Conheça 8 métodos de gestão de estoque para a sua empresa!

O controle de estoque é algo imprescindível dentro de uma empresa. Sem ele, não há como controlar o que se tem dentro da empresa, podendo até causar erros de venda. A sua importância vai da otimização de recursos que o controle traz e a redução de desperdícios, por exemplo. Entenda em nosso post quais os principais métodos de gestão de estoque e as vantagens que eles trazem para sua empresa!

PEPS

O método de gestão de estoque PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai) consiste na saída de produtos em uma ordem cronológica. Esse é um dos métodos de gestão de estoque mais utilizados pelas empresas devido a suas vantagens. Por isso, ele também é o método utilizado pela Receita Federal para o cálculo de tributos.

O objetivo do método é que ao realizar uma venda, o produto que entrou primeiro em estoque seja vendido. Dessa forma, é necessário um controle muito grande de estoque, uma vez que se não houver essa administração, não se saberá qual lote chegou primeiro.

Sendo utilizado principalmente em restaurantes, uma das vantagens do método é evitar desperdícios. Usando restaurantes como exemplos, podemos citar a data de validade. Quando se vende primeiro os itens que entraram antes, evitasse que alguns estraguem.

Além disso, também podem incentivar a concorrência. Quando se coloca à venda um produto que já está em estoque há algum tempo, se considera o valor pago por ele. Fazendo assim, com que o valor possa ser mais baixo que os concorrentes. 

UEPS

O método de gestão de estoque UEPS é o contrário do método PEPS. A sigla para esse método de gestão de estoque significa Primeiro que Entra, Primeiro que Sai. Ou seja, a venda prioriza a saída dos itens que entraram por último. Esse método não deve ser utilizado por empresas que comercializem produtos perecíveis, devido a possibilidade de estragar. 

A maior preocupação desse método está relacionada aos valores dos itens. O que acontece, é que, novamente ao contrário do método anterior, se os lotes que entraram por último são mais caros, eles devem ser vendidos primeiro.

Custo Médio

O último dos métodos de gestão de estoque aceitos pelo Fisco é o do Custo Médio. Ele também é chamado de Média Ponderada Móvel ou Preço Médio Ponderado. Assim como o UEPS, o método de Custo Médio não é indicado para todos os tipos de empresa. 

Para a utilização da MPM (Média Ponderada Móvel) é necessário a realização de um cálculo. Isso, porque o método utiliza os valores dos produtos já em estoque com os produtos que entraram por último para calcular seu valor total. Dessa forma, o cálculo feito será a soma de valores de produtos que já se encontravam no estoque com os valores dos produtos novos, divididos pela quantidade total de produtos. 

Um exemplo prático é o seguinte: se uma empresa tem um estoque de 30 produtos comprados pelo preço de R$ 20,00 cada e compra mais 20 produtos pelo preço de R$ 25,00 cada. O cálculo a ser feito será de:

20 x 30 + 25 x 20 / 30 + 20 = 22

Assim, tendo como resultado o Custo Médio do produto R$ 22,00. Esse valor deve ser utilizado para cálculos de venda e na dedução do IRPF.

Outros métodos de gestão de estoque

Os meios citados acima são os utilizados e autorizados pelo Fisco. Mas ainda existem outros meios que podem ser utilizados internamente para uma melhor gestão do seu estoque.

Estoque Mínimo

O método de gestão denominado Estoque Mínimo é quando existe um ‘estoque de segurança’. Ou seja, além da quantidade mínima exigida, há um estoque com produtos a mais, em caso de um aumento de demanda ou outros possíveis acontecimentos. Esse estoque é utilizado em caso de uma falta de produto para repor produtos que já saíram.

O Estoque Mínimo também possui um cálculo, para que a empresa saiba qual o tamanho da sua necessidade. Ele possui duas etapas. Primeiro é preciso calcular o consumo médio diário. Esse valor é o resultado do consumo de mercadorias em um período, dividido pela quantidade de dias desse período. Assim, a segunda parte é a multiplicação do consumo médio diário e do tempo de reposição de um produto. 

Podemos usar de exemplo um produto que teve 120 unidades consumidas no intervalo de um mês. Seu consumo será de 4 unidades por dia, ou seja, o consumo médio diário é 4 (120 unidades / 30 dias). Utilizando 15 dias como tempo de reposição, o resultado do cálculo de estoque mínimo será de 60 unidades (4 (consumo médio diário) x 15 (tempo de reposição) = 60)

Just in Time

Just in Time, ou ‘No Tempo Certo’, é um método de gestão de estoque que utiliza o mínimo do estoque. Ele é utilizado quando se quer realizar o corte de gastos dentro da empresa. Dessa forma, se mantém o mínimo de produtos que atenderão os clientes em estoque.

Para a utilização do Just in Time você precisa ter, em primeiro lugar, fornecedores confiáveis. Também é preciso um controle de estoque extremamente eficiente. Ele que controlará todos as entradas e saídas do seu estoque, assim, necessitando um resultado preciso para que a empresa não fique sem estoque. Um controle por planilhas, mesmo atualizado constantemente, não tem integração nenhuma. Isso só faz com que a sua empresa sofra as consequências por uma controle desalinhado.

Curva ABC

No método de gestão de estoque denominado Curva ABC, são levados em conta três fatores: giro, faturamento e lucratividade. Utilizando-os chegamos a três tipos de produtos, do tipo A, do tipo B e do tipo C. Esse meio traz uma nova visão para a empresa. Isso, porque muitas vezes pensamos que o produto mais vendido é o que mais traz lucro para a empresa, mas a curva ABC prova que pode não ser assim.

Utilizando um sistema ERP, é possível ter acesso a relatórios que determinam que produtos são do tipo A, do B ou do C. Cada tipo quer dizer algo:

  • Grupo A: são os principais produtos. Trazem lucratividade, faturamento e tem um giro razoável.
  • Grupo B: normalmente estão em maior quantidade em um estoque. Esses tem um giro alto, o que faz com que seja vendido recorrentemente e representem lucro e faturamento razoável.
  • Grupo C: não são tão procurados, mas há necessidade de ter eles em estoque. Não representam um valor tão expressivo de lucratividade, faturamento ou giro.

Após uma análise desses produtos, é possível definir quais produtos devem estar constantemente em estoque, e os que são mais lucrativos. Também impede a aglomeração de produtos em estoque. Isso tudo, melhorando a receita da empresa.

Preço Específico

Utilizado por empresas que vendem produtos de fácil identificação, como carros ou grandes maquinários. Esse método de gestão de estoque consiste na identificação de valores de um determinado produto e assim, o responsável por isso pode realizar o cálculo de venda. 

PVPS

PVPS é um método de gestão de estoque baseado no método PEPS. Sua sigla se refere a Primeiro que Vence, Primeiro que Sai. É utilizado o mesmo método do PEPS, mas ao contrário de ser vendido o primeiro a ser comprado, é vendido o primeiro a vencer. Isso reduz perdas e gastos que podem acontecer, além do desperdício. 

Considerações Finais

Os métodos apresentados nesse artigo servem para que você possa controlar seu estoque de uma forma simples, evitando problemas. Uma outra forma de controle que pode ajudar é com um sistema de gestão com controle de estoque. Sua ajuda é provada analisando a integração do sistema. Isso significa que quando uma venda for inserida no sistema, o produto sairá do estoque no sistema também.

Teste o eGestor gratuitamente por 15 dias!

Banner eGestor

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br