Despesa, custo ou investimento: aprenda as diferenças

Reduzir as despesas, diminuir os custos e realizar novos investimentos costumam ser tarefas difíceis durante uma crise econômica como esta pela qual estamos passando. É importante entender as diferenças entre despesa, custo e investimento. Veja quais devem ser mantidos, quais podem ser cortados, quais devem receber um reforço mesmo durante a crise e quais não podem ser evitados para manter a viabilidade do seu negócio. Confira!

O que são os gastos da sua empresa?

O conceito de gasto, para a contabilidade, é qualquer valor desembolsado visando a aquisição de algo. Seja um produto ou um serviço. De início parece um conceito simples, mas quando analisada a segmentação interna de gastos, o processo fica um pouco mais complicado. 

Gasto pode ser dividido em despesa, custo ou investimento. 

O que é uma despesa?

Despesas são gastos que não visam o retorno financeiro. Mas que são necessários para sua empresa obter a receita no final do mês. Portanto, as despesas, apesar de não gerarem retorno financeiro, propiciam o “conforto” e a funcionalidade para a empresa.

Alguns exemplos de despesa são as contas de energia elétrica, de água e de telefone, os impostos, o aluguel, o gasto com publicidade e a folha de pagamento de seus funcionários. No entanto, os gastos com matéria-prima, com insumos e com serviços para obter algum produto não são considerados despesas.

As despesas da sua empresa ainda podem ser consideradas fixas ou variáveis:

  • Despesas fixas são aquelas que não variam, mesmo que o faturamento da empresa varie. Elas são despesas constantes no caixa da empresa. Podem ser consideradas despesas fixas contas como aluguel, telefone e segurança. Algumas delas podem variar seu valor, mas sempre terão que ser pagas e devem estar no seu orçamento. Levando sempre em conta que mesmo que não haja receita, elas deverão ser quitadas.
  • Despesas variáveis são aquelas que variam de acordo com o faturamento da empresa. Estão diretamente ligadas ao custo do produto. Seja de produção ou apenas de compra. Como as comissões sobre as vendas, os fretes sobre as vendas e os impostos sobre as vendas, por exemplo. Não estão no orçamento, já que são instáveis. 

Planilha de controle de estoque gratuita para download

O que é um custo?

O custo é mais um tipo de gasto. Porém, diferentemente das despesas, esse é o valor utilizado com bens e serviços para produção de outros bens e serviços. De uma maneira bem simples, o custo é tudo aquilo que é utilizado para produzir ou fabricar. E consequentemente tudo que de certa forma está agregado neste procedimento. Alguns exemplos de custo são a matéria-prima, os insumos, a energia que é utilizada na produção e os encargos e salários da mão de obra, ou seja, do pessoal do setor produtivo.

Diferenciar despesas e custos pode ser meio complicado, às vezes. Existem algumas formas para facilitar a diferenciação dos custos e das despesas. Pergunte-se: “se eu eliminar esse gasto, a produção será afetada diretamente?”, por exemplo. Se a resposta for sim, o gasto trata-se de um custo.

Um modo de controlar melhor a visão do que é custo, é pela gestão de custos. Uma boa gestão faz com que vejamos mais claramente onde vão essas espécies de gastos. Além de ajudar a avaliar melhor nas tomadas de decisões, facilitando o processo.

Os custos podem ainda ser considerados diretos ou indiretos:

  • Custo direto é aquele que vemos ser utilizado na fabricação dos produtos, como a matéria-prima, por exemplo. Devem ser perfeitamente mensuráveis, já que deverão ser incluídos no cálculo do custo de produção.
  • Custo indireto é aquele que não podemos ver no produto final mas sabemos que foi utilizado na fabricação. Como a energia elétrica ou os lubrificantes de máquinas industriais. No entanto, gastos relacionados a logística não são considerados custos. Dentre eles estão o transporte de pessoas, compra de equipamentos e com a manutenção da área fabril não são considerados custos.

O que é um investimento?

O investimento é outro tipo de gasto, porém é como uma aplicação de recursos. Na qual há a expectativa de retorno financeiro futuramente. No ramo da indústria é classificada como investimento a aquisição de novos equipamentos, por exemplo. Assim como de novas máquinas, de ferramentas e veículos. Investimentos se aplicam tanto à compra de novos bens para aumentar a produção da sua empresa; como também se adequa à aplicação em produtos financeiros que aumentam a riqueza da empresa.

Em alguns casos, é fácil acabar confundindo investimentos com despesas. Se, por exemplo, você for fazer a reforma de um prédio e manter o que já existia anteriormente, o gasto será uma despesa com manutenção. Mas caso a reforma seja para aumentar a área útil ou o patrimônio da empresa, esse gasto é na verdade um investimento.

Para diferenciar o investimento da despesa com mais facilidade, basta se perguntar: “esse gasto irá agregar valor para a empresa?”. Se a resposta for sim, trata-se de um investimento.

Veja um vídeo sobre despesa, custo ou investimento:

E então, agora você já compreende as principais diferenças entre despesa, custo ou investimento? Comente e deixe suas dúvidas!

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br