métricas são importantes porque elas medem a evolução da empresa ao longo dos anos, e esse acompanhamento informa se a evolução está sendo positiva ou negativa. Elas identificam possíveis problemas que a empresa possa ter, possibilitando traçar soluções e novos arranjos para alcançar o destino almejado.

Portanto, no texto a seguir explicamos mais detalhadamente o funcionamento das métricas financeiras e como aplicá-las na sua empresa.

O que são métricas financeiras?

Métricas financeiras são interpretações de medidas relacionadas às finanças. Elas podem ser qualquer item de medida dentro do departamento financeiro de uma empresa. Normalmente acompanhadas pelos indicadores, elas fazem parte do planejamento operacional.

As métricas financeiras são os dados brutos, como o fluxo de caixa, por exemplo. Contudo, o fluxo de caixa sozinho não representa muita coisa, ele precisa dos indicadores, que são as receitas e despesas do período.

Assim, tanto as métricas financeiras quanto os indicadores financeiros se complementam e são normalmente empregues juntos para avaliar o desempenho e desenvolvimento da empresa.

Basicamente, elas expressam resultados que servem como ferramenta para tomadas de decisões e planejamento empresarial.

Métricas Financeiras

Quais as métricas financeiras para acompanhar na empresa?

Existem várias métricas financeiras para acompanhar na empresa, cada uma delas tem um foco diferente. Ou seja, a escolha da métrica para avaliar a sua empresa vai depender do modelo de negócio que possui e dos objetivos e metas que deseja alcançar. Também, essas métricas funcionam bem quando são utilizadas em conjunto, uma vez que apenas a avaliação de uma métrica pode não trazer resultado suficiente.

Portanto, abaixo listamos as métricas financeiras mais usadas.

Métrica financeira: Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma métrica que ajuda a entender o quanto de dinheiro entra e sai da empresa. É o total dos valores que movimentam a empresa diariamente durante um determinado tempo.

O acompanhamento diário ajuda a estabelecer medidas para conter possíveis problemas. Além disso, conscientiza sobre o fluxo dos recursos da empresa, porque ele serve para avaliar a disponibilidade de caixa da empresa e liquidez.

Assim, para calcular o fluxo de caixa de uma empresa utiliza-se a seguinte fórmula:

FC = EBIT – IR + Depreciação ou FC = Lucro líquido + Juros + Depreciação

Sua interpretação pode ser de duas formas, com a análise horizontal e análise vertical:

  • A análise horizontal é a comparação dos resultados de um mesmo indicador em relação a diferentes períodos.
  • A análise vertical é o estudo de cima para baixo ou de baixo para cima dos números, ela identifica o volume dos valores totais das entradas e saídas. Assim, descobre qual o maior volume de movimentações financeiras, sendo na entrada ou saída.

O fluxo de caixa também pode ser dividido em tipos de fluxo de caixa.

Fluxo de caixa operacional

O fluxo de caixa operacional (FCO) é uma métrica financeira utilizada para medir o desempenho financeiro das movimentações operacionais da empresa. Ela serve para saber se a política de preço praticada pela empresa está conforme a rentabilidade esperada.

Assim, quando se tem conhecimento do quanto a empresa possui de fluxo de caixa operacional, também se sabe quanto que a empresa tem de custos, o lucro e o retorno sobre os investimentos. Para calcular basta empregar a fórmula abaixo:

FCO = Receitas operacionais – Despesas operacionais

Fluxo de caixa direto

O fluxo de caixa direto (FCD) é um método que estrutura as entradas e saídas de recursos no demonstrativo de fluxo de caixa. É uma métrica que analisa as entradas e saídas de dinheiro de forma direta na empresa. Assim, o gestor consegue perceber se falta ou não dinheiro no caixa, e conforme o resultado, buscar novos investimentos ou outros meios de cumprir suas obrigações. Para calcular o FDC é utilizada a fórmula abaixo:

FCD = Entradas de caixa – Saídas de caixa

Fluxo de caixa indireto

Fluxo de Caixa Indireto, ou FCI, é uma métrica financeira que analisa de forma mais profunda as entradas e saídas de recursos da empresa. Ela considera as demonstrações contábeis na avaliação, como a DRE, por exemplo.

O FCI serve para informar ao gestor se houve lucros e prejuízos num determinado período. A fórmula para calcular é:

FCI = Lucro/Prejuízo Líquido + Depreciação e amortização + Outros ajustes

Métricas Financeiras

Fluxo de caixa projetado

O fluxo de caixa projetado (FCP) é uma métrica financeira que calcula a projeção de movimentos financeiros durante um determinado período. Esse tipo de fluxo informa quanto a empresa espera receber no mês seguinte e se haverá algum prejuízo.

O FCP ajuda a prever lucros e prejuízos, além de identificar possíveis problemas. Assim, ele ajuda a controlar o fluxo de caixa e também a apresentar a investidores o quão rentável é a empresa para injetar recursos. Para calcular utiliza a fórmula abaixo:

FCP = Saldo inicial + Entrada de caixa – Saída de caixa

Fluxo de caixa livre

O fluxo de caixa livre (FCL) é o valor que sobra após o empresário cumprir com suas obrigações. O valor dessa métrica financeira representa o valor da empresa em dinheiro.

Ele é útil para os acionistas e visto como a capacidade da empresa gerar caixa para os mesmos. Assim, para realizar o cálculo é só aplicar a seguinte fórmula:

FCL = FCO + FCI

Fluxo de caixa descontado

O fluxo de caixa descontado (FCD) é útil para determinar o valor presente de um item, seja o valor da empresa, um investimento ou um projeto, com base no retorno de ativos futuros.

O FCD é uma métrica financeira que serve para avaliar ações de uma empresa antes da realização da compra, ajudar na tomada de decisão sobre investimento em algum ativo e também informar o valor verdadeiro de uma empresa. Para o cálculo usa a fórmula abaixo:

FCD = Projeção de faturamento futuro / (1 + taxa de desconto) número do período

Métrica financeira: Receita bruta e receita líquida

A receita bruta é uma métrica financeira que representa o valor total do dinheiro que entra na empresa; já a receita líquida é a receita bruta com as deduções das obrigações. Acompanhar essas métricas é importante para entender quais são as obrigações da empresa e o valor líquido dos recursos que entram.

A receita bruta está contida no DRE, mais especificamente na primeira linha. Ela representa a receita total com vendas durante um determinado período. Já a receita líquida representa a receita total após o pagamento das obrigações empresariais.

Os resultados que ambas apresentam servem para saber qual a situação financeira da empresa. Para calcular a receita bruta, basta somar todas as vendas e multiplicar pelo valor unitário. Já para o cálculo da receita líquida subtrai o valor das deduções, como mostra na fórmula abaixo:

Receita bruta = Volume dos produtos ou serviços vendidos x Valor unitário

Receita líquida = Receita bruta – Deduções

Métrica financeira: Custos fixos e variáveis

Os custos fixos são despesas que estão sempre presentes no caixa da empresa. Eles são gastos fundamentais para o funcionamento da empresa mas que não variam com relação ao volume que a empresa produz ou vende. Os custos fixos mais comuns são: aluguel, salário, internet, por exemplo.

Já os custos variáveis são despesas que variam principalmente em relação a quantidade de vendas, sendo valores de matéria-prima, insumos ou comissão, por exemplo.

É importante fazer o acompanhamento para ter ciência dos gastos fixos e variáveis, a fim de conseguir cumprir com as obrigações, reduzir ou não exceder comprometendo o patrimônio

Não existe fórmula para calcular os gastos fixos ou variáveis, entretanto, ao utilizar um sistema de gestão, ele indica os principais.

Esses dados são fundamentais para ter relatórios importantes que ajudam a manter a saúde financeira da empresa.

Métricas Financeiras

Métrica financeira: Custo de Aquisição de Clientes (CAC)

O Custo de Aquisição de Clientes (CAC) é uma métrica financeira que avalia quanto custa adquirir um novo cliente. Através dela podemos analisar os efeitos das campanhas de marketing, se as ações estão realmente sendo efetivas ou não, e se os gastos estão maiores que os ganhos.

Ele serve para avaliar se os investimentos feitos para conseguir clientes estão sendo efetivos. Através dos resultados obtidos com o cálculo, os gestores conseguem traçar novas estratégias de marketing para conseguir clientes.

O valor investido é a soma de todos os investimentos para aquisição de um cliente, como salários, comissões, investimento em anúncios, por exemplo.

Para calcular basta somar os investimentos realizados em ações para aquisição de clientes e dividir o valor total pelo número de clientes que conseguiu. Ou seja:

CAC = Total investido / Número de clientes adquiridos

Métrica financeira: Lucratividade

A lucratividade é uma métrica financeira que mede a relação entre lucro líquido e receita bruta, indicando a eficiência operacional da empresa. Ou seja, a lucratividade mede a capacidade da empresa conseguir pagar suas despesas através dos recursos arrecadados com vendas e ainda obter lucro.

Ela serve para mostrar se os recursos que entram são suficientes para cobrir os gastos e gerar lucro. Assim, o gestor consegue mudar estratégias e planejamentos quando necessário. O cálculo para mensurar a métrica de lucratividade é:

Lucratividade = (Lucro líquido / Receita total) x 100

Assim, quanto maior o valor da lucratividade melhor para a empresa.

Métrica financeira: Rentabilidade

A rentabilidade é a métrica financeira que mede o retorno dos investimentos realizados relacionado com o lucro líquido da empresa. É possível fazer a análise com a métrica de lucratividade para conseguir ampliar o entendimento sobre o potencial da empresa.

A rentabilidade serve para mostrar se os recursos que a empresa gera são suficientes para que a empresa se pague. Para o calcular é utilizada a seguinte fórmula:

Rentabilidade = (Lucro líquido / Investimento) x 100

A lucratividade e a rentabilidade são métricas usadas normalmente para análise da empresa e por isso muitas vezes são confundidas. Contudo, elas não são a mesma coisa, e a avaliação de cada uma é sob óticas diferentes. A lucratividade é a relação de vendas e lucro líquido, já a rentabilidade é sobre o retorno obtido sobre os investimentos. Ambas as métricas são sobre os resultados da empresa, mas a respeito de pontos diferentes.

Métrica financeira: ROI

ROI ou Retorno Sobre o Investimento, é uma métrica financeira que avalia o custo para realização de algumas atividades. Essa atividade pode ser uma ação de marketing ou outro investimento e o retorno financeiro que ela trouxe para a empresa, por exemplo.

Ela serve para medir a eficiência de um investimento, seja ele qual for. Seu grau de importância está relacionado com o resultado obtido, pois pode ser útil para tomada de decisão, comparação entre possíveis formas de investimentos e avaliação de recursos injetados em novos projetos. Para calcular utiliza-se a seguinte fórmula:

ROI = (Lucro obtido – Investimento inicial) / Investimento inicial

Métrica financeira: ROA

ROA ou Retorno Sobre Ativos, é uma métrica que mede a performance da empresa e sua capacidade em dar retorno aos acionistas. Essa métrica financeira analisa o retorno de todos os ativos onde o capital empresarial é empregado, considerando o lucro líquido e os ativos totais médios da empresa.

Assim, o ROA possui a capacidade de informar se a empresa está sendo eficaz ao converter ativos em dinheiro.

Para calcular o ROA como os ganhos gerados a partir do capital investido na empresa é utiliza a seguinte fórmula:

ROA = Lucro líquido / Ativo total) x 100

Entretanto, existe outra forma de calcular, normalmente utilizada por analistas. Em uma avaliação é possível desconsiderar o custo de adquirir um ativo e considerar as despesas com juros, já que eventualmente os ativos de uma empresa são financiados por dívidas ou por patrimônio. Desta forma, podemos calcular o ROA como mostra a fórmula abaixo:

ROA = ( Lucro líquido + Despesas de juros) / Ativo total x 100

Métrica financeira: Lifetime Value (LTV)

O LTV, ou Lifetime Value, é uma métrica financeira que mede os custos envolvidos para manter um cliente e o quanto de receita ele traz durante o ciclo de vida útil na empresa. A tradução do termo é literalmente “valor do tempo de vida”. Assim, a análise identifica a saúde financeira do relacionamento do cliente com a empresa.

Ainda, a métrica mostra se a empresa deve investir em novas aquisições de clientes conforme os resultados apresentados no cálculo.

O LTV é usado principalmente por empresas que possuem um longo relacionamento com o cliente, como os bancos, por exemplo. Além disso, é possível mensurar o nível de satisfação do cliente:

  • Quando o LTV é bom significa que o cliente está feliz com a empresa
  • Quanto o LTV é ruim significa que o cliente está insatisfeito.

Desta forma, a empresa consegue reformular ou até criar novas estratégias para melhorar esse relacionamento e fidelizar o cliente.

Para calcular utiliza a seguinte fórmula:

LTV = (Ticket médio x média de compras do cliente no ano) x média de tempo de retenção do cliente

Outras métricas que podem ser úteis

Há outras métricas que podem ajudar a avaliar a empresa em outros aspectos, complementando as métricas financeiras. Assim, a empresa obtém uma análise mais profunda da empresa através dos resultados obtidos:

Métricas de atendimento

As métricas de atendimento são um conjunto de métricas que avaliam o relacionamento do cliente com a empresa. É interessante usar métricas de atendimento para entender quais os fatores que fidelizam o cliente, afinal, são eles que influenciam nas receitas de médio e longo prazo.

Alguns exemplos de métricas de atendimento são:

  • Net Promoter Score (NPS)
  • Customer Satisfaction Score (CSAT)
  • Tempo Médio de Atendimento (TMA)

Métricas de análise de resultados

As métricas de análise de resultados, também conhecido como KPIs (Key Performance Indicators), são ferramentas para análise de desempenho. Assim, elas avaliam se as estratégias empregadas obtiveram resultados positivos ou não.

Alguns exemplos de análise de resultados são:

  • Churn
  • Participação no mercado
  • Custo de produção

Métricas de Performance

As métricas de performance ajudam a analisar os resultados operacionais. Ou seja, se os recursos estão sendo bem empregados e se os profissionais estão conseguindo ter bom desempenho nas atividades.

Alguns exemplos de métricas de performance são:

  • Ticket médio
  • Tempo de resposta

Métricas de venda

As métricas de venda são essenciais para saber se as estratégias implantadas estão dando o retorno esperado. Além disso, elas sinalizam pontos que precisam de melhoria.

Alguns exemplos de métricas de venda são:

  • Número de oportunidades abertas
  • Número de oportunidades encerradas
  • Receita Recorrente Mensal (MRR)
  • Receita Recorrente Anual (ARR)

Métricas de gestão

As métricas de gestão são um conjunto de métricas que avaliam a empresa de forma separada, por departamento e de forma conjunta. Alguns exemplos de métricas de gestão são:

  • Métricas de gestão
  • Métricas de RH
  • Métricas de marketing
Métricas Financeiras

Qual a importância das métricas financeiras?

A importância das métricas financeiras está relacionada com a avaliação de desempenho da empresa, pela possibilidade de interpretação de medidas relacionadas com as finanças empresariais.

A interpretação de medidas que as métricas trazem facilita a comunicação de equipe e entre os setores, por todos conseguirem entender os resultados obtidos.

Sua importância também está ligada à possibilidade de prever problemas futuros através do acompanhamento diário, juntamente com as soluções.

Além disso, as métricas podem servir como parâmetro de comparação ao longo do tempo dentro da própria instituição e também para comparar com os concorrentes.

Qual o objetivo das métricas financeiras?

O objetivo das métricas financeiras é acompanhar as finanças da empresa, o seu desenvolvimento ao longo do tempo e prever possíveis problemas e traçar soluções.

Nesse sentido, as métricas servem como uma base para os indicadores e são essenciais para o planejamento operacional da empresa.

Em síntese, seu objetivo é acompanhar o desenvolvimento financeiro da empresa e interpretar os resultados obtidos com os indicadores. Assim, elas facilitam seu entendimento, para melhor saúde financeira e gestão empresarial.

Por que definir métricas financeiras?

As métricas financeiras devem ser definidas porque elas apresentam informações pertinentes para a evolução da empresa. As métricas são um meio de medir a evolução da empresa ao passar dos anos, além de possibilitar identificar possíveis gargalos e imprevistos, assim como soluções.

No mercado, a competitividade entre as empresas é normal, e com as métricas, a avaliação para melhorar o desempenho empresarial se torna mais fácil. Isso porque se torna possível compreender o posicionamento da empresa no segmento em que atua.

Como as métricas financeiras ajudam a otimizar a gestão?

As métricas financeiras ajudam a otimizar a gestão através dos resultados que informa. Elas acompanham os indicadores financeiros gerados através dos relatórios financeiros e demonstrativos contábeis.

Com eles, é possível identificar e fazer o acompanhamento diário de tudo que acontece com as finanças, assim como as entradas e saídas dos recursos.

Sem as métricas, realizar essas funcionalidades e identificar as situações que acontecem ou podem acontecer fica difícil, já que a área financeira de uma empresa, independente do seu tamanho, é complexa por ser movimentada todos os dias.

Como definir métricas financeiras para uma empresa?

A definição das métricas para uma empresa deve estar vinculada aos objetivos e metas que a empresa deseja alcançar.

O primeiro passo para definir quais as métricas utilizar na empresa é fazer o planejamento estratégico da empresa, entender o seu negócio, o mercado que a empresa está inserida e todos os aspectos que a envolvem. Partindo disso, a empresa escolhe as métricas que melhor contemplem suas necessidades e que ajudarão a alcançar suas metas e objetivos.

Métricas Financeiras

Como implementar métricas financeiras no seu negócio?

A implementação das métricas financeiras no seu negócio deve ocorrer após definir quais contemplam as necessidades da empresa.

Com as métricas definidas é o momento de comunicar a equipe, fazer o planejamento e alinhar todas as informações necessárias para ser efetivo. Existem sistemas e empresas de consultoria que podem ser utilizados para fazer o acompanhamento das métricas, diminuindo possíveis erros.

O que acontece quando uma empresa não usa métricas financeiras?

Quando uma empresa não utiliza métricas financeiras para acompanhar e avaliar seu desempenho, normalmente o gestor não consegue mensurar o crescimento da empresa e se suas estratégias estão dando certo.

As métricas ajudam a empresa alcançar suas metas e objetivos, mas quando não são estabelecidas, o processo para alcançá-las se torna mais difícil, por não visualizar os resultados ao longo do período.

Diferença de métricas e indicadores

A diferença entre métricas e indicadores é que as métricas são dados brutos, sem realização de cálculos mais específicos, como quantidades, por exemplo. Já os indicadores são valores mais específicos, são resultados obtidos mediante cálculos fornecidos pelas métricas, o indicador está diretamente ligado à métrica.

Assim, tal como as métricas podem ser financeiras ou de pessoas, um indicador financeiro pode ser lucro. E um indicador de pessoas pode ser a quantidade, por exemplo.

Além disso, os indicadores fazem parte do planejamento tático de uma empresa, o planejamento tático faz parte de toda organização bem sucedida. As métricas possuem concentração no planejamento operacional.

Fonte de dados para suas métricas

A fonte de dados para métricas financeiras depende muito do objetivo que deseja atingir. Entretanto, as métricas financeiras têm como fonte de dados o que a empresa tem de informações. Assim, se a empresa precisa de dados para métricas de fluxo de caixa, ela deve ter as informações necessárias no sistema de gestão utilizado.

Banner-conversao-eGestor-blog
Início 9 Sistema de Gestão 9 Controle Financeiro 9 Métricas Financeiras: Confira quais são elas
Escrito em: 17/10/23
<a href="https://blog.egestor.com.br/author/pedro-henrique-escobar/" target="_self">Pedro Henrique Escobar</a>

Pedro Henrique Escobar

Pedro Henrique Escobar é formado em Administração e gerente de marketing no eGestor. O eGestor é uma ferramenta online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: eGestor.

Comentários:

Compartilhe seu comentário, dúvida ou sugestão!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar…

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): o que é e quem emite

A NFS-e, ou Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, é um dos tipos de notas fiscais que existe juntamente com a nota fiscal, a nota fiscal do consumidor e o conhecimento de transporte. Elas são úteis para empresas que tem como uma das funções...

Fluxo de Caixa: Guia de como fazer o da sua empresa

O que é o fluxo de caixa?O fluxo de caixa é o controle de todos os valores que entram e saem do financeiro da empresa. Qual o objetivo do fluxo de caixa?O objetivo do fluxo de caixa é garantir a saúde financeira do negócio, assegurando...

NFC-e (Nota fiscal de consumidor eletrônica) [Atualizado]

Emitir NFC-e Todo produto ou serviço vendido, deve ter sua comprovação fiscal e um dos meios de atestar essa transação é a nota fiscal. Afinal, ela dá segurança tanto à empresa que vende o produto, quanto ao consumidor que o compra....

ERP: O que é e vantagens [GUIA COMPLETO]

Teste Grátis A administração de uma empresa acontece diariamente, com processos e controle que devem ser feitos a todo momento. Esses processos são o que mantém a empresa funcionando, e esse controle é o que mantém as contas em dia e os...

Gestão empresarial: guia definitivo para o sucesso do seu negócio

Toda empresa precisa ter um objetivo, uma missão maior que guie todas as suas atividades. Independente de qual for esse objetivo, ele tem tudo a ver com a gestão empresarial. Isso porque é através de uma gestão empresarial competente e...

Controle financeiro empresarial: Como fazer passo a passo

Passo a passo para fazer o controle financeiro da sua empresa Faça o controle do fluxo de caixa Separe custos e receitas Planejamento de recebimentos e pagamentos Registre todas as operações financeiras Tenha um orçamento bem estruturado...

Guia do MEI: Tudo sobre o MEI – Blog do eGestor

O MEI (Microempreendedor Individual) é um tipo de empresa voltado para formalização de profissionais autônomos. O custo para abrir um MEI é zero. Os impostos pagos pelo MEI são o ICMS, pela venda de mercadorias, o ISS, por prestação de...

Faturamento: O que é, como calcular e aumentar o seu

Porque o faturamento é tão importante para a empresa? Porque ele é o valor, em dinheiro, que a empresa recebeu em um período. Assim, ele demonstra se o resultado foi satisfatório ou não. Com o acompanhamento se tem uma melhor ideia da...

Controle de Estoque: Como fazer um controle profissional

Porque o controle de estoque é tão importante para a empresa? O estoque é o principal ativo de uma empresa, sendo a forma mais importante de fazer dinheiro. Por isso, ter total atenção a gestão do estoque é de extrema importância. Se a...

Nota fiscal eletrônica: tudo o que você deve saber [ATUALIZADO]

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um documento cuja função é atestar a venda de um produto ou a prestação de um serviço. Ela foi desenvolvida com o objetivo de substituir alguns sistemas de impressão de documentos fiscais em papel. Assim...