plano de contas

Elaborar o plano de contas é essencial para direcionar toda a contabilidade de sua empresa. É por meio deste documento que se pode visualizar importantes indicadores de desempenho financeiros referentes ao seu negócio, como o balanço patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE).

Existem 4 tipos de plano de contas:

  • o plano de contas contábil;
  • o plano de contas gerencial;
  • o plano de contas referencial;
  • o centro de custo.

O plano de contas contábil e o referencial apresentam um padrão de escrituração fiscal. Já os demais modelos podem variar a sua estrutura de acordo com as necessidades e movimentações financeiras de cada empresa.

No decorrer deste artigo, vamos falar mais a respeito da importância do plano de contas. E também de que forma basicamente este documento deve ser estruturado.

Como estruturar o plano de contas contábil? 

O plano de contas contábil é dividido em quatro grupos: ativos, passivos, receitas e despesas. Veja os elementos que compõem cada um destes grupos:

Ativos

Os ativos de uma empresa, nada mais são do que recursos e bens que são de sua propriedade. Como exemplos de ativos, podemos citar valores de contas a receber. Ou o fato de ter um imóvel próprio para a operação do negócio. Assim, os ativos são subdivididos em:

  • Ativo circulante: são bens que já foram convertidos em dinheiro e recursos que já se encontram no orçamento empresarial;
  • Ativo não-circulante: contas a receber no ano seguinte;
  • Ativo imobilizado: bens referentes a móveis e imóveis. E que representam um determinado valor, mas que não foram convertidos, ou seja, encontram-se “imobilizados”;

Passivos

São as movimentações financeiras que acabam causando uma redução no orçamento, como contas a pagar e deduções de impostos. Da mesma forma que os ativos, os passivos de uma empresa também possuem algumas subdivisões no plano de contas contábil:

  • Passivo circulante: são compromissos financeiros os quais a empresa ainda necessita arcar. Aqui podem ser inclusos salários de funcionários, especificando valores referentes a horas extras e outros adicionais. Além de impostos e outras contas a pagar, que também devem ser especificadas. Os passivos circulantes são referentes a obrigações que devem ser sanadas dentro de um curto prazo;
  • Passivo não-circulante: são contas que terão de ser pagas no ano seguinte;
  • Patrimônio líquido: consiste nas obrigações da empresa para com os seus sócios, que são os pagamentos dos valores referentes ao pró-labore;

Receitas

As receitas podem ser subdivididas em dois grupos:

  • Receitas operacionais: são todos os valores de entrada em caixa referentes especificamente as atividades fins da empresa. Como as receitas geradas pelas vendas, produção e prestação de serviços, por exemplo.
  • Receitas não-operacionais: são receitas alternativas da empresa, aquelas que não estão ligadas especificamente as suas atividades. Aqui pode se exemplificar valores referentes a mensalidade por parte de uma empresa parceira. Ou então em caso de uma venda de algum ativo imobilizado;

Despesas

  • Despesas operacionais: da mesma forma que as receitas, as despesas operacionais são gastos absolutamente necessários. Já que estão ligadas diretamente as atividades-fins da empresa. Como aquisições de produtos para o estoque e pagamento de funcionários, por exemplo;
  • Despesas não-operacionais: são deduções orçamentárias que não estão relacionadas as atividades empresariais. Como patrocínio a um determinado evento ou valores destinados a doações;

Centro de custo

A diferença do centro de custo, é que enquanto o plano de contas contábil apresenta uma visão mais geral das receitas e despesas da empresa, o centro de custo é uma espécie de controle financeiro independente para cada área da empresa.  Organizar finanças por centro de custo é gerir as finanças de cada setor de uma forma mais específica. Como, por exemplo: um centro de custo para controlar o orçamento, despesas e receitas geradas pelo setor de marketing. Ou um centro de custo para o setor administrativo, e assim por diante.

Portanto, os centros de custo possibilitam uma gestão financeira mais organizada. E ainda facilitam a identificação das áreas que geram maiores receitas e despesas para a empresa. Assim, permitindo um direcionamento mais equilibrado dos recursos de acordo com as necessidades de cada centro de custo.

Planilha de controle Financeiro gratuita

Quais as diferenças entre um plano de contas contábil e um plano gerencial?

Os planos de conta contábeis são realizados por todas as empresas. E possuem um padrão de escrituração igual para todos os negócios. A elaboração do plano contábil é de absoluta obrigatoriedade para que as empresas possam estar de acordo com a legislação. Além de demonstrar com clareza todos os seus rendimentos. 

Já o plano de contas gerencial, por sua vez, só é elaborado em casos de verificações de resultados. Isso para que se possa fazer um melhor gerenciamento e controle das finanças.

Por um lado, o plano de contas contábil é elaborado pelo contador das empresas de acordo com as normas vigentes. Já o plano gerencial não apresenta um padrão para todas as empresas. Podendo, assim ser elaborado de uma forma bem mais simplificada.Sendo sem a subdivisão de ativos e passivos circulantes. Trata-se de um documento bem mais flexível de acordo com os objetivos de análise para cada empresa.

 As subdivisões de cada centro de custo, também são adequadas de acordo com a natureza de cada negócio. O plano de contas gerencial pode ser elaborado em planilhas financeiras ou se preferir uma solução mais informatizada, em um sistema de gestão empresarial, para que seja possível ter um entendimento mais aprofundado em relação a todas as finanças de sua empresa por meio  de relatórios gerenciais automatizados.

EGestor - Software online de gestão empresarial para pequenas empresas

E o plano de contas referencial, o que é?

O plano de contas referencial também é um modelo de documento totalmente padronizado pela Receita Federal do Brasil. A finalidade deste documento é fazer com que as empresas informem a receita todos os seus saltos contábeis, de acordo com os padrões estabelecidos pelo Sistema Público de Escrituração Digital (SPED).

Como funciona o plano de contas no eGestor

O eGestor é um software de gestão empresarial. Ele possibilita a configuração do plano de contas da sua empresa de uma forma totalmente online e automatizada. Isso, a partir de todas as receitas e despesas cadastradas no sistema. Assim, você pode configurar suas receitas e despesas relacionadas aos mais diversos centros de custo de sua empresa. Além de enxergar com clareza todas as movimentações financeiras do seu negócio. Também gerar relatórios de importantes indicadores financeiros do seu negócio como DRE, ABC de vendas e muitos outros.

Quer testar estas e outras ferramentas do eGestor de uma forma totalmente gratuita durante 15 dias? Então, basta acessar o site e começar agora mesmo, de uma forma simples e intuitiva:

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br