Reposição de estoque: saiba quando e como realizar!

Tanto para empresas que trabalham com a comercialização, quanto as que trabalham com a produção, realizar uma reposição de estoque eficiente para evitar rupturas e não perder oportunidades de venda, é essencial. 

Mas ao mesmo tempo, é necessário analisar a demanda para cada produto. Isso pois determinados itens não necessitam de uma reposição tão imediata e podem vir a ficar estagnados na prateleira dependendo da quantidade armazenada. Assim, gerando um grande desperdício do capital que foi investido.

Portanto, uma reposição de estoque bem feita garante um melhor aproveitamento de recursos e ao mesmo tempo mantém as prateleiras sempre prontas para atender a demanda. Neste artigo vamos listar algumas estratégias de reposição de estoque, para que você possa realizar este processo de uma forma equilibrada e não sofrer com a falta e nem com o excesso de produtos. Siga com a gente!

1- Análise a rotatividade de seus produtos

Quando for o momento de solicitar uma reposição no estoque, é preciso estar atento a alguns pontos. Isso também vale para saber quais produtos merecem mais atenção em relação aos outros. Um desses pontos é o histórico de vendas da sua empresa, que deve ser analisado minuciosamente. Outro é a demanda de cada produto nos períodos analisados.

A partir dessa análise é possível se ter uma ideia a respeito de quais produtos devem ser repostos. Assim como qual deve ser de forma imediata e quais não necessitam de tanta urgência de reposição.

Outro fator que deve ser levado em conta é o prazo. Sabendo quando um produto saiu do estoque e quando foi reposto também é importante. Inclusive para verificar prazos de entrega dos fornecedores.

Planilha de controle de estoque gratuita para download

2- Faça o método de previsão de demanda

É com a análise que tudo vai funcionar. A partir de uma análise dos histórico de vendas, é possível identificar padrões. Dessa forma, se pode realizar uma projeção futura da demanda, a partir dos produtos mais e menos vendidos.

 Na previsão de demanda também é preciso considerar períodos de sazonalidade de mercado. Lojas de presentes, por exemplo, devem ficar atentas a datas comemorativas como dia das mães, dia dos pais e dia dos namorados, dentre outras. Esses são períodos em que certamente haverá uma maior demanda e os estoques devem ser repostos com uma maior agilidade.

3- Utilize um bom sistema de controle de estoque

Existem algumas ferramentas que trazem os relatórios sobre seus produtos. Uma delas é um sistema de controle de estoque, como o eGestor. Ele gera os mais importantes relatórios sobre seus produtos de forma totalmente automatizada. Um desses relatórios é o de curva ABC. Ela classifica os seus itens dos mais aos menos vendidos e em relação aos que geraram um maior faturamento.

A partir do relatório de estoque mínimo, o sistema emite avisos em relação aos produtos que se encontram em uma quantidade abaixo do padrão e que estão em falta no estoque, indicando o momento certo para a reposição.

eGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

De que forma estabelecer o tempo de reposição de estoque?

A definição do tempo de reposição de estoque vai depender muito do volume e frequência de vendas do seu negócio. Se você percebe um volume de vendas de certa forma padronizado ao longo de todos os meses, a reposição de produtos a cada saída pode ser feita a partir de intervalos fixos pré-estabelecidos.

Já no caso de empresas que apresentam significativas variações de um mês para o outro, talvez a melhor alternativa seja formar parcerias com os fornecedores, de forma a solicitar reposições de acordo com a necessidade e ter acesso a uma entrega mais ágil por parte desses fornecedores.

Para ambos os casos, é de extrema importância se preparar e precaver-se contra períodos de sazonalidade conforme falamos anteriormente, que podem gerar um impacto positivo ou negativo nas vendas de acordo com a situação. Podemos citar como exemplos de sazonalidades positivas, algumas datas comemorativas como dia dos pais e dia das mãe, que apresentam um grande aumento nas vendas do comércio varejista.

Já como situações negativas podemos citar o aumento da inflação, dentre outros fatores. A velocidade de reposição também será influenciada significativamente diante destes e outros fatores sazonais de mercado. Afinal, de nada adianta manter o mesmo tempo de reposição em períodos de quedas drásticas nas vendas ou então manter o intervalo padronizado em períodos de aumento na demanda. É preciso adequar as suas estratégias de reposição de acordo com o contexto e as necessidades da sua empresa para um determinado período.

Apesar de possíveis variações decorrentes dos períodos de sazonalidade, entender alguns conceitos pode ser útil para direcionar este processo em sua empresa e tornar a sua reposição de estoque mais eficiente. Entre estes conceitos, estão o de estoque mínimo e o estoque máximo, os quais vamos falar a partir de agora.

Afinal, o que é o estoque mínimo?

Estoque mínimo ou estoque de segurança nada mais é do que uma determinada quantidade reserva de um produto no estoque, de forma a suprir as necessidades da empresa durante o período em que um determinado produto não é efetivamente reposto. É uma quantidade que garante que não haverá falta de estoque durante o período de reposição.

A partir do estoque de segurança, você pode se precaver contra possíveis atrasos nas entregas dos fornecedores. E assim, manter o estoque abastecido para atender demandas acima da média de vendas da empresa.

Para estabelecer a quantidade do estoque de segurança, é preciso avaliar os prazos de entrega dos fornecedores e o histórico de vendas de um determinado produto, bem como os períodos sazonais, os quais falamos anteriormente. O estoque mínimo pode ser obtido a partir das seguintes fórmulas:

  • Estoque mínimo= consumo médio diário x tempo de reposição;
  • Consumo médio diário= consumo das mercadorias em um determinado período / dias deste períodos;

E o estoque máximo?

O estoque máximo por sua vez, indica uma quantidade limite. Essa não deve ser extrapolada no momento da reposição, para que não ocorra excedente no estoque. Se determinado produto possui 60 unidades como estoque máximo e solicitaram 40, a empresa só pode solicitar mais 20 unidades.

É importante levar em conta o tamanho do espaço de armazenagem para os produtos. Também se deve analisar produtos que não possuem alto volume de vendas e tendem a estagnar mais facilmente nas prateleiras. Outro aspecto importantíssimo no momento de definir o estoque máximo, é em relação aos produtos perecíveis. Esses, devem ser armazenados somente na sua quantidade mínima para atender a demanda.

Gostou do texto? Disponibilizamos gratuitamente o nosso guia de controle de estoque sazonal com muito mais dicas para você!

Guia de Controle de Estoque Sazonal

 

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br