Quando é tomada a decisão de montar uma empresa é preciso tomar várias decisões. Elas vão desde a escolha do tipo da empresa, se será uma MEI, ME, EIRELI, EPP ou EI. Passando pelo sistema de controle do financeiro, do estoque e das vendas. Mas uma das mais importantes e não tão faladas é a escolha do nome para sua empresa.

O principal motivo de ela estar entre as mais importantes, é porque ela será a cara da sua empresa. Ou seja, como ela será chamada e reconhecida. Além disso, influencia na criação de um logo e um slogan. Afinal, você consegue imaginar a Apple com outro nome?

Razão Social x Nome Fantasia

A primeira parte da criação de um nome para sua empresa, é entender a diferença de razão social e nome fantasia.

Ambos precisam ser registrados para que não sejam usados nomes iguais. O nome fantasia pode ser registrado em um registro de patentes, já que não é usado em documentos oficiais. Após registrado, terá ao seu lado o símbolo ®. Por sua vez, a razão social deve ser registrada na Junta Comercial do estado. 

Razão Social

A razão social é o nome oficial da sua empresa. Será o nome ligado ao CNPJ e aos documentos de sua empresa. É ela que irá aparecer no seu contrato social, notas fiscais e qualquer outra documentação. Por isso, a razão social é única e exclusiva. Dificultando assim a sua escolha.

Ela também deve conter a atividade e o enquadramento da empresa. Sendo montado da seguinte forma: “DESIGNAÇÃO + ATIVIDADE + ENQUADRAMENTO DA EMPRESA”. Formando “Nome da empresa serviço oferecido LTDA”.

Nome fantasia

O nome fantasia é o nome que sua empresa será conhecida. É o seu nome utilizado na fachada da loja, por exemplo. Portanto, o nome da sua empresa deve ser escolhido de forma que se encaixe com o propósito da sua empresa e baseado no que ela representa.

Serve também para o marketing, seja ele online ou não. Quando online, é o nome nas redes sociais, como Facebook, Instagram e qualquer outra que sua empresa ache que seja apropriado. Sendo por outros meios de divulgação, ele deve estar em cartazes, folders, cartões de visita, o que se encaixar melhor com o propósito da sua empresa. 

Mas agora que entendi o que isso significa, como escolho o nome da minha empresa?

O processo de naming

Naming, nomear em inglês, é justamente isto, dar nome a algo. Em princípio, esse esquema parece simples e fácil, mas é muito mais aprofundado. 

O naming é uma expressão relativamente nova no país. Ele é uma parte do projeto de branding. Ou seja, todo o processo de reconhecimento da empresa, se tratando da identidade; tanto da empresa, como do produto. Por fazer parte desse processo, ele foca em exercícios e dicas de como criar um bom nome. Algo que vai fazer a marca ser lembrada.

E para que o nome da sua empresa seja lembrado, o naming nos traz algumas estratégias em sua metodologia. E ainda as características para a escolha do nome, e as características do processo. 

Tipos de nome

  • Descritivos: eles indicam diretamente o que a empresa faz. Dentro disso, eles podem ser simbólicos, trazendo uma comparação com o produto. Ou associativos, trazendo uma alusão do seu produto ou atributos. Eles trazem mais clareza e entendimento do para que serve seu negócio; 
  • Siglas: A sigla é a abreviação de um nome. Sendo assim, elas podem ser geradas por iniciais ou por acrônimos, que são siglas que são faladas como palavras. Portanto, as vantagens de ter uma sigla como nome é que são fáceis de identificar e difíceis de copiar.
  • Inventados: São considerados vazios, por não terem um significado próprio. Ou seja, não existirem. Isso não é um contra, já que facilita que as pessoas reconheçam e lembrem. Criando a possibilidade do criador dar significado ao nome. Além de não terem sido usados ainda. 
  • Por experiência: Esse são os nomes de lugares, sentimentos ou experiências dos criadores da marca. Assim, são úteis para empresas que querem ser diferentes, e têm intenção de mostrar que são locais.  
  • Nomes próprios: A primeira vista esse tipo de nome não passa uma boa impressão já que são menos criativos, mas assim que lembramos do McDonalds, ou de Louis Vuitton, por exemplo, vemos que não são tão má ideias assim. Aqui, a parte importante está na sonoridade do nome e de sua importância. Evite nomes comuns, busque nomes de pessoas que foram importantes.

Metodologia do naming

Essa parte do processo é dividida em etapas. São elas a investigação, o brainstorm, a filtragem, a análise e o registro.

Investigação

A primeira etapa. Essa é etapa de levantamento de dados e análise da concorrência. Esse levantamento de dados acontece conhecendo sua empresa, sabendo qual seu propósito e objetivo. Assim, tome cuidado para não escolher um nome contraditório e que não tenha nada que lembre seu produto.

Tenha em mente seu público-alvo na hora da criação do nome. Lembre-se que é ele que você tem que agradar. E que ele que terá que lembrar

Também é importante analisar a concorrência. Afinal ninguém quer ter um nome parecido com seu concorrente. 

Brainstorm

Brainstorm, ou tempestade de ideias, é a parte principal do processo de criação. É a fase onde todas a ideias surgem, onde tudo é válido. Nessa etapa, nada é descartado. Quanto mais opções, melhor. Menos o nome do seu concorrente.

Existem diversas formas de fazer um brainstorm. Pode ser escolhendo uma palavra que defina seu produto, o que você quer passar para seus clientes e o que a sua marca representa. Você pode montar uma equipe para esta etapa ou fazer sozinho. Pode pesquisar nos mecanismos de pesquisa na internet ou em livros, imagens, o que estiver ao seu alcance. Anote todas as palavras parecidas ou o que vier a mente. 

Por fim, descarte as que podem ser ofensivas, podem gerar confusão ou simplesmente não se adaptam ao que você espera. Não as classifique como ruins, e não jogue fora suas anotações, já que elas podem ser úteis futuramente. 

Filtragem

Esse é o processo de avaliação do que passou pela fase final do brainstorm. Aqui é onde são levadas em conta as características do processo. Mas o que isso quer dizer? Assim, depois de chegar em uma lista um pouco menor, você precisa avaliar se as suas escolhas se adaptam com essas características. São elas:

  • Facilidade: Esse nome é fácil de pronunciar? É fácil de escrever? Fale em voz alta os nomes e avalie a sua sonoridade. Não quer dizer que o nome não possa ser longo, ou em outra língua. Apenas tenha certeza de que ele será fácil de lembrar, escrever e falar.
  • Expressão: O propósito da sua marca está evidenciado nesse nome? Assim como sua personalidade? Como citado anteriormente, o nome deve retomar o produto ou serviço da sua empresa. Então ele não pode ser contraditório e, obviamente, deve ser algo lícito. Assim sendo, pense no seu público-alvo e se ele irá se identificar com o nome escolhido.
  • Distinção: Aqui você garante que o nome escolhido será único, distinto da sua concorrência e se ele se destaca entre os outros.
  • Memorização: É um nome fácil de lembrar? Seu cliente deve ser capaz de lembrar do nome ao pensar no ramo do seu negócio.
  • Aparência: Aqui a sonoridade entra mais uma vez. Portanto, o nome deve ser agradável, de ler, ouvir e ver. Essa parte também é importante em relação a definição do logo. Já que muitas vezes o nome se associa ao logo.
  • Disponibilidade: Tenha certeza de que nenhuma outra empresa, principalmente as da sua área, tenham esse nome ou algo semelhante. O seu marketing também é importante aqui. Ao criar redes sociais, sites, blogs ou algo que precise ter um user ou url, garanta que eles não estejam em uso.
  • Versatilidade: Caso escolha um nome em outra língua, tenha certeza da tradução e dos significados. Isso é de suma importância caso sua empresa resolva expandir os negócios para outro país. 

Registro

Como citado nas características, seu nome precisa ser único, para isso cheque sempre sua disponibilidade nos órgãos responsáveis. Assim que seu nome for escolhido ou criado, realize o registro. Isso serve para que nenhuma outra empresa tenha um nome igual o seu. 

Logotipo

Além de todo esse processo para a escolha do nome da sua empresa, há ainda a escolha do logo. Provavelmente essa é uma parte que você não irá fazer sozinho. Portanto busque auxílio de empresas publicitárias que têm um maior conhecimento na área. Também tente manter um padrão da arte do nome e da arte do logotipo. O que pode facilitar todo o processo. 

Genericídio

Regularmente vemos nomes de marcas que viram sinônimos de produtos. Entre elas estão a Gillette e a Bombril, que são o que veem a mente ao se falar de lâminas e lã de aço, respectivamente. E pode parecer que elas chegaram no ideal que se espera ao escolher um nome.

Mas nem sempre isso pode ser considerado algo bom. Pode ser bom para a marca que acaba ganhando reconhecimento. Mas judicialmente não é assim. Isso acontece porque muitas vezes esses nomes acabam se tornando nomes de domínio público e as marcas se tornam genéricas. O que faz com que elas possam perder os diretos sobre ela.

Como é o caso da aspirina. Aspirina é o nome utilizado pela Bayer para o composto ácido acetilsalicílico. Em uma grande maioria de países, a Bayer continua com a patente do nome do remédio. Mas no EUA a marca já é considerada genérica.

Ferramentas de naming

E se mesmo depois de todos os passos passados aqui você e sua equipe não conseguiram escolher um nome, é hora de procurar ajuda. Para isso, existem diversos profissionais nessa área que podem prestar consultoria a sua empresa.

Ademais, existem ferramentas que podem lhe auxiliar. São elas o Google Forms, onde você pode fazer enquetes para avaliar o que o seu público acha do nome escolhido e que eles deem sugestões. E também o Word Safety, que checa palavras específicas em 19 línguas diferentes em busca de jargões ofensivos ou expressões que prejudiquem a sua escolha.

Considerações finais

“O nome certo é atemporal, não cansa, é fácil de dizer e lembrar; ele representa alguma coisa e facilita as extensões da marca. Seu som tem ritmo. Ele é fantástico no texto de um e-mail e no logotipo. Um nome bem escolhido é um ativo de marca fundamental e está sempre trabalhando.” (WHEELER, Alina. Design de identidade da marca)

Enfim, podemos concluir que o processo de dar nome a sua empresa não é tarefa fácil. Mas seguindo os passos explicados aqui, garantindo que o nome está adaptado ao que sua empresa representa e que não está cometendo nenhum plágio, temos certeza que o nome será um sucesso!

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br