Capital de giro: entenda o que é e como calcular

Se você por acaso pretende se aventurar pelo mundo do empreendedorismo, precisa saber desde já que a taxa de mortalidade de empresas brasileiras, infelizmente, é altíssima para os primeiros anos de abertura de um negócio. Isso se dá, em parte, pela burocracia dos processos de formalização e manutenção do empreendimento. Mas também pela nada rara falta de conhecimento gerencial de seus proprietários.

O capital de giro é uma das bases empresariais mais importantes. Isso porque é por meio dele que transações financeiras se tornam possíveis. Toda a gestão financeira da empresa é controlada através do capital de giro.

Muitos donos de empresas sequer sabem o que é capital de giro. Ou como ele é importante para a longevidade do negócio. Assim, sem o controle dessa especificidade, não é possível fazer com que a instituição tenha sucesso em suas finanças e processos.

Vale lembrar que a instituição, independentemente de seu tamanho, possui diversas carências e estas necessitam de investimentos e planejamento para saber o que será ou não feito.

E esse planejamento muitas vezes precisa de um valor para ser aplicado e realizado. Esse é o benefício de contar com um capital de giro. Ele permite que essas ações possam ser realizadas sem maiores problemas. Quer entender melhor esse assunto e qual seria o real impacto em sua empresa? Então, leia este artigo até o final e tome nota das dicas!

eBook capital de giro

Então o que é esse tal capital de giro?

O capital de giro nada mais é que a somatória do que a empresa possui de disponibilidades financeiras imediatas com seus estoques. Contando tanto com as mercadorias prontas para a venda, como com as que ainda estão em produção. Pode-se considerar que esses recursos representam os pulmões das empresas. Já que dão aquele impulso de ar fresco em meio a quaisquer problemas que surjam no pelo caminho.

O que o capital de giro representa?

O capital, então, é a junção do dinheiro que se tem em caixa somado ao estoque que a empresa possui, mais as contas a receber.

É fácil de ser feito este controle do capital de giro? Nem um pouco. Até porque, são muitas especificações e detalhes que, se passados em branco, acabam prejudicando os valores finais, que necessitam exatidão.

Sem o controle de capital de giro e sem o dinheiro em caixa para fazer as coisas na empresa acontecerem até os próximos recebimentos, as empresas simplesmente não funcionam, e vão à falência. E isso é muito comum, principalmente, com aquelas que estão começando e ainda não possuem base para entender estas questões.

Outra ação comum é gaste mais do que se pode no início, como investimento, e depois acabe faltando base para dar continuidade aos negócios.

Posso calcular?

Pode. Você mesmo pode calcular o seu capital de giro de uma forma bem simples. Até porque as despesas costumam se desenrolar em qualquer negócio. E para ter controle disso, é bom sempre calcular esse valor para ter noção do quanto você precisa. Primeiro, atente-se ao seu ciclo de caixa.

Quanto mais tempo demorar o recebimento do ciclo de caixa pelo capital de giro, maior será o tempo deste ciclo. E a demanda também irá aumentar para custear seu negócio. Só para ter uma ideia, o capital de giro normalmente corresponde cerca de 60% dos ativos totais de negócio. É por isso que, com toda essa frequência intensa na receita do seu negócio, calcular o capital de giro precisa ser uma tarefa contínua. Para você calcular, basta usar a seguinte equação:

CGL (capital de giro líquido) = AC (ativos circulantes) – PC (passivos circulantes)

Quando calcular?

Toda vez que entrar alguma receita ou custear alguma solução do seu negócio é importante que você faça esse cálculo. Fazendo isso, ficará mais fácil de você identificar furos financeiros, falta de recursos, reduzir inadimplências. Também fazer cortes necessários em algumas despesas, negociar dívidas ou acertar outras ações financeiras. E ainda ter uma previsão de cobrança de juros feita pelos bancos.

Se tiver alguma dúvida sobre o que é um ativo circulante ou um passivo circulante, preste atenção nos recursos que você opera no negócio. Dinheiro depositado em bancos, em caixa, mercadorias, bens do estoque e contas a receber são alguns tipos de ativos circulantes. Alguns exemplos de passivos circulantes são as contas que o negócio precisa quitar, dívidas com prazo de pagamento em até uma ano. Também impostos, empréstimos feitos em bancos para investir no negócio e encargos sociais a serem pagos. 

O cálculo traz mais equilíbrio entre risco de levar o negócio à falência e a busca por rentabilidade. Procure conhecer qual o valor do seu capital de giro e planeje bem suas estratégias financeiras. Tenha uma noção melhor da sua política de bens, das suas compras feitas e dos prazos de recebimentos e seu desempenho patrimonial.

Planilha de controle de estoque gratuita para download

Controlando o capital de giro

Através de algumas técnicas, não apenas o capital de giro da sua empresa passa a funcionar, mas todos os seus negócios de modo geral, como consequência. Veja quatro dicas do que pode ser feito:

Planejamento e gestão

Você só tem uma coisa a fazer se deseja administrar o seu capital de giro da melhor forma. Planejar o que será feito com ele. Porque, a partir disso, apenas com o planejamento e a gestão você já poderá se organizar. Além de descobrir quando e como serão os momentos certos de utilizá-lo. A redução de alguns custos, assim como os seus cortes, sempre que possível, auxiliam neste processo. Lembre-se de sempre fazer esta gestão a longo e não em curto prazo, ou então, de nada ela adiantará.

Acompanhamento de entradas e saídas

Este, talvez, seja o item mais importante. A partir do momento em que se tem um controle, não há a necessidade de, por exemplo, ser obrigado a adiantar os recebíveis, que além de custos, costumam ter muitas taxas. Isso quando é possível. Muitas vezes, as empresas vão à falência justamente por conta de a antecipação não poder acontecer.

Utilize equipamentos e/ou sistemas para facilitar o controle do capital de giro

Diversos sistemas online estão disponíveis para facilitar o controle do capital de giro. Com eles, é possível automatizar as funções e informações. Além disso, esses dados se tornam muito mais precisos. Quando feitos de forma manual, as chances de os cálculos estarem equivocados e se perderem entre os processos é maior.

Aprenda a gerir o seu estoque

Entender o estoque da sua empresa faz com que você saiba gerenciá-lo. E assim, consiga identificar quais peças existentes nele, o que precisa ser reposto, quantidades, valores e assim por diante. Até porque, sem essa gestão, fica difícil conseguir fazer as identificações necessárias para que o seu cliente encontre o produto que precisa e, assim, ficar satisfeito.

Vantagens de controlar o capital de giro da empresa

É claro que existem diversas outras ações que podem ser feitas e que permitem que o capital de giro passe a ser controlado, mas estas estão entre as principais.

Quando realizadas, elas não só facilitam as questões relacionadas ao financeiro. Mas, também ajudam a organizar a empresa e permitir que ela mantenha um padrão de qualidade. Ou seja, só existem benefícios em meio ao processo.

Lembre-se que um bom sistema que conte com possibilidades organizacionais, pode facilitar e muito este e qualquer outro controle. A rapidez e a precisão dos resultados inseridos e/ou analisados acabam sendo imensas. Assim, fazem com que os clientes nunca fiquem menos do que muito satisfeitos.

Mas, vale lembrar que a implantação de um sistema como este pode e deve acontecer com base no capital de giro que a sua empresa possui no momento. Para isso, o planejamento da implementação deste sistema deve ocorrer.

É exatamente a metodologia que foi trazida: saber estabelecer metas e colocá-las em prática. Mas, em primeiro lugar, planejá-las para que sejam possíveis e, quando aplicadas, fixas. Muitas empresas implementam estas questões em um momento financeiro difícil, sem planejamento, e depois não conseguem manter os custos. Não que eles sejam abusivos, mas precisam ser organizados.

Escolha a melhor estratégia para capital de giro

Quando o assunto é sistema de gestão, é necessário escolher uma excelente opção. Ela deve atender a sua demanda, relacionada ao tamanho de sua empresa e que estas possam, então, emitir suas notas e realizar o seu controle financeiro. Incluindo fluxo de caixa, de estoque e assim por diante.

A sua empresa pode se destacar para com o restante do mercado contando com a estratégia certa se tiver acesso a um programa adequado.

A ideia é escolher uma estratégia em que você, como dono da empresa ou o responsável por ela, além de ter todo o controle com relação a sua gestão, possa emitir notas fiscais, tanto de serviços como para o consumidor.

E este deve ser sempre o seu objetivo: fazer com que a sua empresa seja destaque perante as outras, devido à qualidade dos seus serviços.

Como otimizar a gestão desse capital?

Produção e estoque

Para fazer uma gestão do capital de giro mais eficaz, primeiramente busque identificar todos os detalhes que fazem parte do seu processo produtivo. Desde a recepção dos insumos até o processo de embalagem, se for o caso. Com esse mapa devidamente delineado, o segredo está na busca pela diminuição do tempo de produção e de estocagem. Assim, oferecendo promoções para aproveitar oportunidades de sazonalidade. Tanto de mudanças governamentais ou até mesmo de restrições de agências reguladoras que estimulem a procura por seu produto. Além disso, a idade do estoque também deve ser confirmada. A fim de evitar prejuízos relacionados à negligência na verificação das datas de validade de um insumo qualquer, por exemplo.

Dinheiro em caixa

Da mesma forma, o dinheiro em caixa deve ser muito bem gerenciado. Fazendo os pagamentos, quando possível, de maneira antecipada, para que seja viável negociar descontos. Só essa postura já melhorará o clima entre a empresa e seus fornecedores, além de trazer folga financeira no médio prazo.

Vale ressaltar que financiamentos não são a melhor opção para a obtenção de recursos de caixa. É sempre bom lembrar que os juros e as demais taxas bancárias são gastos consideráveis para os cofres de qualquer empresa. Mesmo que nenhuma política de gestão de capital de giro abomine os empréstimos.

Assim, esgote todas as outras possibilidades antes de buscar essa alternativa e não se esqueça que o financiamento só é realmente bom quando o custo total do empréstimo for menor que as taxas de retorno obtidas pela empresa em operações normais de venda.

Prazos de pagamento

Os prazos médios de pagamento e de recebimento são as molas que regulam uma boa gestão financeira empresarial. Se você tiver que pagar seus fornecedores antes de receber de seus clientes, por exemplo, o negócio até poderá se sustentar durante alguns ciclos financeiros, mas certamente terá problemas de capital de giro em breve.

Para evitar esse cenário nada favorável, não hesite em negociar prazos, quer seja comprando em maiores quantidades ou, se for o caso, mudando de fornecedores. Outra solução possível é a antecipação de recebíveis. O que fará com que suas vendas a prazo se convertam em operações à vista. Só tome cuidado para não tornar esse procedimento rotina! Isso pois o recebimento antecipado gera taxas bancárias indesejadas.

Cuidados necessários

Mesmo com os preparos necessários com o capital de giro, não pense que os prejuízos também podem atrapalhar. Havendo uma má gestão do capital de giro, você pode estar sujeito a negociações arriscadas com instituições bancárias. Que resultarão em posições nada favoráveis. Já que trarão direito a termos e contratos adversos, longos prazos para pagamentos de finanças e outros transtornos que se tornarão em mais dívidas.

Por isso, saiba fazer uma administração eficiente. Planeje sabiamente sua base financeira. Sempre cobrindo suas dívidas sem solicitar ajuda de crédito de bancos para financiar suas operações. Você viu como uma boa gestão do capital de giro pode fazer seus negócios perdurarem e ganharem mercado?

Então, o que você ainda está esperando para implementar políticas que realmente funcionem a favor da sua empresa, trazendo os melhores resultados financeiros possíveis e evitando perdas? É aí que entra um bom software de gestão empresarial on-line, que facilite o controle das finanças da empresa de modo a direcionar os gestores rumo a cada vez melhores tomadas de decisão. Não parece promissor?

Veja um vídeo do Sebrae sobre Capital de Giro

Você viu como uma boa gestão do capital de giro pode fazer com que negócios perdurem e ganhem mercado?

Então, o que você ainda está esperando para implementar políticas que realmente funcionem a favor da sua empresa? Sendo que trarão os melhores resultados financeiros possíveis e evitarão perdas? É aí que entra um bom software de gestão empresarial online, que facilite o controle das finanças da empresa de modo a direcionar os gestores rumo a cada vez melhores tomadas de decisão. Não parece promissor?

Teste grátis o eGestor por 15 dias!

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br