Contabilidade ambiental: Tudo que você deve saber sobre esse ramo

Philip Kotler, um dos maiores pensadores do marketing contemporâneo, já havia apontado: as empresas devem oferecer valor aos clientes. Significa que não basta vender produtos e serviços de qualidade, é necessário que a marca demonstre a sua responsabilidade para com o mundo ao redor. Por essa razão, a contabilidade ambiental é cada vez mais requisitada.

Afinal, um planejamento mal feito pode resultar em impactos na natureza e o preço não será pago apenas pela empresa. A sociedade como um todo será impactada. O grande desafio contido nesse cenário é a busca pela sustentabilidade, fator que implica na necessidade de uma boa gestão de recursos.

Isso vai incluir, naturalmente, as atividades realizadas pela contabilidade. Devemos notar, ainda, que o público é um dos maiores fiscais de responsabilidade ambiental nos dias de hoje. Os danos causados às marcas que não tomam cuidado podem ser irreversíveis e afetar toda a lucratividade futura do negócio.

A prática contábil de que falamos será de grande ajuda se você quer estar de acordo com as exigências de clientes, governos e mercado. O conceito ainda é uma novidade para você? Não se preocupe que explicamos o que é a contabilidade ambiental e qual o seu papel a seguir.

Qual o papel da contabilidade ambiental?

Basicamente, esta contabilidade faz o registro e controle de dados envolvendo ações da empresa que possam afetar o meio ambiente. Ou seja, a partir dela, analisamos o impacto que a organização tem na natureza. Ao mesmo tempo, é levantada a consequência financeira que isso pode gerar.

Sendo um registro do patrimônio ambiental, essa atividade dá aos gestores a visão de resultados, benefícios e prejuízos. Todos analisados em relação ao meio ambiente. Por conta disso, o seu papel está ligado à tomada de decisões da empresa. Ao profissional contador fica a missão de sugerir modelos que viabilizem uma gestão sustentável.

A contabilidade ambiental, neste contexto, pode ocorrer de duas formas: atuando com um enfoque inteiramente ecológico ou partindo de conceitos tradicionais da área aplicados ao meio ambiente. O primeiro tipo se vale de medições físicas para comprovar os efeitos da empresa na natureza. O segundo, embora analise o mesmo aspecto, aplica termos financeiros para fazer o seu diagnóstico.

Nesse campo ambiental das finanças, são levantadas informações comuns para área como despesas, custos, perdas, receitas, ativos e passivos. A diferença está apenas no enfoque.

Quais as vantagens de se adotar essa forma de contabilidade?

Para agir de forma ambientalmente responsável, uma empresa deve medir os impactos que causa na natureza. Além disso, é fundamental que saiba como esse quadro afeta os seus stakeholders. Em outras palavras, é necessário conhecer os efeitos no público interno e externo do negócio.

Por conta disto, o benefício mais imediato da contabilidade ambiental é o controle que ele proporciona sobre as ações da empresa. Com ele, a alocação dos recursos passa a ser mais racional, o que vai acabar refletindo nas suas despesas. Afinal, você vai ter em mãos o quanto gasta em recursos como água e eletricidade.

Uma política de conscientização que busque reduzir o consumo de ambos é ao mesmo tempo uma ação para diminuir custos fixos. Nessa mesma linha, é possível avaliar quais medidas ambientais podem ser tomadas pela empresa de modo a gerar mútuo benefício.

Por fim, a transparência no balanço ambiental influencia na imagem corporativa da empresa. Afinal, demonstra o que ela tem feito em termos de responsabilidade social. Os benefícios também surgem nos aspectos legais, já que fica mais fácil cumprir com a legislação ambiental.

Banner Clientes Contabilidade

Como adotar essa prática?

Tendo em vista todos os benefícios envolvidos na contabilidade ambiental, vale fazermos um breve resumo de como colocá-la em prática. A etapa fundamental do processo é o registro de atividades. É preciso ser bastante específico para incluir todas as ações e processos que possam impactar no meio ambiente.

Medidas para reduzir ou reparar impactos também precisam ser levadas em consideração no registro. Em seguida, é hora de definir quais são os custos, ativos e passivos ambientais. Serão esses os recursos utilizados com fins de preservar a natureza. Aqui entram até mesmo os itens utilizados em virtude de causarem menor impacto ambiental.

É interessante notar que os ativos operacionais podem se deteriorar mais rapidamente por conta da poluição. Por isso, devemos considerar esse como um caso de custo ambiental. Já os passivos são as obrigações relativas às medidas para eliminar e reduzir impactos negativos no meio ambiente.

Todas essas informações precisam ser reunidas nas notas explicativas ambientais. Os critérios de avaliação devem constar também neste registro. Em muitos casos, no entanto, esse documento é substituído por um relatório integrado onde há também informações sociais, financeiras e de governança. Esse último modelo de apontamento foi desenvolvido pelo International Integrated Reporting Council (IIRC).

Entenda melhor o que ela pode suprir no seu negócio

Empresas que buscam se tornar mais sustentáveis vão encontrar na contabilidade ambiental a ferramenta mais adequada às suas necessidades. Ela dá base igualmente para melhorar a responsabilidade social e o relacionamento da organização para com a sociedade. Fica claro que só há benefícios em seguir esse caminho.

Mesmo porque, investir em ações responsáveis ajuda a cumprir uma série de exigências legais. Não menos importante, é considerar que a sua empresa pode ficar para trás da concorrência se não se tornar sustentável. As práticas contábeis citadas fornecem o que é necessário para se sair bem nesse cenário.

A contabilidade ambiental pode ser um diferencial para a sua empresa

Resumindo o que foi colocado ao longo dos tópicos anteriores: o cuidado com o meio ambiente é um diferencial competitivo. E a adoção desse tipo de prática não é importante apenas na hora de vencer a concorrência, trata-se de um posicionamento que também pode influenciar no engajamento do seu público.

Retomando os conceitos de Kotler: hoje uma empresa deve abraçar a sua responsabilidade socioambiental. Para os clientes, é cada vez mais importante saber se estão fazendo negócios com organizações que se preocupam com o meio ambiente. Sendo assim, já não prevalece no mercado o puro interesse financeiro.

Para aproveitar todos os benefícios da contabilidade ambiental que mencionamos, é indispensável o uso de ferramentas de gestão.

Banner eGestor

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br