Como fazer o planejamento tributário de uma empresa?

Arcar com gastos de tributação é algo pertinente a qualquer tipo de empresa. Ao declarar imposto de renda, muitos empresários se surpreendem com a carga tributária gasta, sendo surpreendidos economicamente. Muitas vezes, eles não sabem quais são os tributos obrigatórios e os não obrigatórios e pagam mais do que deviam.

Através de um planejamento tributário eficiente, os obrigatórios não ficam inadimplentes e é possível reduzir legalmente os impostos pagos. É isso que a maioria dos empresários deseja ouvir: redução de impostos. Os tributos representam, em média, 33% da receita bruta, 52% do lucro e 47% do total de custo e despesas. Isso leva muitas empresas a encerrarem suas atividades devido às elevadas dívidas fiscais.

Além disso, o planejamento tributário evita que a empresa tenha problemas fiscais, seguindo exatamente o que as leis fiscais determinam. Também contando com o conhecimento aprofundado das atividades das empresas e dos regimes tributários existentes.

São diversos tributos para serem levados em consideração para esse controle, como os municipais, estaduais e federais. Tais tributos tratam-se das obrigações a pagar, criadas por lei, que impõe aos indivíduos o dever de entregar parte de seus rendimentos e patrimônio para custear o Governo.

Por isso, além de contar com uma equipe especializada no assunto, é preciso planejar os tributos com cuidado.

O que é planejamento tributário?

Apesar de ser um pouco óbvio pelo próprio nome, este é o planejamento dos tributos da empresa. Através de decisões e escolhas legais bem planejadas, é possível interferir na forma de pagar os tributos e nos valores que são recolhidos, o que impacta diretamente na saúde financeira da empresa e no cumprimento das obrigações fiscais.

Assim, o planejamento tributário é caracterizado por todas as ações ligadas ao pagamento de tributos, visando seguir a lei vigente e a redução desses gastos para a empresa. Para esse último objetivo, chamamos de Elisão Fiscal.

Além disso, o planejamento visa evitar o extremo dessa medida, que é Evasão Fiscal. Ou seja, a falta de cumprimento declarativo de algum tributo, o que coloca a empresa em uma posição de ilegalidade. Dentre os processos que caracterizam uma Evasão Fiscal, podemos ressaltar:

  • Omissão de informação;
  • Fraude;
  • Conluio;
  • Falsificação e adulteração de documentos;
  • Deixar de emitir documentos e obrigações.

Resumindo, o planejamento tributário é uma forma totalmente lícita de redução de pagamento de impostos, ou seja, o que não significa sonegação fiscal, ou Evasão Fiscal, pois é feita totalmente dentro das possibilidades da lei. Para lhe ajudar nessa tarefa, separamos algumas dicas. Confira:

Reúna seus dados

Antes de começar a colocar em prática o planejamento tributário, a equipe contábil da empresa deve se unir para levantar alguns dados básicos, que irão impactar nesse trabalho de forma a agilizar o processo.

São eles: faturamento atual; previsão de faturamento e despesas; todos os serviços oferecidos atualmente; fluxo de despesas, estoque, margem de lucro, folha de pagamento dos funcionários e fornecedores; despesas com colaboradores; volume de negócios, porte da empresa; estrutura de capital; ciclos operacionais e financeiros; processos administrativos, obrigações fiscais, entre outros dados.

Todos eles poderão fornecer uma realidade sobre a situação econômica atual da empresa para que o planejamento impacte positivamente de fato e para que seja feito de maneira completa e correta.

Entenda sobre o assunto

Apesar de você contratar uma equipe contábil em sua empresa, é preciso que você mesmo (empresário) conheça sobre esse assunto. É de sua responsabilidade que todos os tributos sejam declarados e pagos e, para isso, supervisionar o trabalho da equipe se faz necessário. Para isso, estude sobre legislação tributária, mesmo que seja o básico sobre o assunto.

Além disso, é preciso saber quais são os principais tributos: ICMS, IPI, PIS e COFINS, IRPJ, CSLL, ISSQN, entre outros. Assim, é possível pensar em estratégias para diminuir os valores pagos ao fisco.

Defina o regime tributário

Após ter todas essas informações em mãos, é preciso avaliar junto a um contador qual será o regime tributário mais indicado para a empresa. Dependendo da atividade exercida pela mesma, existem menos impostos ou alíquotas menores para algum tributo. Ou seja, definir corretamente pode ajudar no planejamento para a redução dos tributos.

Atualmente, existem esses regimes tributários:

Coloque no papel os planos e metas da empresa

Ao definir aonde a empresa quer chegar nos próximos anos, seja uma expansão, melhorias, ou qualquer outra meta, ajudam a projetar um faturamento futuro e um fluxo de caixa, o que podem impactar diretamente no planejamento tributário. Pode ser que a sua empresa tenha que mudar o tipo de regime tributário no período em que tais metas comecem a ter retorno para a empresa.

Segmente o trabalho

Para iniciar o planejamento em si, o ideal é segmentar as atividades, criando grupos de trabalho por especialidade, como jurídica, legislativa, contábil, entre outras. Com isso, você consegue otimizar o andamento do trabalho e aprimorar os resultados.

Faça um cronograma

Colocando em prática o planejamento financeiro, é preciso que a equipe contábil estabeleça um cronograma a fim de evitar o vencimento de prazos dos tributos, problemas e atrasos com documentações solicitadas por lei, confusões sobre as declarações, entre outros problemas que possam comprometer a empresas legalmente. Por isso, organize as atividades da empresa de acordo com prioridades e prazos para o cumprimento das obrigações tributárias para todas elas.

Trabalhe com a prevenção

Antecipar documentações é uma forma de prevenir sua empresa de atrasos e faltas de pagamentos de impostos, além de poupar o tempo do setor. Tais atrasos e falta de pagamentos, comprometem todo o planejamento e toda a empresa.

Faça avaliações constantes

Rever o planejamento tributário é uma forma de acompanhar todas as ações que estão sendo realizadas, a fim de propor alterações e correções necessárias. Prefira que essa revisão seja feita por agentes externos.

Considerações Finais

A definição do regime tributário da empresa é algo que deve ser pensando com muito empenho. Dessa forma, o planejamento tributário, também deve ser feito com muita atenção. Muitas vezes não sabemos qual a quantidade de impostos estamos pagando. Dessa forma, um sistema de gestão pode fazer uma grande diferença dentro de uma empresa.

Com um sistema de gestão que também é emissor de NF-e, é possível controlar todos os impostos que são pagos através delas. Além disso, o sistema também controla todo o financeiro, estoque, produção e fluxo de caixa. Assim como também emite NFC-e e NFS-e.

Teste grátis o eGestor por 15 dias!

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br