Margem de lucro bruta, líquida e de contribuição: você sabe o que são?

Para que um negócio perdure e se estabeleça no mercado, é necessário que a empresa apresente índices dentro do esperado. E eles não devem ser esperados somente pelos sócios e proprietários, mas também em comparação com seus concorrentes diretos. O cálculo de margem de lucro bruta, margem de lucro líquida e margem de contribuição faz com que um negócio possa ser considerado saudável e duradouro. Mas também é ideal é que elas sejam analisadas ou calculadas distintamente. Vejamos cada uma das margens em detalhes.

Margem de lucro bruta

A margem bruta mede o quão rentável um negócio é. Ela é representada pelos valores percentuais de lucro bruto que um negócio gera em comparação com suas vendas. Normalmente, os proprietários estabelecem quanto querem que um negócio gere de margem bruta. Mas devem estar sempre amparados na realidade do mercado consumidor e nos preços praticados por seus concorrentes.

O cálculo é relativamente simples e são necessárias as informações constantes da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE). Principalmente as relativas ao lucro bruto e às vendas realizadas. Por exemplo, se o preço médio de um produto ou serviço é R$ 60 e os esforços para colocá-lo na prateleira ou para que o serviço seja prestado representam R$ 20, ganha-se R$ 40. Esses R$ 40 representam 66% do preço de venda, sendo a margem de lucro bruta de 66%.

A margem bruta é um dos principais fatores a serem considerados por um empresário para definir seu preço de venda. Os custos a serem levados em conta devem ser somente aqueles ligados à produção ou à prestação dos serviços. Assim, os custos administrativos devem ser deixados de lado neste momento.

Cálculo de margem de lucro bruta

A fórmula para calcular a margem de lucro bruta é bem simples. Por exemplo, a Empresa X possui uma receita total de R$ 400.000,00. Desses, são retirados os custos diretos, que totalizam R$ 100.000,00. Isso, faz o lucro bruto dessa empresa ser de R$ 300.000,00.

Se aplicarmos a fórmula:

Lucro bruto / Receita total X 100 = Margem de lucro bruta

Dessa forma, temos o cálculo de margem de lucro bruta:

300.000,00 / 400.000,00 X 100 =Margem de lucro bruta

75% = Margem de lucro bruta

Seguindo o exemplo citado acima, a Empresa X tem uma margem de lucro bruta de 75%.

Margem de lucro líquida

Diferentemente da margem bruta, a margem de lucro líquida relaciona o lucro líquido com as receitas geradas. Ou seja, o ganho real que uma empresa gera a si mesma em decorrência de seu funcionamento. Pode-se dizer que uma margem de 10% de lucro fará com que a empresa cresça o equivalente a 10% de suas vendas em cada período analisado.

Seguindo o mesmo raciocínio: se o lucro líquido da empresa for de R$ 30, a margem líquida será de 50%. Assim, a empresa vende o produto ou serviço por R$ 60 e continua com R$ 30, mesmo depois de pagar todas as suas obrigações. Dessa forma, margem de lucro líquida é um forte indicador de que os preços praticados estão em sintonia com as estratégias empresariais de longo prazo. Também garantindo sustentabilidade para os negócios.

Cálculo margem de lucro líquida

Assim como o cálculo de margem de lucro bruta, o cálculo de margem de lucro líquida também é bem fácil. Para realizar o cálculo, precisamos dos valores de lucro líquido e da receita total. Dessa forma, na Empresa X tem um lucro líquido de R$ 200.000,00 e a receita segue os mesmo R$ 400.000,00.

Se seguirmos a fórmula de:

Lucro Líquido / Receita total X 100 = Margem de lucro líquida

Temos então:

200.000,00 / 400.000,00 X 100 = Margem de lucro líquida

50% = Margem de lucro líquida

Enfim, chega-se à conclusão que a Empresa X possui uma margem de lucro líquida de 50%.

Margem de contribuição

Para compreender este índice, é necessário que uma empresa tenha seus custos e despesas separados em fixos e variáveis. A margem de contribuição vai deduzir das receitas os valores de custos e despesas variáveis. Ou seja, deduz aqueles gastos ligados diretamente à produção ou prestação de serviços. Esse resultado indicará quanto sobra das receitas para que custos e despesas fixos possam ser cobertos.

O índice da margem de contribuição tem fundamentação mais gerencial. Normalmente, as empresas que o utilizam querem definir se um produto pode ou não permanecer no mix de vendas com uma análise de curto prazo. Algumas empresas optam por manter produtos mesmo com margens de contribuição baixas ou até negativas. Isso acontece porque alguns produtos, mesmo não sendo muito rentáveis, incentivam a venda de outros produtos. Isso acaba contribuindo para que os clientes adquiram vários outros produtos, inclusive aqueles com margem de contribuição mais elevada. O que ajuda o negócio a prosseguir.

Outra variante que deve ser pensada ao calcular as margens de lucro é a opção por reduzir o preço de um produto depois que foi analisada a margem de contribuição. Mas isso só deve ser feito depois da constatação de que os valores já obtidos com receita são suficientes para cobrir custos e despesas fixos. Um bom exemplo são as liquidações fora de época para acabar com os estoques das lojas.

Cálculo de margem de contribuição

Da mesma forma os cálculos de margem de lucro bruta, margem de lucro líquida, o cálculo de margem de contribuição também é simples e fácil. As informações necessárias para realizar o cálculo são o preço de venda, o custo variável e a despesa variável. Fazendo a fórmula do cálculo ser a seguinte:

Preço de venda unitário – ( Custo variável unitário + Despesa variável unitária) = Margem de contribuição

Se a Empresa X vende um produto por R$ 30,00, tem como custo variável R$ 10,00 e como despesa variável R$ 5,00, podemos fazer o seguinte cálculo:

R$ 30,00 – (R$ 10,00 + R$ 5,00) = Margem de contribuição

R$ 30,00 – R$ 15,00 = Margem de contribuição

R$ 15,00 = Margem de contribuição

Conclusão

Todos os cálculos e descrições citadas acima são de extrema importância para sua empresa. Isso acontece porque eles fazem com que você não perca dinheiro ao vender um produto ou serviço. Mas também fazem com que esses valores se equiparem, para que você não tenha uma diferença tão grande dos seus concorrentes. 

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br