fbpx

Guia para escolher o nome da sua empresa

Quando é tomada a decisão de montar uma empresa é preciso tomar várias decisões. Elas vão desde a escolha do tipo da empresa, se será uma MEI, ME, EIRELI, EPP ou EI. Passando pelo sistema de controle do financeiro, do estoque e das vendas. Mas uma das mais importantes e não tão faladas é a escolha do nome para sua empresa.

O principal motivo de ela estar entre as mais importantes, é porque ela será a cara da sua empresa. Ou seja, como ela será chamada e reconhecida. Além disso, influencia na criação de um logo e um slogan. Afinal, você consegue imaginar a Apple com outro nome?

Razão Social x Nome Fantasia

A primeira parte da criação de um nome para sua empresa, é entender a diferença de razão social e nome fantasia.

Ambos precisam ser registrados para que não sejam usados nomes iguais. O nome fantasia pode ser registrado em um registro de patentes, já que não é usado em documentos oficiais. Após registrado, terá ao seu lado o símbolo ®. Por sua vez, a razão social deve ser registrada na Junta Comercial do estado. 

Razão Social

A razão social é o nome oficial da sua empresa. Será o nome ligado ao CNPJ e aos documentos de sua empresa.

É ela que irá aparecer no seu contrato social, notas fiscais e qualquer outra documentação. Por isso, a razão social é única e exclusiva. Isso acaba dificultando sua escolha.

Ela também deve conter a atividade e o enquadramento da empresa. Sendo montado da seguinte forma: “Designação + ATIVIDADE + ENQUADRAMENTO DA EMPRESA”. Formando “Nome da empresa serviço oferecido LTDA”.

Nome fantasia

O nome fantasia é o nome que sua empresa será conhecida. É o seu nome utilizado na fachada da loja, por exemplo. Portanto, o nome da empresa deve se encaixar com o propósito da sua empresa e no que ela representa.

Serve também para o marketing, seja ele online ou não. Quando online, é o nome nas redes sociais, como Facebook, Instagram e qualquer outra que sua empresa ache que seja apropriado. No offline, ele deve estar em cartazes, folders, cartões de visita, o que se encaixa melhor com o propósito da sua empresa. 

Mas agora que entendi o que isso significa, como escolher o nome da minha empresa?

etiqueta branca com texto preto anexada a uma peça de roupa bege. A etiqueta fornece informações sobre a marca e sua localização, oferecendo insights sobre a origem e a qualidade do item

O processo de naming

Naming, nomear em inglês, é justamente isto, dar nome a algo. Em princípio, esse esquema parece simples e fácil, mas é muito mais aprofundado. 

O naming é uma expressão relativamente nova no país. Ele é uma parte do projeto de branding. Ou seja, todo o processo de reconhecimento da empresa, se tratando da identidade; tanto da empresa, como do produto.

Por fazer parte desse processo, ele foca em exercícios e dicas de como criar um bom nome. Algo que vai fazer a marca ser lembrada.

E para que o nome da sua empresa seja lembrado, o naming traz algumas estratégias em sua metodologia. E ainda as características para a escolha do nome, e as características do processo. 

Tipos de nome

  • Descritivos: eles indicam diretamente o que a empresa faz. Dentro disso, eles podem ser simbólicos, trazendo uma comparação com o produto. Mas também podem ser associativos, trazendo uma alusão ao seu produto ou atributos. Eles trazem mais clareza e entendimento do para que serve seu negócio; 
  • Siglas: A sigla é a abreviação de um nome. Sendo assim, elas podem ser geradas por iniciais ou por acrônimos, que são siglas que são faladas como palavras. Portanto, as vantagens de ter uma sigla como nome é que são fáceis de identificar e difíceis de copiar.
  • Inventados: São considerados vazios, por não terem um significado próprio, ou seja, não existirem. Isso não é um contra, porque facilita que as pessoas reconheçam e lembrem do nome, sendo nomes criativos, normalmente. Além de não terem sido usados ainda. 
  • Por experiência: Esses são os nomes de lugares, sentimentos ou experiências dos criadores da marca. Assim, são úteis para empresas que querem ser diferentes, e têm intenção de mostrar que são locais.  
  • Nomes próprios: A primeira vista esse tipo de nome não passa uma boa impressão, já que são menos criativos. Mas, assim que lembramos do McDonalds, ou da Louis Vuitton, por exemplo, vemos que não são tão má ideias assim. Aqui, a parte importante está na sonoridade do nome e de sua importância. Evite nomes comuns, busque nomes de pessoas que foram importantes.
elegante fachada de uma loja Louis Vuitton, destacando o contraste entre o moderno letreiro iluminado da marca e os detalhes arquitetônicos clássicos do edifício

Metodologia do naming

Essa parte do processo é dividida em etapas. São elas a investigação, o brainstorm, a filtragem, a análise e o registro.

Investigação

A primeira etapa. Essa é etapa de levantamento de dados e análise da concorrência. Esse levantamento de dados acontece conhecendo sua empresa, sabendo qual seu propósito e objetivo. Assim, tome cuidado para não escolher um nome contraditório e que não tenha nada que lembre seu produto.

Tenha em mente seu público-alvo na hora da criação do nome. Lembre-se que é ele que você tem que agradar. E que ele que terá que lembrar

Também é importante analisar a concorrência. Afinal ninguém quer ter um nome parecido com seu concorrente. 

Brainstorm

Brainstorm, ou tempestade de ideias, é a parte principal do processo de criação. É a fase onde todas as ideias de nomes surgem, onde tudo é válido.

Nessa etapa, nada é descartado. Quanto mais opções, melhor (menos o nome do seu concorrente).

Existem diversas formas de fazer um brainstorm. Escolha uma palavra que defina seu produto, transmita sua mensagem aos clientes e represente sua marca. Você pode montar uma equipe para esta etapa ou fazer sozinho.

Pode pesquisar nos mecanismos de pesquisa na internet ou em livros, imagens, o que estiver ao seu alcance. Anote todas as palavras parecidas ou o que vier à mente. 

Por fim, descarte as que podem ser ofensivas, podem gerar confusão ou simplesmente não se adaptarem ao que você espera. Não as classifique como ruins, e não jogue fora suas anotações, já que elas podem ser úteis futuramente. 

Filtragem

Esse é o processo de avaliação do que passou pela fase final do brainstorm. Aqui é onde são levadas em conta as características do processo.

Mas o que isso quer dizer?

Assim, depois de chegar em uma lista um pouco menor, você precisa avaliar se as suas escolhas se adaptam com essas características. São elas:

  • Facilidade: Esse nome é fácil de pronunciar? É fácil de escrever? Fale em voz alta os nomes e avalie a sua sonoridade. Tenha certeza de que ele será fácil de lembrar, escrever e falar.
  • Expressão: O propósito da sua marca está evidenciado nesse nome? Assim como sua personalidade? O nome deve retomar o produto ou serviço da sua empresa, então ele não pode ser contraditório ou lícito. Assim, pense no seu público-alvo e se ele irá se identificar com o nome escolhido.
  • Distinção: Aqui você garante que o nome escolhido será único, distinto da sua concorrência e se ele se destaca entre os outros.
  • Memorização: É um nome fácil de lembrar? Seu cliente deve ser capaz de lembrar do nome ao pensar no ramo do seu negócio.
  • Aparência: Aqui a sonoridade entra mais uma vez. Portanto, o nome deve ser agradável, de ler, ouvir e ver. Essa parte também é importante em relação a definição do logo. Já que muitas vezes o nome se associa ao logo.
  • Disponibilidade: Tenha certeza de que nenhuma outra empresa, principalmente as da sua área, tenham esse nome ou algo semelhante. O seu marketing também é importante aqui. Ao criar redes sociais, sites, blogs ou algo que precise ter um usuário ou url, garanta que o nome está disponível.
  • Versatilidade: Caso escolha um nome em outra língua, tenha certeza da tradução e dos significados. Isso é de suma importância caso sua empresa resolva expandir os negócios para outro país. 

Registro

Como citado nas características, seu nome precisa ser único, para isso verifique a disponibilidade nos órgãos responsáveis. Assim que seu nome for escolhido ou criado, realize o registro. Isso serve para que nenhuma outra empresa tenha um nome igual ao seu. 

Pessoa segurando um iPhone, que exibe a tela da câmera com uma imagem do logo da Nike em um fundo vermelho, correspondendo à cor da roupa que a pessoa está vestindo.  O registro visual captura a sinergia entre tecnologia e marcas populares.

Logotipo

Além de todo esse processo para a escolha do nome da sua empresa, há ainda a escolha do logo. Provavelmente essa é uma parte que você não irá fazer sozinho.

Portanto busque auxílio de empresas publicitárias que têm um maior conhecimento na área. Também tente manter um padrão da arte do nome e da arte do logotipo. O que pode facilitar todo o processo.

Genericídio

Regularmente vemos nomes de marcas que viram sinônimos de produtos. Entre elas estão a Gillette e a Bombril, o que vêm à mente ao se falar de lâminas e lã de aço, respectivamente. E pode parecer que elas chegaram no ideal que se espera ao escolher um nome.

Mas nem sempre isso pode ser considerado algo bom. Pode ser bom para a marca que acaba ganhando reconhecimento. Mas juridicamente não é assim.

Isso acontece porque muitas vezes esses nomes acabam se tornando nomes de domínio público e as marcas se tornam genéricas. O que faz com que elas possam perder os direitos sobre elas.

É o caso da aspirina. Aspirina é o nome utilizado pela Bayer para o composto ácido acetilsalicílico. Em muitos países a Bayer continua com a patente do nome do remédio, mas nos EUA a marca já é considerada genérica.

Ferramentas de naming

Se mesmo depois de todos esses passos você e sua equipe não conseguiram escolher um nome, é hora de procurar ajuda. Para isso, existem diversos profissionais nessa área que podem prestar consultoria a sua empresa.

Ademais, existem ferramentas que podem lhe auxiliar. No Google Forms você pode fazer enquetes, no Word Safety você pode checar palavras que podem não ser a melhor escolha.

Dicas para escolher o nome da sua empresa

Personifique seu empreendimento

Imagine sua empresa como se ela fosse uma pessoa. Pense em todas as características que ela teria e como seria a sua personalidade.

Faça essa definição do que pode ser relacionado e parta dessa ideia para escolher o nome mais adequado à sua identidade jurídica. Lembre-se de que vai ser por meio dele que a sua empresa se comunicará com o mercado. Então escolha bem!

Planeje-se

De nada adianta você elencar muitas opções de nomes sem que estas opções estejam realmente ligadas com o seu negócio. O nome será a identidade de sua empresa. Só de ler o nome da empresa, um potencial cliente já deve saber do que se trata o seu negócio.

Por isso é de fundamental importância realizar um estudo aprofundado da concorrência. A partir de então se verificam os nomes já existentes no mesmo nicho. Depois, se avalia se estes nomes foram bem aceitos ou não pelo público.

Fazendo este estudo se tem uma base para a criação do nome de sua empresa. Também, se saberá identificar os motivos que determinados nomes já existentes tiverem ou não uma aceitação pelo público. Todo este processo, desde o planejamento e estudo do mercado até a criação do nome de seu empreendimento, é chamado de naming.

Esteja atento às questões legais

Ao finalmente decidir por um nome é preciso verificar sua disponibilidade para registro. Para isso, deve-se verificar se o mesmo já existe nas Juntas Comerciais Estaduais e no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial). A denominação social é relacionada à antecedência, o que significa que quem registra o nome primeiro ganha o direito de usá-lo.

Para não correr riscos e não poder fazer o registro, trate de fazer uma lista com várias opções. É importante ter o plano b, mas lembre-se: Os possíveis nomes não podem ser escolhidos de uma forma aleatória. Estude!

nome “PHILIPP” em letras grandes e iluminadas, fixadas na parede exterior de um edifício de tijolos vermelhos com janelas escuras.  A combinação entre as letras brilhantes e os elementos arquitetônicos escuros cria um contraste interessante

Entenda as designações

Uma empresa precisa ter três designações com funções específicas, são elas:

  • Denominação social: é o nome legal da empresa. Deve ser relacionada à sua natureza jurídica da sociedade — como Ltda, S/A e Empresa Individual, por exemplo
  • Marca: faz parte da propriedade industrial, e é concedida pelo Governo Federal por meio do INPI. Isso garantirá o uso exclusivo da marca em todo o território nacional.
  • Nome fantasia: é o título de que a empresa se utiliza para fazer referência a seu negócio.

Cuidado com referências geográficas

Se o seu negócio é escalável ou você quer abrir filiais, não use referências geográficas. Mesmo que implícitas elas podem limitar sua área de atuação. Então nada de associar seu nome à rua, ao bairro ou à região em que seu negócio está localizado.

Escolha um nome de fácil memorização

Uma forte tendência atual é a escolha de nomes pequenos, que sejam simples de guardar, de escrever e de pronunciar. A grafia deve ser de fácil escrita, para que a pesquisa seja fácil e possível fazer referências a ela da maneira correta. Nada de colocar seu sobrenome russo como o nome do negócio! Evite termos estrangeiros pouco conhecidos, letras mudas — como aquele dispensável no final — e símbolos muito chamativos.

Criar um nome curto e original para a sua empresa não é fácil. Deve ser fácil de identificar e representar bem a empresa. Mas sem dúvida é um fator que pode potencializar a sua empresa em relação à concorrência.

Seguir estes padrões tornarão a sua empresa conhecida. Um cliente não terá dúvidas em optar por uma marca que a grande maioria das pessoas conhecem em detrimento de outra pouco conhecida.

Portanto, além de representar uma identidade, a escolha de um bom nome pode ser fundamental para a obtenção de clientes. Isso porque quando determinada pessoa está buscando um produto ou serviço, o nome será a primeira referência. Somente depois ele irá buscar outras informações.

Criatividade

Nomes curtos, que sejam de fácil memorização e pronúncia, evitar termos estrangeiros…

Todos estes fatores são importantes para a construção de uma marca, é necessário manter este padrão, como falamos anteriormente. Mas lembre-se, não esqueça de buscar um diferencial, seja criativo! Seguir os padrões citados não pode inibir a sua criatividade.

De nada adianta seguir todas essas dicas e criar um nome que seja parecido com o da concorrência. Isso faz com que você perca um possível cliente, justamente por sua empresa não possuir um nome realmente próprio e com identidade.

Logicamente é difícil encontrar um nome que seja único e diferenciado, tendo em conta o número cada vez maior de empresas no mercado. Mas seguindo estas dicas, fazendo um estudo de concorrência é possível criar um diferencial. E é claro: Pense fora da caixa, estimule a sua criatividade!

Pois bem, agora que você já leu nossas dicas, está pronto para escolher o nome da sua empresa. Então escolha um bem marcante, mas acessível, e seja lembrado em todos os momentos! Comente aqui e compartilhe conosco sua lista de nomes já descartados. Quem sabe eles não inspiram outras pessoas?

Considerações finais

“O nome certo é atemporal, não cansa, é fácil de dizer e lembrar; ele representa alguma coisa e facilita as extensões da marca. Seu som tem ritmo. Ele é fantástico no texto de um e-mail e no logotipo. Um nome bem escolhido é um ativo de marca fundamental e está sempre trabalhando.” (WHEELER, Alina. Design de identidade da marca)

Enfim, podemos concluir que o processo de dar nome a sua empresa não é tarefa fácil. Seguindo os passos aqui, garantindo que o nome combine com sua empresa e não seja plágio, o sucesso do nome é garantido!

Início 9 Empreendedorismo 9 Guia para escolher o nome da sua empresa
Escrito em: 06/02/24
<a href="https://blog.egestor.com.br/author/pedro-henrique-escobar/" target="_self">Pedro Henrique Escobar</a>

Pedro Henrique Escobar

Pedro Henrique Escobar é formado em Administração e gerente de marketing no eGestor. O eGestor é uma ferramenta online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: eGestor.

Comentários:

Compartilhe seu comentário, dúvida ou sugestão!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar…

Guia do MEI: Tudo sobre o MEI – Blog do eGestor

O MEI (Microempreendedor Individual) é um tipo de empresa voltado para formalização de profissionais autônomos. O custo para abrir um MEI é zero. Os impostos pagos pelo MEI são o ICMS, pela venda de mercadorias, o ISS, por prestação de...

Fluxo de Caixa: Guia de como fazer o da sua empresa

O que é o fluxo de caixa?O fluxo de caixa é o controle de todos os valores que entram e saem do financeiro da empresa. Qual o objetivo do fluxo de caixa?O objetivo do fluxo de caixa é garantir a saúde financeira do negócio, assegurando...

NFC-e (Nota fiscal de consumidor eletrônica) [Atualizado]

Emitir NFC-e Todo produto ou serviço vendido, deve ter sua comprovação fiscal e um dos meios de atestar essa transação é a nota fiscal. Afinal, ela dá segurança tanto à empresa que vende o produto, quanto ao consumidor que o compra....

ERP: O que é e vantagens [GUIA COMPLETO]

Teste Grátis A administração de uma empresa acontece diariamente, com processos e controle que devem ser feitos a todo momento. Esses processos são o que mantém a empresa funcionando, e esse controle é o que mantém as contas em dia e os...

Controle de Estoque: Como fazer um controle profissional

Porque o controle de estoque é tão importante para a empresa? O estoque é o principal ativo de uma empresa, sendo a forma mais importante de fazer dinheiro. Por isso, ter total atenção a gestão do estoque é de extrema importância. Se a...

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): o que é e quem emite

A NFS-e, ou Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, é um dos tipos de notas fiscais que existe juntamente com a nota fiscal, a nota fiscal do consumidor e o conhecimento de transporte. Elas são úteis para empresas que tem como uma das funções...

Faturamento: O que é, como calcular e aumentar o seu

Porque o faturamento é tão importante para a empresa? Porque ele é o valor, em dinheiro, que a empresa recebeu em um período. Assim, ele demonstra se o resultado foi satisfatório ou não. Com o acompanhamento se tem uma melhor ideia da...

Controle financeiro empresarial: Como fazer passo a passo

Passo a passo para fazer o controle financeiro da sua empresa Faça o controle do fluxo de caixa Separe custos e receitas Planejamento de recebimentos e pagamentos Registre todas as operações financeiras Tenha um orçamento bem estruturado...

Gestão empresarial: guia definitivo para o sucesso do seu negócio

Toda empresa precisa ter um objetivo, uma missão maior que guie todas as suas atividades. Independente de qual for esse objetivo, ele tem tudo a ver com a gestão empresarial. Isso porque é através de uma gestão empresarial competente e...

Nota fiscal eletrônica: tudo o que você deve saber [ATUALIZADO]

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um documento cuja função é atestar a venda de um produto ou a prestação de um serviço. Ela foi desenvolvida com o objetivo de substituir alguns sistemas de impressão de documentos fiscais em papel. Assim...