fbpx

E-commerce: tudo que você precisa saber sobre

O e-commerce possui amplas vantagens para quem quer explorar o mundo do mercado digital, levando em consideração os benefícios desse sistema de venda.

Nesse texto trouxemos diversos tópicos para esclarecer todas as suas dúvidas sobre essa modalidade que tanto cresce no Brasil.

As principais modalidades de e-commerce são:

  • Business to business (B2B)
  • Business to customer (B2C)
  • Direct-to-Consumer (D2C)
  • Consumer-to-consumer (C2C)

O que é um e-commerce e como funciona?

O e-commerce é uma forma de comércio onde as vendas são realizadas inteiramente dentro da internet, por meio de sites, aplicativos e plataformas. Dessa forma, todo o processo desde a divulgação até o momento da compra são totalmente digitais. 

O único momento que o e-commerce foge do campo digital é a entrega de produtos, a qual é realizada pela transportadora escolhida pela empresa.

Esse tipo de comércio possui o diferencial de não ser apenas uma plataforma qualquer de vendas, e sim, uma vitrine virtual com diferentes tipos de produtos. Assim, esses canais de e-commerce oportunizam que vendedores mostrem seus produtos e serviços a fim de serem vendidos.

Portanto, é uma ótima oportunidade de negócio para empresas que desejam ampliar os seus canais de vendas ou para novos empreendimentos, tendo em vista que trará um alto alcance de clientes.

E-commerce

Exemplos de e-commerce

Tendo em vista o aumento das vendas digitais com o passar do tempo, muitas plataformas foram desenvolvidas com o objetivo de que fosse possível vender e comprar através delas. Assim, o mercado de e-commerce possui uma grande variedade de exemplos de sucesso que crescem cada vez mais com o passar dos anos.

Dentre os exemplos de e-commerce, temos:

  • Amazon
  • Magazine Luiza
  • Ebay
  • OLX
  • Mercado Livre 
  • Shoppe
  • Shein 
  • Submarino

Quais são os tipos de e-commerce?

Com o passar do tempo e a sua disseminação, foram surgindo diferentes tipos de e-commerce. Cada um deles depende de quem está envolvido no processo e dos canais de vendas utilizados por esses vendedores.

Assim, se você que está lendo tem a vontade de se inserir no meio do comércio digital, é essencial conhecer as principais diferenças entre esses modelos.

Abaixo separamos os principais tipos de e-commerce para você entender mais sobre eles.

Business to business (B2B)

O modelo de e-commerce B2B (Business to Business) significa negócios para negócios, ou seja, os envolvidos nas transações são apenas empresas. Assim, esse modelo torna as vendas muito mais complexas e com grande volume de itens.

Desse modo, tendo em vista que o consumidor final é uma empresa, o modelo B2B pode se tornar muito mais exigente em relação a prazos de entrega e valor de frete comparado a outras modalidades.

Portanto, para se tornar bem sucedido nessa modalidade, é essencial que você possua um bom estoque, uma ótima logística e preços acessíveis de frete.

Exemplos de empresa B2B:

  • Ebanx
  • Slack
  • Ambev
  • Zendesk

Business to customer (B2C)

O modelo Business to customer é uma modalidade e-commerce mais comum, tendo em vista que a relação é de vendedor para consumidor. Desse modo, são utilizados canais digitais para realizar a venda diretamente para o consumidor final.

A forte concorrência é um ponto marcante desse tipo de e-commerce, pela facilidade da venda que ela fornece. Portanto, quem quiser se jogar no mundo das vendas B2C é recomendável desenvolver um diferencial na experiência de venda dos consumidores. 

Exemplos de Business to Customer (B2C):

  • Empresas de varejo
  • Pontos de alimentação
  • Oficina mecânica
  • Salão de beleza
E-commerce

Direct-to-Consumer (D2C)

Nessa modalidade, todos os produtos ou serviços são oferecidos diretamente para o consumidor, desse modo não é necessário colocar terceiros para desenvolver essas atividades. Assim, toda mercadoria que é produzida por algum vendedor também é comercializada por ele.

Esse modelo se popularizou na pandemia da nova Covid-19, em função do aumento do desemprego. Dessa forma, muitas pessoas acharam uma saída dentro do mercado de e-commerce, produzindo seus próprios produtos e vendendo eles diretamente para o consumidor final.

O modelo D2C possui uma grande vantagem em relação a redução de custos, tendo em vista que não é necessário a contratação de funcionários para terceirizar essas vendas.

Exemplos de Direct-to-Consumer (D2C):

  • Apple
  • Samsung
  • Nike
  • Tesla

Consumer-to-consumer (C2C)

Nessa relação de venda denominada consumidor para consumidor, o envolvimento é apenas entre pessoas físicas que comercializam itens que serão adquiridos por outras, sem a interferência de uma empresa no processo. Assim, através de uma plataforma é possível a realização dessas vendas, oferecendo ferramentas que auxiliem na divulgação desses produtos e que facilitem a compra.

Esse modelo se popularizou há alguns anos atrás através da troca de produtos por meio de plataformas como Ebay, Aliexpress, Mercado livre e OLX.

Desse modo, a prática das vendas C2C traz alguns benefícios para quem usufrui delas, como maior possibilidade de venda, atuar como consumidor e vendedor, maior visibilidade e baixos custos com publicidade.

Exemplos de Consumer-to-consumer (C2C)

  • Ebay.
  • Mercado Livre.
  • Aliexpress.
  • OLX
E-commerce

O que é preciso para trabalhar com e-commerce?

Primeiramente, para poder dar início nesse processo de vendas, é necessário possuir conhecimento do que é realizado nas compras via e-commerce. Assim, existem alguns tópicos que você pode analisar, como:

  1. Escolher os produtos que serão vendidos
  2. Conhecer seu público alvo
  3. Escolher uma boa plataforma de e-commerce
  4. Definir um bom estoque
  5. Escolher bons fornecedores
  6. Possuir uma boa logística de entrega

O que dá dinheiro no e-commerce?

Atualmente, existe uma ampla variedade de produtos que podem ser inseridos dentro do sistema de e-commerce. Alguns possuem uma maior taxa de venda do que os outros, o que se deve a alta procura por alguns produtos específicos, que atraem de forma mais rápida os olhares dos consumidores. Dentre eles estão:

  • Eletrônicos
  • Eletrodomésticos
  • Produtos de beleza
  • Livros
  • Câmeras fotográficas
  • Produtos de beleza

Como ganhar dinheiro com e-commerce?

Para ganhar dinheiro com e-commerce não é só inserir os produtos e torcer para serem vendidos. Isso é um processo que exige a tomada de algumas estratégias para alcançar mais clientes.

Dentro dessas estratégias estão:

  • Definir seu nicho
  • Analisar o que está em alta
  • Definir seus produtos
  • Prever seus custos com a empresa e custos pessoais
  • Fazer uma boa escolha de fornecedores e estoque

O que é necessário para abrir um e-commerce?

Ao abrir e-commerce é fundamental realizar algumas pesquisas antes, visto que ao se inserir no mercado de vendas digitais, o empreendedor precisa ter em mente o processo que deve seguir.

Assim, para te ajudar nesse objetivo, preparamos um passo a passo para tornar esse desejo em realidade.

1 – Faça um planejamento de negócio 

O planejamento de negócio é essencial para dar início ao seu comércio eletrônico, desse modo é preciso ter em mente o quanto será investido nesse primeiro momento. Assim, será definido o capital inicial, levando sempre em consideração despesas pessoais, como, aluguel, mercado, higiene, por exemplo.

Contudo, outro ponto importante é considerar todas as despesas físicas que seu negócio terá. Desse modo, também é indicado realizar reservas no caso de alguma complicação que necessite repor investimentos.

2 – Defina um nicho.

Antes de se jogar nas vendas é preciso ter em mente o que será vendido e qual público você deseja atingir. Afinal, isso se tornará fundamental na hora de utilizar estratégias para divulgar seus produtos ou serviços.

Desse modo, poderá ser priorizado produtos ou serviços que você já possui algum conhecimento. Assim, será mais fácil desenvolver métodos de vendas, divulgação, escolha de produtos em alta, etc.

Mas se você é uma pessoa que quer se jogar de cabeça em um nicho totalmente novo, recomendamos uma pesquisa sobre as informações fundamentais dessa área, como, valores, fluxo de mercado, taxa de vendas na sua localidade, entre outros.

Assim, se você já possui um comércio físico, é uma ótima alternativa de crescimento adaptar seus produtos no e-commerce para ampliar o alcance da sua loja. Desse modo, levando em consideração a variedade das plataformas de e-commerce, é possível se inserir na maioria delas. 

3  – Conheça seu público alvo

Conhecer o público que você deseja atingir é uma das partes mais importantes para adentrar no mundo do e-commerce, visto que cada produto ou serviço possui um consumidor final.

Desse modo, quando falamos sobre entender seu público alvo, é ter mente que seu produto precisa de alguém que queira adquiri- lo, caso contrário ele não lhe trará lucro. Assim, para definir esse público deverá ser realizada uma pesquisa do mercado que está inserido a sua categoria de produtos.

Portanto, essa pesquisa lhe trará informações essenciais para desenvolver estratégias para levar de forma positiva os consumidores até o momento da compra.

4 – Escolha uma plataforma de e-commerce

Estabelecer uma boa plataforma é, provavelmente, a parte mais importante do processo de começar a vender através de um e-commerce. Isso porque, deverá ser levado em consideração alguns fatores para realizar a decisão da plataforma adequada. Alguns deles, são, por exemplo:

  • Escolher uma plataforma que se alinhe às suas necessidades e expectativas
  • Ser uma plataforma acessível ao seu orçamento
  • Disponibilizar uma boa experiência aos seus clientes
  • Oferecer suporte aos vendedores e consumidores
  • Garantir a segurança de dados dos consumidores

5  – Escolha bons fornecedores

Se você deseja ter um diferencial dentro do e-commerce, esse passo é essencial, tendo em vista que bons fornecedores são extremamente importantes para que você possua um bom estoque de produtos.

Assim, essa decisão normalmente leva o vendedor a avaliar alguns fatores que se liguem de forma positiva ao consumidor, dentre eles estão:

  • Bom histórico profissional
  • Cumprimento de datas e prazos
  • Disponibilidade de produtos
  • Possui um bom preço
  • Estar regularizado diante da lei

6 – Defina os métodos de pagamento

Primeiramente, para estabelecer uma boa experiência de compra para os seus consumidores devem ser fornecidos métodos de pagamento práticos, acessíveis e seguros. Dessa forma, será possível que qualquer pessoa consiga finalizar a compra sem nenhum transtorno com o pagamento.

Assim, para realizar a definição dos métodos de pagamento, deve ser pensado na aplicação de uma ampla variedade de meios que se encaixem com a necessidade de cada consumidor. Assim possibilitando a compra de forma mais rápida e satisfatória.

Dessa forma, dentre os meios de pagamentos que podem ser considerados, estão:

  • Cartão de crédito
  • Cartão de débito
  • Pix
  • Boleto bancário
  • Link de pagamento
  • Carteira digital

7 – Escolha uma boa logística

Para poder oferecer uma boa experiência de compra para os seus consumidores é necessário implementar um bom formato de logística, ou seja, um serviço que leve o produto de forma rápida e em bom estado até o cliente final.

Dessa forma, deverá ser realizada a contratação de alguma empresa responsável por esse serviço, levando em consideração alguns aspectos essenciais para concluir essa escolha, como:

  • Bom histórico
  • Preço justo
  • Manter informações atualizadas
  • Compromisso e agilidade na entrega

É importante entender que a escolha de uma boa logística está diretamente ligada a visão que sua empresa irá levar para o mercado que está inserido, visto que quando se está inserido em um mercado que possui competitividade, fornecer um diferencial é essencial.

Assim, trouxemos alguns benefícios de escolher uma boa logística para seu e-commerce:

  • Controle no custo de frete
  • Fornecer a estimativa de data de entrega
  • Fornecer atualizações da entrega
  • Garantir a segurança do produto

Qual a melhor plataforma para criar um e-commerce?

Atualmente, existe uma variedade de plataformas que oportunizam às pessoas a possibilidade de desenvolver uma loja virtual dentro de um e-commerce. Assim, a escolha de uma plataforma pode gerar algumas dúvidas por conta das amplas escolhas que existem atualmente.

Desse modo, separamos algumas plataformas de e-commerce que possuem uma boa avaliação e estão consolidadas a anos no mercado digital. Dentre elas estão:

  • Nuvemshop
  • Mercado Livre
  • Shoppe
  • Dooca
  • Bagy
banner-para-loja-virtual

O que posso vender no e-commerce?

Em primeiro lugar, existe uma ampla variedade de produtos que podem ser comercializados nas plataformas de e-commerce, tendo em vista que esses sites promovem a diversidade de itens que podem ser direcionados a diferentes tipos de nichos.

Assim, trouxemos alguns principais produtos que possuem a facilidade de venda dentro do varejo digital.

  • Moda e acessórios
  • Cosméticos
  • Decoração para casa
  • Roupas e calçados
  • Itens de livraria
  • Brinquedos
  • Produtos personalizados
  • Acessórios para celular

Quais são as vantagens e desvantagens de ter um e-commerce? 

Em primeiro lugar, no sistema de e-commerce existem muitas vantagens para desenvolver seu comércio, mas também existem desvantagens que talvez você não saiba.

Desse modo, para conscientizar quem está pensando em adentrar nesse ramo de comércio digital, separamos algumas vantagens e desvantagens dos e-commerce atualmente.

Vantagens do e-commerce

  • Maior alcance de clientes
  • Realizar vendas mesmo não estando online
  • Redução de gastos com anúncios pagos
  • Atendimento personalizado
  • Baixa exigência de capital
  • Maior margem de lucro
  • Flexibilidade de horários
  • Integração com outros canais de venda

Desvantagens e-commerce

  • Maior concorrência
  • Uma maior porcentagem de fraudes
  • Ameaças de segurança
  • Maior exigência na logística
  • Maior investimento em estratégias de marketing

Qual é o site que mais vende?

Atualmente o site que possui a maior taxa de venda dentro do mercado digital do Brasil é o Mercado Livre, com um total de 332.630.881 acessos em Julho de 2023. Assim, liderando o ranking de maiores e-commerce do Brasil.

Quais são os maiores e-commerces do Brasil?

Antes de mais nada, podemos dizer que não é segredo que o e-commerce dominou o mercado de vendas com o passar dos anos, por conta da sua facilidade de vender e do lucro que pode trazer para empresas que possuem o desejo de ampliar o alcance do seu negócio. 

Desse modo possuem algumas empresas já estão consolidadas a anos no comercio eletrônico, dentre elas estão:

Mercado livre

O mercado livre é uma plataforma de venda argentina, que foi uma das pioneiras a levar o e-commerce para o Brasil, em 1999. A plataforma possui uma ampla variedade de produtos, desde de brinquedos, roupas, acessórios até eletrônicos, eletrodomésticos e móveis, por exemplo.

Amazon Brasil

Possuindo um ótimo histórico no comércio de vendas online, a Amazon, empresa americana de Jeff Bezos, chegou ao Brasil em 2012. Ela possui uma gama de produtos, como, livros, eletrônicos, acessórios, materiais de livraria, acessórios de celular, por exemplo.

Shoppe

É uma plataforma de e-commerce asiática que recentemente chegou ao Brasil. Desse modo, os vendedores podem realizar seu cadastro dentro da plataforma para inserir seus produtos.

Submarino

A Submarino é um comércio eletrônico brasileiro, criado no ano de 1999 como uma das pioneiras do e-commerce no Brasil. Atualmente pertence ao grupo Americanas.

Magazine Luiza

Empresa da área de varejo que implantou suas atividades dentro das lojas virtuais no ano de 1992 e no ano 2000 lançou o site de comércio eletrônico. A Magazine Luiza está há anos inserida no mercado varejistas do Brasil oferecendo uma variedade de produtos, como: eletrodomésticos, móveis, eletrônicos, por exemplo.

Shein

A Shein é uma marca que possui uma ampla variedade de produtos inclusos no mercado, também possibilitando que dentro da sua plataforma seja possível vendedores exibirem seus produtos. Desse modo, a Shein está inserida a alguns anos no mercado mundial do e-commerce, possuindo um grande crescimento no Brasil durante a pandemia.

Qual é a diferença entre e-commerce e Marketplace?

O e-commerce e o Marketplace são plataformas de vendas online. Entretanto, normalmente, no e-commerce as vendas são realizadas através de uma loja virtual. Nela, o lojista é responsável por todos os fatores que envolvem a manutenção da loja, como, pagamento, logística, comunicação, estoque e segurança, por exemplo.

Por outro lado, o marketplace é como se fosse um shopping virtual, contendo diferentes tipos de lojas com diferentes vendedores em um só lugar, comercializando produtos diferentes ou iguais. Assim, diferentemente do e-commerce, o proprietário da marketplace é responsável por fatores como, métodos de pagamento, design, tecnologia e segurança.

Início 9 E-commerce 9 E-commerce: tudo que você precisa saber sobre
Escrito em: 26/10/23
<a href="https://blog.egestor.com.br/author/pedro-henrique-escobar/" target="_self">Pedro Henrique Escobar</a>

Pedro Henrique Escobar

Pedro Henrique Escobar é formado em Administração e gerente de marketing no eGestor. O eGestor é uma ferramenta online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: eGestor.

Comentários:

Compartilhe seu comentário, dúvida ou sugestão!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar…

NFC-e (Nota fiscal de consumidor eletrônica) [Atualizado]

Emitir NFC-e Todo produto ou serviço vendido, deve ter sua comprovação fiscal e um dos meios de atestar essa transação é a nota fiscal. Afinal, ela dá segurança tanto à empresa que vende o produto, quanto ao consumidor que o compra....

Controle financeiro empresarial: Como fazer passo a passo

Passo a passo para fazer o controle financeiro da sua empresa Faça o controle do fluxo de caixa Separe custos e receitas Planejamento de recebimentos e pagamentos Registre todas as operações financeiras Tenha um orçamento bem estruturado...

Nota fiscal eletrônica: tudo o que você deve saber [ATUALIZADO]

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um documento cuja função é atestar a venda de um produto ou a prestação de um serviço. Ela foi desenvolvida com o objetivo de substituir alguns sistemas de impressão de documentos fiscais em papel. Assim...

Fluxo de Caixa: Guia de como fazer o da sua empresa

O que é o fluxo de caixa?O fluxo de caixa é o controle de todos os valores que entram e saem do financeiro da empresa. Qual o objetivo do fluxo de caixa?O objetivo do fluxo de caixa é garantir a saúde financeira do negócio, assegurando...

Faturamento: O que é, como calcular e aumentar o seu

Porque o faturamento é tão importante para a empresa? Porque ele é o valor, em dinheiro, que a empresa recebeu em um período. Assim, ele demonstra se o resultado foi satisfatório ou não. Com o acompanhamento se tem uma melhor ideia da...

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): o que é e quem emite

A NFS-e, ou Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, é um dos tipos de notas fiscais que existe juntamente com a nota fiscal, a nota fiscal do consumidor e o conhecimento de transporte. Elas são úteis para empresas que tem como uma das funções...

Gestão empresarial: guia definitivo para o sucesso do seu negócio

Toda empresa precisa ter um objetivo, uma missão maior que guie todas as suas atividades. Independente de qual for esse objetivo, ele tem tudo a ver com a gestão empresarial. Isso porque é através de uma gestão empresarial competente e...

ERP: O que é e vantagens [GUIA COMPLETO]

Teste Grátis A administração de uma empresa acontece diariamente, com processos e controle que devem ser feitos a todo momento. Esses processos são o que mantém a empresa funcionando, e esse controle é o que mantém as contas em dia e os...

Controle de Estoque: Como fazer um controle profissional

Porque o controle de estoque é tão importante para a empresa? O estoque é o principal ativo de uma empresa, sendo a forma mais importante de fazer dinheiro. Por isso, ter total atenção a gestão do estoque é de extrema importância. Se a...

Guia do MEI: Tudo sobre o MEI – Blog do eGestor

O MEI (Microempreendedor Individual) é um tipo de empresa voltado para formalização de profissionais autônomos. O custo para abrir um MEI é zero. Os impostos pagos pelo MEI são o ICMS, pela venda de mercadorias, o ISS, por prestação de...