empreendedorismo feminino

Empreender deixou de ser, há muito tempo, uma prática apenas do público masculino. O empreendedorismo feminino cresceu bastante nos últimos tempos e, apesar de todos os desafios, é uma tendência que continua em constante evolução. A seguir, conheça o perfil da mulher empreendedora, importância desse modelo de negócio e dicas para empreender com sucesso.

O que é o empreendedorismo feminino

Empreendedorismo feminino são negócios desenvolvidos e chefiados por mulheres. Assim, a gestão desses negócios, muitas vezes, acontece sem a presença de um sócio, sendo a mulher a principal e única administradora. 

Números do empreendedorismo feminino

Os dados das pesquisas só confirmam o que muitos já sabem e presenciam no dia a dia. Cada vez mais as mulheres estão avançando no sonho de ter o próprio negócio. Em 2018, de acordo com uma pesquisa do IBGE, existiam mais de 9 milhões de mulheres à frente de empresas no Brasil.

Reforçando esses dados, temos também o resultado de uma das pesquisas mais importantes sobre empreendedorismo no mundo, organizada pelo GEM (Global Entrepreneurship Monitor). Segundo as informações coletadas, o Brasil ocupa a 7ª posição entre os países com mulheres empreendedoras.

Os números são, realmente, impressionantes, principalmente se levarmos em conta todos os desafios que as mulheres enfrentam diariamente para se fortalecer e garantir o seu espaço dentro do mercado de trabalho. Afinal, elas ainda são alvos de muitos preconceitos e descrença por parte de quase toda a sociedade.

A importância do empreendedorismo feminino

O empreendedorismo feminino tem um papel de transformação social e econômica. A maioria das mulheres que abrem um negócio não fazem isso apenas por vontade, mas por necessidade. Quase metade dos lares brasileiros são chefiados por mulheres.

Não podemos esquecer que a dependência financeira é um fator que impede que muitas mulheres rompam com ciclos de violência dentro de casa. Do ponto de vista social, empreender é mais do que um jeito de ganhar dinheiro, mas também uma maneira de ter sua própria liberdade, de se empoderar e ganhar visibilidade.

Também é uma busca pela igualdade de gênero. Sabemos que mulheres ainda são condicionadas à execução de determinadas atividades e precisam se desdobrar em duplas ou triplas jornadas de trabalho, e isso ganhando menos do que os homens.

Do ponto de vista financeiro, o empreendedorismo movimenta o mercado de forma muito significativa. São negócios que fazem dinheiro, empregam outras pessoas e geram impacto na economia do bairro, da cidade, do estado e do país.

Quando toma conta do próprio negócio, essa mulher está dizendo ao mundo que ela tem tanta capacidade quanto o homem, que pode ocupar qualquer espaço e que é necessário que toda a sociedade, começando dentro de casa, entenda e passe a reavaliar as suas ações em relação a essa mulher.

Dificuldades que as empreendedoras ainda enfrentam

Apesar das muitas conquistas e do grande crescimento, o empreendedorismo feminino ainda possui muitos obstáculos para ultrapassar. O primeiro deles é a quantidade de mulheres dentro do mundo corporativo. As mulheres são a maioria da população, mas menos de 10% estão em cargos de liderança.

Mulheres ganham menos do que os homens

Apesar de terem um nível mais alto de escolaridade, as mulheres continuam ganhando menos do que os homens. Certamente, a razão dessa discrepância não é a falta de competência, mas a descrença na capacidade da mulher.

Desistência em pouco tempo

Quando resolvem se aventurar no empreendedorismo, as mulheres precisam lutar não só contra os preconceitos, mas também contra as suas próprias desconfianças, além da cansativa jornada dupla ou tripla de trabalho. Por conta disso, mulheres desistem mais rapidamente dos seus negócios.

Mais dificuldade para conseguir empréstimos

As linhas de crédito para mulheres empreendedoras possuem juros mais altos, dificultando o apoio financeiro que elas precisam.

Perfil da mulher empreendedora

A mulher empreendedora tem um perfil bem definido no Brasil. São mulheres que começam a empreender por necessidade e muitas já têm alguma experiência no ramo. A maioria tem nível superior e precisaram se reinventar no mercado de trabalho após a maternidade.

A flexibilidade de horário, a satisfação e a realização pessoal são os principais motivadores dessas mulheres. Sem medo de sonhar alto e arriscar, muitas delas resolveram investir com o dinheiro oriundo de uma rescisão contratual de trabalho ou com poupança.

Essa mulher costuma trabalhar sem sócios e quando o fazem, buscam parceria dentro da família, como marido, irmãos, pais e amigos mais próximos.

Ícones do empreendedorismo feminino

Veja a seguir algumas mulheres empreendedoras que se destacaram, mesmo em um mercado tão competitivo.

Luiza Helena Trajano (Magazine Luiza)

A empresária responsável pelo sucesso das lojas Magazine Luiza talvez seja um dos exemplos mais populares de uma mulher empreendedora. O perfil moderno e inovador da empresária fez com que a rede de lojas despontasse e se destacasse no mercado.

Luiza Trajano faz questão de se mostrar preocupada com causas sociais e com o crescimento da mulher no mercado de trabalho.

Zica Assis (Beleza Natural)

A empresária entrou na lista das 10 mulheres mais ricas do Brasil e tudo começou quando ela resolveu criar um produto para cuidar de cabelos crespos e cacheados, um nicho de mercado pouquíssimo explorado. Hoje, é dona do Beleza Natural, um salão de beleza com filiais no país inteiro.

Sônia Hess de Souza (Dudalina)

Sônia deu continuidade ao negócio da mãe, uma costureira que criava camisas para vender. Quando se tornou diretora da empresa, já estabelecida, aumentou o faturamento em mais de 50% e se tornou a maior exportadora de camisas do Brasil.

Dicas para uma mulher empreendedora

Empreender não é fácil, principalmente para as mulheres. Mas, é possível alcançar um posto de sucesso mesmo diante das dificuldades. Algumas para fazer esse negócio dar certo são:

  • Conhecer o mercado antes de se lançar nele. É mais fácil progredir quando você sabe onde está pisando.
    Acreditar na própria competência. Fechar olhos e ouvidos para os que dizem o contrário é uma excelente forma de continuar crescendo.
  • Construir uma rede de apoio. Ajuda é fundamental, principalmente quando a mulher ainda carrega diversas responsabilidades. Chamar marido, filhos, pai, mãe e amigos para ajudar quando preciso.
  • Ser paciente. Negócios podem demorar a dar certo. É preciso persistir e continuar a nadar.
  • Estar em constante aprendizado. Conhecimento nunca é demais. É fundamental estudar sobre negócios, desenvolver habilidades, ficar por dentro das novidades e aplicar o que for possível no trabalho.
  • Praticar networking. Conhecer e manter contato com novas pessoas pode abrir portas e oportunidades valiosas.
  • Focar na organização financeira e pessoal. Organizar o tempo, tem controle financeiro empresarial e pessoal, ter tempo para a família, para o lazer e para o aprendizado é essencial para o equilíbrio emocional.

Conclusão

Como vimos, o empreendedorismo feminino não é apenas uma forma que as mulheres encontraram para ganhar dinheiro. Apesar de todas as dificuldades, empreender também é uma maneira de fortalecer e reinventar o papel da mulher na sociedade, empoderando e motivando outras mulheres a ocuparem todos os espaços.

eGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br