tributação

A análise de concorrência é uma técnica importantíssima a ser aplicada em seu negócio. Uma parcela relativamente grande dos empreendedores que abrem negócios no Brasil, por mais que tenham o total domínio de sua atividade e ampla experiência através de estudos e empregos formais e informais, não pode dizer com segurança que dominam totalmente os pormenores do universo empresarial. Em outras palavras, esses empresários muitas vezes não podem ser considerados bons ou ótimos gestores.

Dados a respeito de produtores, consumidores e fornecedores (que são extremamente valiosos) podem ser adquiridos dentro de associações e cooperativas, através da internet, e com os próprios compradores desses concorrentes. Mas é importante destacar: jamais utilize métodos agressivos para obter tais informações. Nunca pressione clientes e fornecedores para que revelem dados sobre as empresas concorrentes, e sempre mantenha todas as suas ações dentro da ética e da legalidade.

Você quer entender melhor e ser convencido do motivo pelo qual deve estudar a fundo cada atitude e cada movimento tomado pela sua concorrência? Quer saber por que isso é tão fundamental para que seu negócio tenha sucesso e se mantenha como uma marca competitiva dentre tantas? Pois então venha conosco e acompanhe agora mesmo as dicas do nosso post de hoje.

Conhecer a sua própria empresa

O primeiro passo a ser tomado na hora de começar a analisar a concorrência é, antes de identificar os negócios que potencialmente venham a rivalizar com o seu no mercado, obter o conhecimento minucioso de sua própria empresa. Qualidades e defeitos inerentes à sua marca; seu tamanho; se é capaz de atender a todos os clientes e fornecedores com qualidade e atenção; se seus produtos se igualam ou superam o nível do mercado e assim por diante.

Saber contra quem sua empresa está rivalizando

Somente após uma boa avaliação da sua empresa no mercado posição de sua empresa no mercado é que é feita a comparação com outras marcas que possam vir a ter características semelhantes ou iguais às suas. Estas são as empresas que oferecem o mesmo tipo de produto que o seu, que disponibilizam o mesmo tipo de serviço e até mesmo as que são parecidas com o seu estilo de marca. Nesse momento é preciso parar um pouco, olhar com muita atenção para o mercado a partir do ponto de vista do cliente (se colocando em seu lugar) e agrupar os concorrentes que se assemelham à sua empresa na hora de oferecer os produtos ou serviços que se encaixam dentro do mesmo nicho em que você se encontra.

Logo depois de definir quais são os integrantes da concorrência, é preciso ir atrás de informações complementares através de uma pesquisa de mercado, por exemplo (que pode até mesmo ser encomendada a uma instituição de pesquisa), ou apenas por meio da boa e velha observação analítica, algo que pode ser realizado pelo gestor, seus sócios e seus funcionários. Essa opção geralmente é adotada por empreendedores mais experientes e com mais bagagem dentro do mundo dos negócios, e que ostentem o conhecimento e o “feeling” do “business”, mas isso não exclui de maneira alguma os empresários novatos, que podem ser muito estudiosos e/ou ter predisposição a dominar o assunto e suas peculiaridades.

Identificar pontos fortes e fracos da concorrência

Após realizar esse agrupamento da concorrência, você pode e deve começar a analisar as estratégias dessas empresas, bem como as áreas em que elas são mais vulneráveis e os pontos em que têm mais fragilidade. Seus pontos fortes e seus pontos fracos serão na maioria das vezes baseados na presença e na ausência de bens essenciais para o funcionamento do negócio, e também nas habilidades necessárias para poder competir no mercado. Ter consciência de tal perspectiva certamente lhe ajudará a entender melhor e ter uma noção mais sólida do que motiva uma parcela do seu público-alvo a comprar os produtos oferecidos pelas outras empresas em vez de optarem por sua marca.

Leva um determinado tempo para que você possa identificar seus concorrentes com clareza. Não se apresse para analisar e apontar sua concorrência. Para facilitar, faça uma pergunta a si mesmo: “a quem meus consumidores poderiam recorrer para conseguirem algo que minha empresa também oferece?”. Ainda que o produto ou serviço da sua empresa esteja transcendendo positivamente alguns limites, provavelmente já deve existir alguém ou algum lugar que o oferecia antes de você, e, se não existe, logo mais existirá. Uma boa dica é sempre começar pelos “peixes grandes”, os donos do jogo até então, que são empresas que têm o controle do mercado atualmente e nas quais você, com certeza, já se inspirou e tirou exemplos alguma vez.

Eles, porém, são o principal empecilho na sua árdua jornada em busca de novos clientes. Vamos supor que você seja um professor de violão. Assim sendo, todos os outros instrutores que dão aulas de violão dentro da sua região serão seus concorrentes, bem como os tutoriais na internet, que em muitos casos dão aulas mais rápidas, mais práticas e de graça. Você terá de se desdobrar para pensar em algo que nenhum desses concorrentes tenha pensado e disponibilizado, ou que estejam oferecendo de forma insatisfatória ou ruim. Também terá de inovar e aperfeiçoar ao máximo o serviço que colocará à disposição dos clientes. Se você tiver uma loja online de roupas, todas as outras lojas físicas do seu bairro serão suas concorrentes, contando brechós e e-commerces da sua cidade. Tudo isso sem levar em consideração as marcas de roupas renomadas e de grife espalhadas por shoppings, lojas de rua e internet.

É importante priorizar as empresas já consagradas no mercado, mas vale ressaltar que elas não são únicas concorrentes. Existem muitas empresas emergentes, em busca de crescimento, por isso é interessante ficar de olho nos concorrentes secundários e nos mais indiretos que, por mais que não batam diretamente de frente com o seu negócio, ainda podem roubar alguns clientes em potencial. Essas marcas ainda não alcançaram o patamar no qual sua empresa se encontra, mas estão beliscando o seu calcanhar, esperando ansiosamente pela chance de conquistar um mercado mais amplo. No caso, se sua empresa vende doces, seus concorrentes mais indiretos seriam, por exemplo, uma loja que só produz um tipo específico de bolo, o setor de doces de uma padaria na sua região que vem se destacando, ou uma confeitaria caseira por demanda. Nenhum deles têm o seu mercado por enquanto, mas estão prontos para tomá-lo das suas mãos se você não ficar atento aos movimentos deles.

Agora sim comece a dar atenção aos concorrentes em potencial: as empresas que já têm condições de entrar no seu ramo e concorrer diretamente com o seu negócio. Você precisa estar muito seguro para suportar a pressão que elas possam proporcionar caso sua empresa não esteja preparada para competir de igual para igual com elas. Se você tem uma produção independente de cocos e água de coco, deve estar pronto para concorrer com uma rede de franquias de revendedores de água de coco. Por mais que essa marca ainda não seja conhecida e não te ameace por enquanto, ela pode começar a oferecer água de coco engarrafada em diferentes porções, bem como outros produtos à base de coco, que podem cair no gosto dos clientes (inclusive dos seus) e roubar parte ou até mesmo todo o público que você tinha conquistado.

Escolher corretamente os critérios de análise de concorrência

É preciso ter conhecimento muito claro dos quesitos essenciais para que a sua empresa não acabe se pasteurizando com as demais espalhadas pelo mercado, criando uma massa homogênea de ofertas idênticas, sem um diferencial que salte aos olhos do cliente e lhe seja atraente. Seu objetivo é tornar-se mais forte, mais original, e com melhor capacidade de competição. Mantenha cuidado na hora de analisar o preço estipulado; a localização da sede da empresa (embora pareça banal, é uma observação essencial a se fazer); a comunicação interna (para com os sócios e os colaboradores, feita pessoalmente ou através de newsletter ou intranet) e externa, com os clientes e o público-alvo que ainda deseja atingir, por meio de propaganda e publicidade e do contato em mídias sociais.

Uma ação interessante para que sua marca se destaque em meio a tantas outras é o atendimento personalizado individual. De nada adianta fazer a avaliação de fatores que serão pouco ou nada relevantes para os negócios de sua empresa a um médio-longo prazo. – É de extrema relevância calcular e observar se é possível ter uma maior eficácia dentro do mercado em que a empresa atua e superar seus concorrentes utilizando uma estrutura menos abastada. Fique atento: como o velho ditado diz, menos realmente pode ser mais.

É absolutamente crucial dar atenção especial aos quesitos que vêm sendo deixados de lado por seus rivais empresariais, suprindo a lacuna deixada pelos mesmos e que os clientes possam vir a notar. Pode ser o caso de um atendimento personalizado, como já citado; melhores condições de pagamento; uma maior agilidade nas entregas; uma loja online para que os consumidores possam adquirir os produtos sem precisar sair de casa; a organização de eventos que promovam a marca e gerem simpatia e fidelidade com a mesma, etc.

Aperfeiçoar os pontos fracos dos concorrentes

Antes de mirar seu foco para sua própria empresa, é preciso dar uma olhada ao redor. Seus concorrentes podem ser o espelho do seu negócio, e é através desse reflexo que você e seus colaboradores podem se inspirar ou desviar daquilo que não for tão bom. Uma boa e criteriosa análise pode ser muito importante, visto que ajuda a identificar o perfil do seu cliente e o seu comportamento no mercado. Se a concorrência está lucrando mais do que a sua empresa, é sinal de que é preciso utilizar algumas estratégias para aumentar a produção e rentabilidade do negócio.

E por outro lado, se o seu empreendimento tiver obtido números maiores em relação as demais, percebe-se que se está indo no caminho certo. Diante da comparação de resultados, é essencial reconhecer o porquê de a empresa estar sendo preferida ou não pelos clientes.

Por mais que possa parecer algo relativamente óbvio quando estamos tratando de negócios e empresas, muitos empreendedores não encaram essa questão de forma séria e contínua até que um concorrente abra as portas na mesma rua em que eles acreditavam estarem sozinhos. A análise da concorrência, além de capacitar o gestor a compreender melhor a situação do mercado e saber como se portar para poder competir de forma saudável e ética dentro do mundo do empreendedorismo, também lhe possibilita aprender com seus rivais.

Aperfeiçoando os pontos fracos dos concorrentes e aprimorar o que não está indo tão bem dentro de sua própria empresa com base no que pode concluir em relação às demais, são as melhores formas de potencializar o seu negócio. Observar, ler sobre todos seus produtos e até mesmo experimentá-los são decisões fundamentais que devem partir de um empreendedor.

A análise da concorrência é, sem dúvida alguma, um recurso de suma importância. Digamos que ela seja um dos pontos fundamentais e uma peça-chave para qualquer negócio prestes a ser lançado no mercado atual (que passa por situação crítica), e até mesmo para empresas com anos de experiência no ramo, sendo uma ação que em hipótese alguma pode deixar de ser tomada por qualquer líder e gestor de uma entidade. Por meio dessa ferramenta, capaz de possibilitar uma visão mais estratégica e ampla, se torna muito mais fácil entender tanto os pontos fortes quanto os pontos fracos de outras empresas e marcas que estão competindo com a sua não só por clientes, mas também por espaço no mercado, na mídia, e por fornecedores.

Uma dica preciosa que vamos te dar é que um bom gestor não é apenas aquele dono de um ótimo controle financeiro de sua empresa, e muito menos aquele que consegue estimular a performance de seus colaboradores através de características tais como liderança nata, carisma ou um discurso inflamado. Não se engane: tudo isso é, sim, muito importante, mas não pode ser descrito como suficiente diante do mundo cruel que é o universo empresarial. Um bom gestor, é claro, também precisa compreender de forma consistente os meios de se tomar uma posição em relação a cenários presumidos e também diante ao que sua empresa apresenta para o público e para outros empresários do ramo.

Analisar a capacidade de reação das empresas rivais

Fique de olho também nas chamadas “oportunidades e ameaças”. Os pontos fortes e os pontos fracos são, geralmente, contornáveis – uns mais facilmente do que outros, mas nenhum deles é indomável. Ao fazer as análises de seus concorrentes, preste muita atenção na capacidade deles de agir frente a uma situação que foge do controle de suas mãos. As surpresas, oportunidades e ameaças podem estar onde você menos as imaginar. Quando não está se esperando por nada novo, você e seus rivais podem ser pegos desprevenidos. É aí que deve-se observar como os seus concorrentes lidarão com uma situação desfavorável. Tome como exemplo uma locadora de filmes. Como ela reagiu com a chegada dos serviços de streaming por demanda, em que os filmes são disponibilizados em uma plataforma online, acessível a qualquer momento sem sair de casa, por um preço muito inferior? Um e-commerce tem de estar preparado para enfrentar novas barreiras de lucro, de segurança e de impostos. Ao tomar conhecimento de como os concorrentes lidam com essas adversidades, você também pode aprender e aplicar essas manobras no seu negócio, caso também tenha que enfrentar esse tipo de situação.

Extrair os pontos fortes

O reconhecimento do que for feito de positivo por outras empresas e o entendimento de porque estas estratégias estão funcionando no mercado, podem servir de uma grande inspiração para o seu negócio. Conhecer o que os seus concorrentes estão fazendo, como eles o estão fazendo, é extremamente importante para manter o seu negócio com as portas abertas? O desempenho de uma empresa dentro de um determinado mercado está diretamente relacionado com a posse de bens essenciais e de recursos financeiros importantes, mas ele também diz respeito a um bom aproveitamento de certas habilidades que merecem sempre atenção particular.

Portanto, uma análise minuciosa e detalhada das performances deve revelar as causas por trás dos históricos de sucesso, demonstrando porque deram certo. Essa análise que estamos citando, em conjunto com uma boa apreciação das empresas malsucedidas e das razões por trás dos acertos e erros, que falamos anteriormente, deve prover uma boa ideia dos ativos-chave para conquistar cada vez mais terreno em seu setor de atuação ou no segmento de mercado em que sua empresa está posicionada.

Quais são os diferenciais das empresas que habitam o mesmo campo e buscam a mesma fatia do mercado que a sua? O preço mais em conta, o atendimento de excelente qualidade, o produto diferenciado, ou simplesmente o peso da marca? Absorva de forma inteligente o que a empresa concorrente parece ser, além do que ela é de fato. Ou seja, além de analisar o que seus concorrentes realmente são, observe a imagem que passam, pois isso às vezes pode ter mais relevância para os clientes do que a realidade em si. Uma dica interessante é organizar essas informações colhidas em uma espécie de planilha, registrando todos os nomes das empresas que concorrem com a sua. Organizar as informações referentes a concorrência em colunas que classifiquem os quesitos essenciais para que uma empresa do mesmo nicho que a sua funcione bem dentro do mercado.

Entre esses quesitos podemos citar mais uma vez o atendimento, a imagem que a empresa passa, seus preços, sua localização, tipo de propaganda e abordagem, entre outros. Depois de concluída essa planilha, tome nota dos motivos que o levaram a ranquear as empresas concorrentes da maneira que o fez e na ordem em que estão dispostas. Também é aconselhável ser prático e diferenciar as cores dos pontos fortes e as cores dos pontos fracos de todas para que, na hora de realizar sua pesquisa, você possa relacionar as informações da forma mais rápida e eficaz possível.

Montar suas estratégias futuras

Por meio de sua análise da concorrência, você, acompanhado de seu grupo gestor terão mais capacidade e estarão mais aptos a uma condição que possibilita a elaboração de estratégias para o futuro com muito mais conhecimento de causa – e isso diz respeito não somente a um ponto específico, mas também concerne aos planos financeiros, aos projetos de marketing, e aos projetos de infraestrutura. Uma atitude que deve ser tomada é a seguinte: estudar, dominar e promover os ativos ou as habilidades que os seus concorrentes bem-sucedidos têm para que seu time seja capaz de conseguir montar uma grande força competitiva, distinta e duradoura, que possa bater de frente com marcas semelhantes dispostas pelo mercado.

Após isso, quando perceber onde está posicionado em relação a outras empresas que concorrem com você no mesmo setor, será possível desenvolver alguns planos estratégicos para alcançar vantagens competitivas com o decorrer do tempo. Assim, você poderá prever os retornos de investimentos com mais clareza. A vantagem de se fazer uma boa análise de concorrência diz respeito ao fato de que as empresas que mais se destacam no meio são aquelas que têm a noção exata do que os rivais de campo produzem e que tipo de serviço oferecem no mercado.

Cuidado para não perder a identidade da empresa

Contudo, é preciso muito cuidado: um negócio que tenta se estabelecer apenas copiando todos os métodos utilizados pelas empresas concorrentes em vez de utilizá-los como ponto de partida para criar seus próprios meios e caminhos para atingir o sucesso está certamente fadado ao total fracasso. Isso só vai contribuir para a pasteurização e perda de identidade da sua empresa no meio de tantas outras, e pior: quanto mais semelhante se é aos concorrentes, mais deles surgirão e sua empresa terá de lidar com um número crescente de rivais de mercado. Os pontos positivos das outras empresas devem servir como base para a sua e jamais como regra.

Pesquisar, analisar e ter o conhecimento de informações importantes a respeito das empresas que concorrem com você não diz respeito apenas ao empresário que tem o desejo de inovar em mente. A análise de concorrência também serve para empresas que já se encontram consolidadas no mercado, que, por sua vez, é sempre muito movimentado, e exige que o empreendedor não relaxe demais em nenhum momento e jamais perca fôlego na busca por mais espaço para seu negócio.

Muitos dos fatores que foram citados aqui neste artigo e que levam à formação de uma estratégia nesse nível podem acabar por envolver bastante radicalismo em seu negócio, o que demonstrará o quanto sua empresa vinha tomando decisões e rumos errados, ou como estava defasada em comparação à concorrência. Uma ótima análise da concorrência acaba sendo, sem a menor sombra de dúvida, uma parte importante do planejamento estratégico, já que indica quais mudanças serão mais benéficas para o seu negócio e quais pavimentarão a estrada que te levará ao tão almejado sucesso!

Aqui em nosso blog, você pode conferir ainda mais dicas sobre análise de concorrência.

Agora que você já conhece as melhores estratégias para uma boa análise da concorrência, que tal compartilhar nos comentários como tem sido a sua experiência em relação a este estudo do mercado?

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em http://www.egestor.com.br