fbpx

Just In Time (JIT): Entenda o que é e como funciona

Você já parou para pensar se existe alguma metodologia que auxilie a empresa no desenvolvimento de uma cadeia de produção exata? Bom, independente de sua resposta, saiba que existe e se chama “Just in Time”.

Essa metodologia é responsável por regular as operações e as execuções conforme o nível de demanda, ou seja, tudo ocorre em um tempo determinado, nem antes e nem depois. Além disso, para que o just in time funcione corretamente o gestor precisa controlar o fluxo da empresa.

Continue a leitura deste material se você deseja entender o que é o just in time e de que forma se dá o seu funcionamento.

O que é Just in Time?

Just in Time em sua livre tradução significa “na hora certa”, ou seja, trata-se de uma técnica da gestão de produção que faz as empresas comprarem e/ou produzirem somente a quantidade exata de produtos, para satisfazer as necessidades dos clientes no momento certo.

Ele se baseia na ideia de não produzir, transportar ou comprar nenhum produto antes do tempo ideal. Aplica-se este processo em qualquer empresa e ajuda a reduzir estoques e também custos com processos. Pois primeiro é preciso vender um produto para depois comprar o material para fabricá-lo.

Para que funcione da melhor maneira possível é preciso que todo o público estratégico que se envolve no processo tenham a noção de que esse tipo de produção que é feita em determinada empresa. O fornecimento de materiais precisa ser capacitado para realizar as entregas, assim como as distribuidoras que possam receber os produtos.

Qual é a principal proposta do Just in Time?

A principal proposta do Just in Time é organizar o ambiente de produção, determinando a eliminação de desperdícios, e visando a melhoria contínua dos processos.

Este método é a base para uma melhor posição competitiva da empresa, aumentando a agilidade, a qualidade e o preço dos produtos. Além disso, evita armazenamentos enormes, e ainda poupa espaços e recursos.

Quais são os objetivos do JIT?

O maior objetivo desse método é a entrega de produtos ou serviços no momento certo e para a utilização imediata, ou seja, para que a produção esteja alinhada com os pedidos feitos.

Isso faz com que as melhorias sejam contínuas, o estoque seja reduzido e a continuidade do processo seja mais efetiva. Além disso, não é necessário a produção de novos itens.

Reduzir desperdícios

O JIT é um processo que exige do gestor uma ideia de qual é o tempo certo, a quantidade suficiente, e o local correto. É essa ideia que faz com que a empresa consiga produzir o necessário para atender a sua demanda, garantindo a qualidade do produto final. Dessa forma, se reduz o desperdício de matérias primas e produtos.

Processos mais efetivos

Por oferecer uma forma de reduzir erros e melhorar o planejamento, o Just in Time traz processos mais efetivos. Isso acontece porque, de acordo com a metodologia, tudo deve acontecer perfeitamente.

O JIT é o que as empresas utilizam hoje para conseguirem buscar melhoria nos processos produtivos, essa melhoria consegue ser sentida quando é possível reduzir drasticamente o estoque, já que essa diminuição faz com que seja mais fácil lidar com problemas no estágio de produção sem ter que se preocupar com produtos sem saída no estoque.

No momento em que uma empresa consegue diminuir o estoque, os problemas que antes não afetavam diretamente a produção se tornam mais presentes, o que faz com que seja mais fácil eliminá-los.

Otimização da produção

A otimização do processo de produção também é um grande objetivo do Just in Time. Ela faz com que a empresa se torne mais competitiva no mercado.

É necessário que a empresa tenha na cabeça quais processos terão que ser otimizados, entender quem é o cliente e qual é o tamanho da demanda, e que adote para si um compromisso com a garantia de entregas de qualidade e de melhoria contínua. Tudo isso junto trará um resultado muito mais assertivo no final da produção.

Padronização de processos

Para garantir que as etapas dos processos ocorram perfeitamente é preciso que elas passem por uma padronização. Assim, ela garante que tudo ocorra como o planejado, sem mudanças e de forma ágil.

Tipos de desperdício

Shigeo Shingo, juntamente com Taiichi Ohno, foi fundador do Sistema Toyota de Produção. Ele indicou 7 tipos de desperdícios que se pode ter e podem ser resolvidos com o JIT:

  1. superprodução: produção muito além do necessário;
  2. transporte: cuidado ao manusear os produtos;
  3. processamento em si: etapas de processamento que não são necessárias;
  4. produção de produtos defeituosos: falta de cuidado na produção;
  5. estoque: tempo de preparo elevado;
  6. movimentação: esforço desnecessário;
  7. espera: tempo elevado para entrar no próximo centro de trabalho.

Como funciona o just in time?

O funcionamento da metodologia JIT depende de uma série de alinhamentos, mas vale lembrar que disciplina é essencial para que funcione com sucesso.

Confira as etapas que são necessárias para um bom funcionamento do JIT:

Tempo

O próprio nome do Just in Time já deixa claro que os processos necessitam de um tempo, e que ele é extremamente importante para que as coisas sejam feitas no momento certo. Mas vale ressaltar que não é somente agilidade que importa, a qualidade deste processo precisa ser sempre boa.

Além disso, é importante ter em mente que sempre será dessa forma a agilidade nos processos e a busca por cada vez mais qualidade.

Controle de qualidade

Como citamos anteriormente a qualidade é muito importante, mesmo que a agilidade seja um dos pontos estratégicos, a qualidade precisa estar em constante melhora, ou deve ficar exatamente a mesma, não pode diminuir.

É necessário que se encontre um equilíbrio entre a a qualidade e a agilidade, para isso é preciso saber conciliar as duas durante o processo de produção.

Equipe capacitada

Para que este método funcione corretamente é importante fazer os processos necessários, e a equipe precisa estar capacitada, para amanter uma rotina de operação sob demanda.

Então, se atente na sua equipe e n forma com que você irá administrá-la, lembre-se que precisam de agilidade, mas também precisam fazer um trabalho eficiente e que melhore os processos de produção do serviço.

Padronização

Essa padronização refere-se aos processos que envolvem e interferem toda a produção, porque além dos colaboradores é importante focar nas estratégias da própria empresa, ou seja, pensar em desenvolvimentos padronizados que facilitarão o fluxo de trabalho.

A empresa precisa pensar em todos os cenários que acontecerão durante estes processos produtivos. Planejando desde a entrada, até a saída dos produtos. Assim, será mais fácil seguir um padrão.

Fornecedores

Os fornecedores também fazem parte deste processo porque é por meio deles que os pedidos irão chegar. Por isso, é importante que eles sejam capacitados para cumprir suas demandas corretamente, sem atrasos ou outras pendências.

Dessa forma, se você desenvolver um bom relacionamento com eles, a comunicação vai se tornar mais fácil. Assim, poderá deixá-los cientes sobre o funcionamento da produção, e o quanto é importante que eles estejam aptos para atender com rapidez todas as demandas, em todas as suas fases.

Dicas para implementar o JIT em seu negócio

Para a implemetação do JIT em seu negócio é necessário reavaliar todo o processo de produção, uma vez que isso demanda tempo e alguns investimentos para trazer melhorias. Além disso, também é importante fazer um treinamento de equipe.

Confira algumas dicas para implementar o Just in Time em sua empresa:

  • Reorganize toda a produção;
  • Forme uma equipe capacitada para os novos moldes, objetivos e regras;
  • Auxilie os fornecedores;
  • Colabore com clientes;
  • Altere o sistema de produção;
  • Faça um planejamento baseado nas encomendas.

Como usar o JIT na sua empresa

Para aplicar esse método no estoque do seu negócio será necessário cumprir alguns requisitos, por exemplo:

Treinamento

Por ser um processo que é muito preciso, os colaboradores que participam da manutenção do estoque, vendas e financeiro, devem passar por um treinamento. Ele servirá para que todos saibam exatamente como operar e não sejam pegos de surpresa com as mudanças.

Controle preciso e melhoria de processos

Como o objetivo principal do JIT é a melhoria de processos de um negócio, será necessário ter todos esses processos controlados e extremamente controlados, uma vez que não existe margem para erros.

Ou seja, todos os procedimentos devem ser acompanhados precisamente para evitar falhas e saber o que está sendo feito. Com isso, o controle de estoque não pode ser feito através de um caderno ou uma planilha de produção, por exemplo, ele deve ser feito com um sistema que seja completamente integrado, como um sistema de gestão.

Vantagens e desvantagens do Just in Time

Por ser um processo que depende do tempo certo, literalmente, o JIT consegue diminuir os custos com estoque e sua manutenção. Ou seja, ele faz um grande papel no controle de estoque pois evita que produtos fiquem parados, melhorando o armazenamento. Assim, também ajuda na hora de realizar as compras com seu fornecedor, porque se sabe exatamente o que é necessário comprar e não há prejuízo comprando itens a mais ou a menos.

O Just in Time também corrige equívocos na produção e distribuição do estoque, uma vez que ajuda a identificar diversos problemas.

Porém, nem sempre esse método de controle de estoque pode ser utilizado. Isso porque muitas empresas não possuem uma previsibilidade tão grande do negócio, e as oscilações fazem parte. Ainda, é preciso contar com fornecedores que possam entregar os produtos na hora, sem possibilidade de erros.

Otimização do estoque e dos processos

Com o uso da metodologia se otimiza todos os processos, mas também, a gestão do estoque. Ou seja, utilizando o JIT o estoque não fica com produtos encalhados e é possível fazer um controle mais preciso da quantidade de matérias-primas.

Redução de custos e desperdícios

Ter um roteiro perfeito de etapas na produção evita que sejam desperdiçadas matérias-primas, que produtos defeituosos sigam na linha de produção e, também, os valores gastos com armazenamento são menores.

Por exemplo, quando se usa um sistema de controle de produção é possível fazer o controle de perdas na hora da produção. Dessa forma, as quantidades são aperfeiçoadas.

Por que utilizar o Just in Time?

As vantagens de utilizar esse sistema de gestão são inúmeras, mas o que mais chama atenção é como ele contribui para o aumento da competitividade das empresas que o utilizam.

O Just in Time também busca reduzir os custos para o que for somente muito necessário. O planejamento e a busca pela melhoria contínua dos processos produtivos ajudam a reduzir desperdícios e também reduzir significativamente o tempo de preparação e de movimentação durante todas as etapas de produção dos produtos finais.

A qualidade também é maior em empresas que utilizam o Just in Time, isso por que ele evita que existam defeitos e retrabalho durante o processo completo. Além disso, é uma filosofia que busca causas de problemas e soluções para que eles não se repitam durante a produção.

Os trabalhadores são sempre treinados para que façam seu trabalho da melhor maneira possível, verificando sempre a qualidade daquilo que entregam. Se um lote completo for produzido com algum defeito, o tamanho menor dos lotes diminui também a quantidade de produtos que serão afetados pelo problema.

Por último podemos citar a flexibilidade. O Just in Time faz com que a flexibilidade de resposta dos sistemas seja maior. Isso porque o tempo envolvido em cada processo é menor e ajuda o sistema a se tornar mais produtivo e também mais flexível quando se analisa variações de produtos finais.

Como surgiu o Just in Time

Depois da crise de 1929, que desmontou a credibilidade do sistema Fordista, a Toyota viu a necessidade de um sistema que não deixasse os estoques cheios de carros. Isso aconteceu também pela diferença de tamanho dos países. Como sabemos, a área física dos EUA, onde o modelo fordista foi iniciado, é muito maior que a do berço do sistema Toyotista.

A partir da Segunda Guerra Mundial, a Toyota começou a fabricar poucos automóveis de poucos modelos diferentes. Por isso, era preciso trabalhar com flexibilidade para fabricar lotes menores com a mesma qualidade das grandes empresas americanas.

Assim, a ideia de produzir somente o que o mercado demandava passou a ser utilizada por outros fabricantes. E depois dos anos 1970, os automóveis que eram fabricados no Japão se tornaram muito competitivos. Tão competitivos quanto os veículos fabricados pelas grandes empresas automobilísticas.

Foi assim que o Just in Time se tornou mais do que uma maneira de realizar a gestão da produção. Mas sim, uma filosofia que abrange também a gestão de material, de qualidade, de organização, de produto, do trabalho, e dos recursos humanos.

É uma filosofia que tem como característica a produção a partir da procura e da demanda. Nela se produz somente o necessário, na quantidade certa e no momento certo.

Nesse tipo de gestão, cada etapa do processo serve para produzir somente o que for necessário para que seja possível ser realizada a próxima fase, na quantidade e no momento certos. O ideal é que seja aplicado em todas as etapas do processo, isso ajuda a redução de estoque tanto em financeiro quanto em armazenamento. Além da eliminação de custos é possível ganhar produtividade e qualidade.

Just in time e Kanban

O método de gerenciamento de produção e o sistema de cartões, ambos de origem japonesa, se complementam. Esses, foram pilares para o sistema Toyota de produção, que substituiu o sistema Fordista de produção. Assim, esses contribuíram para criação de um sistema onde nada era produzido, a não ser que houvesse um destino, evitando prejuízos.

O Kanban é um método que se utiliza de cartões coloridos ou com outras maneiras de identificação, para designar ou especificar tarefas. Dessa forma, ele dá total suporte a empresas que utilizam o JIT.

Cautelas ao aplicar o Just in Time

O gestor que fizer a aplicação do JIT, precisa tomar cuidado para não aplicá-la em empresas com poucas demandas ou muitas oscilações, porque existem algumas empresas que realmente necessitam de um estoque com diversos produtos e sempre bem abastecido.

Além disso, já mencionamos anteriormente mas vale ressaltar que os fornecedores precisam estar cientes sobre a demanda e quantidade no momento certo. Então, certifique-se que eles realmente serão capazes para que a produção não seja prejudicada por falta de material.

Banner-conversao-eGestor-blog
Início 9 Sistema de Gestão 9 Controle de Estoque 9 Just In Time (JIT): Entenda o que é e como funciona
Escrito em: 07/06/22
<a href="https://blog.egestor.com.br/author/pedro-henrique-escobar/" target="_self">Pedro Henrique Escobar</a>

Pedro Henrique Escobar

Pedro Henrique Escobar é formado em Administração e gerente de marketing no eGestor. O eGestor é uma ferramenta online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: eGestor.

Comentários:

Compartilhe seu comentário, dúvida ou sugestão!

3 Comentários

  1. Wellington Domingues

    Boa noite. Gostei muito da matéria e gostaria de usar algumas ideias como referência para um trabalho de escola. Gostaria de saber a data da publicação e o nome do autor que escreveu. Grato

    Responder
  2. Érica Bezerra Vieira

    Gostei muito é exatamente o que estou procurando queria que fosse em PDF pra imprimir

    Responder
  3. EDLENA MAXIMO

    gostei muito

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar…

Controle de Estoque: Como fazer um controle profissional

Porque o controle de estoque é tão importante para a empresa? O estoque é o principal ativo de uma empresa, sendo a forma mais importante de fazer dinheiro. Por isso, ter total atenção a gestão do estoque é de extrema importância. Se a...

Fluxo de Caixa: Guia de como fazer o da sua empresa

O que é o fluxo de caixa?O fluxo de caixa é o controle de todos os valores que entram e saem do financeiro da empresa. Qual o objetivo do fluxo de caixa?O objetivo do fluxo de caixa é garantir a saúde financeira do negócio, assegurando...

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): o que é e quem emite

A NFS-e, ou Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, é um dos tipos de notas fiscais que existe juntamente com a nota fiscal, a nota fiscal do consumidor e o conhecimento de transporte. Elas são úteis para empresas que tem como uma das funções...

Controle financeiro empresarial: Como fazer passo a passo

Passo a passo para fazer o controle financeiro empresarial Faça o controle do fluxo de caixa Separe custos e receitas Planejamento de recebimentos e pagamentos Registre todas as operações financeiras Tenha um orçamento bem estruturado...

Nota fiscal eletrônica: tudo o que você deve saber [ATUALIZADO]

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um documento cuja função é atestar a venda de um produto ou a prestação de um serviço. Ela foi desenvolvida com o objetivo de substituir alguns sistemas de impressão de documentos fiscais em papel. Assim...

ERP: O que é e vantagens [GUIA COMPLETO]

Teste Grátis A administração de uma empresa acontece diariamente, com processos e controle que devem ser feitos a todo momento. Esses processos são o que mantém a empresa funcionando, e esse controle é o que mantém as contas em dia e os...

Faturamento: O que é, como calcular e aumentar o seu

Porque o faturamento é tão importante para a empresa? Porque ele é o dinheiro que a empresa recebeu em um período, que mostra se ele foi bom ou não. Acompanhar o faturamento se sabe quanto a empresa pode gerar de capital. Ele também é...

Gestão empresarial: guia definitivo para o sucesso do seu negócio

Toda empresa precisa ter um objetivo, uma missão maior que guie todas as suas atividades. Independente de qual for esse objetivo, ele tem tudo a ver com a gestão empresarial. Isso porque é através de uma gestão empresarial competente e...

Guia do MEI: Tudo sobre o Microempreendedor Individual

O MEI (Microempreendedor Individual) é um tipo de empresa voltado para formalização de profissionais autônomos. O custo para abrir um MEI é zero. Os impostos pagos pelo MEI são o ICMS, pela venda de mercadorias, o ISS, por prestação de...

NFC-e (Nota fiscal do consumidor eletrônica) [Atualizado]

A NFC-e é uma nota fiscal utilizada para registrar vendas de produtos. Ela é emitida diretamente para o consumidor final. Para emitir a NFC-e deve ser utilizado um sistema emissor de notas fiscais. Emitir NFC-e Todo produto ou serviço...