fbpx

8 Indicadores de estoque que vão melhorar sua gestão

Uma boa gestão de estoque é um desafio para toda empresa de varejo e comércio de produtos, visto que é principalmente com a venda desse estoque que a empresa gera receita. Para isso, utilizar indicadores de estoque é uma das melhores práticas para garantir uma gestão integrada e eficiente dos produtos.

Analisando indicadores de estoque, é possível identificar gargalos e corrigir falhas, o que pode resultar em redução de custos, menos desperdício e produtos ociosos, e assim, uma vantagem competitiva no mercado.

Se você quer saber mais sobre os benefícios dos indicadores de estoque para o seu negócio, então confira nossas dicas e comece já a implementá-los em sua empresa!

O que são indicadores de estoque?

Indicadores de estoque são medidas de desempenho do estoque da empresa. Eles servem para o controle do nível de gestão e da qualidade dos processos da organização. Esse controle tem um grande impacto nos resultados da empresa, visto que todo processo de vendas depende do fato de haver uma boa gestão de estoque.

É importante ressaltar que existem diferentes tipos de estoque, e eles se adequam ao tipo de atividade comercial que um negócio realiza. Por isso, também existem diversos indicadores de estoque, ou seja, uma empresa pode determinar uma ou várias métricas para realizar o controle de suas mercadorias.

Porque utilizar indicadores de estoque?

A utilização de indicadores de estoque é necessário porque sem informações sobre a situação das mercadorias e produtos vendidos pela empresa é quase impossível que o dono do negócio saiba o que está indo bem e o que pode melhorar.

Esses indicadores fornecem informações sobre a quantidade de estoque disponível, a rapidez com que ele está sendo vendido e a necessidade de reabastecer os estoques.

  • Melhorar a gestão de estoque: Ao monitorar os indicadores de estoque, as empresas podem identificar tendências e padrões de consumo, prever a demanda futura e assim ajustar seus níveis de estoque de acordo.
  • Reduzir custos: Manter estoques excessivos pode resultar em custos de armazenamento, obsolescência e depreciação. Utilizando indicadores de estoque, as empresas podem evitar esses custos desnecessários, por exemplo.
  • Aumentar a eficiência: Monitorando os indicadores de estoque, as empresas podem garantir que seus estoques estejam sempre atualizados. Isso também pode ajudar a melhorar a eficiência geral dos negócios.
  • Tomar decisões estratégicas: Os indicadores de estoque fornecem informações valiosas que a empresa pode usar para tomar decisões estratégicas sobre compras, produção e vendas. Ou seja, as empresas podem usar essas informações para planejar com antecedência e tomar decisões informadas sobre o futuro do negócio.

8 principais indicadores de estoque

Existe um grande número de indicadores de estoque que podem servir diversos propósitos. Confira 8 dos mais utilizados:

Supply chain

O Supply Chain é um conceito que envolve todas as etapas e atividades necessárias para levar um produto ou serviço do fabricante ao consumidor final. Assim, isso inclui desde a aquisição de matérias-primas e componentes até a entrega do produto final.

Uma das métricas importantes relacionadas ao estoque é a “eficiência da cadeia de suprimentos”, que avalia a eficácia e a eficiência do processo de abastecimento e distribuição de produtos. A métrica de estoque nesse contexto considera o tempo médio de estoque, ou seja, o período médio que um determinado item fica armazenado antes da venda. Quanto menor esse tempo, melhor é a eficiência da cadeia de suprimentos.

Outra métrica relacionada ao estoque e à cadeia de suprimentos é o índice de rotatividade de estoque, que é a relação entre o custo das mercadorias vendidas em um determinado período e o valor médio do estoque nesse mesmo período. Essa métrica mede quão rápido a empresa vende suas mercadorias com relação ao custo dos produtos mantidos em estoque. Assim, quanto maior o índice de rotatividade, melhor é a gestão do estoque e da cadeia de suprimentos.

Giro de estoque

Giro de estoque é uma métrica que determina o número de vezes que o estoque da empresa é completamente esgotado e renovado dentro do período.

Através desta métrica é possível determinar o desempenho de vendas, além de outras variáveis importantes para a operação comercial, como o prazo de pagamento dos fornecedores e também o prazo de recebimento dos clientes.

Para calcular o giro de estoque, basta saber o valor total das vendas e também o volume médio de estoque.

Giro de estoque = Total de vendas / Volume médio de estoque

O volume médio de estoque pode ser calculado somando o estoque inicial mais o estoque final, e dividindo o valor por 2.

Prazo médio de estocagem

O prazo médio de estocagem, ou PME, indica quanto tempo os produtos ficam armazenados no estoque até serem completamente esgotados. Esse também é uma métrica que pode servir para avaliar a qualidade da operação comercial.

Ele geralmente é utilizado em conjunto com outros índices, como o prazo médio de pagamento dos fornecedores (PMP) e o prazo médio de recebimento (PMR).

O cálculo do PME é o seguinte:

PME = (Custo das Mercadorias Vendidas + volume médio de estoque) / 360

O custo das mercadorias vendidas é o custo unitário de cada mercadoria multiplicado pelo número de mercadorias vendidas.

Ruptura de estoque

A ruptura de estoque é quando você vai até o varejo à procura de um item e ele está em falta na prateleira, por exemplo. Esse é um indicador de estoque importante porque ajuda a determinar a porcentagem de produtos em falta com relação ao número total de produtos comercializados pela empresa.

Para mensurar a ruptura de estoque em uma loja, é possível utilizar um índice que indica a porcentagem de produtos em falta em relação ao total de itens disponíveis no catálogo da loja. Por exemplo, se uma loja vende 10 marcas de água mineral de 500 ml e uma delas está sem estoque, a ruptura desse produto é de 10%.

Esse indicador é calculado com base no mix de produtos de cada loja e não considera o histórico de vendas ou a demanda do produto.

Disponibilidade de produtos (OSA)

A disponibilidade de produtos é um indicador que mostra a disponibilidade de produtos na prateleira da empresa. Também conhecida como OSA (On Shelf Availability), ela é bastante útil quando avaliada em conjunto com a ruptura de estoque para avaliar a satisfação do cliente, a receita da loja e a fidelidade do cliente à marca.

O OSA é calculado como a porcentagem de tempo que um determinado produto está disponível para os clientes na prateleira da loja, em relação ao tempo em que o produto deveria estar disponível. Isso significa que, se um produto é esperado estar disponível na prateleira da loja por uma semana, mas fica indisponível por um dia, a OSA seria de 6/7 ou aproximadamente 86%.

Para garantir um alto nível de disponibilidade de produtos, as lojas precisam ter um gerenciamento eficiente de estoque, controle de prazo de validade dos produtos, monitoramento constante da demanda dos clientes e rapidez no processo de reposição de produtos quando necessário. Isso ajuda a maximizar a receita da loja e a satisfação do cliente.

Estoque mínimo

Estoque mínimo é o número mínimo de produtos que deve ser mantido em estoque para garantir que os clientes não fiquem sem produtos enquanto a empresa aguarda uma nova entrega do fornecedor. Esse estoque também pode ser chamado de estoque de reserva e é fundamental para preparar a empresa para aumentos repentinos de demanda ou para lidar com atrasos e prazos de entrega prolongados por parte dos fornecedores.

Para calcular o estoque mínimo de cada produto, é possível utilizar a seguinte fórmula:

Estoque mínimo = Consumo médio diário x Tempo de reposição

O consumo médio diário é calculado como o consumo das mercadorias em um determinado período, dividido pelo número de dias desse período. Por exemplo, se você vendeu 90 unidades de um produto durante um mês, o consumo médio diário seria de 3 unidades.

Com essas informações, é possível determinar o estoque mínimo necessário para garantir que a empresa esteja preparada para atender aos clientes mesmo em momentos de alta demanda ou atrasos no fornecimento.

Perdas de estoque

O indicador de perdas de estoques serve para medir a quantidade de produtos que são perdidos ou desperdiçados em um determinado período de tempo, seja por furtos, quebras, vencimento de prazo de validade, obsolescência. Assim, essa métrica é importante para ajudar as empresas a entenderem a eficiência de seus processos de gerenciamento de estoque e identificar oportunidades de melhoria em relação à segurança do estoque e gestão de recursos.

Ao acompanhar as perdas de estoque, as empresas podem tomar medidas para minimizar os desperdícios e garantir que os produtos sejam armazenados e manuseados adequadamente, reduzindo assim os custos operacionais e aumentando a satisfação do cliente. Além disso, essa métrica é fundamental para a análise de desempenho da empresa e para tomada de decisões estratégicas.

Índice de qualidade do fornecedor

Os índices de qualidade do fornecedor servem para realizar a avaliação dos fornecedores da empresa. Isso serve para saber se o nível de entrega é satisfatório e também se não existem problemas pontuais como devolução de produtos de um fornecedor em específico, por exemplo.

Alguns itens que são objeto de avaliação dos índices de qualidade dos fornecedores são:

  • Entregas
  • Devoluções
  • Preços
  • Tempo de resposta
  • Consistência

Quais os benefícios de usar indicadores de estoque?

Agora que você sabe para que servem os indicadores de estoque, descubra porque eles podem ter aplicações práticas muito benéficas no dia a dia da empresa.

Melhoria do fluxo de caixa

Um dos principais custos de uma empresa é o estoque. Ao utilizar indicadores de estoque, a empresa pode identificar os produtos que estão vendendo bem e os que estão encalhados, permitindo que ela ajuste seu fluxo de caixa de forma mais precisa e evite desperdícios.

Previsão da demanda

Os indicadores de estoque permitem que as empresas analisem as tendências de venda e prevejam a demanda futura de seus produtos. Isso permite que a empresa se prepare adequadamente para atender à demanda e evite situações em que o estoque está esgotado.

Melhoria do atendimento ao cliente

Com os indicadores de estoque, a empresa pode fornecer informações precisas e atualizadas aos clientes sobre a disponibilidade de produtos. Isso ajuda a melhorar a satisfação do cliente, evita reclamações e aumenta as chances de fidelização do cliente.

Identificação de problemas de qualidade

Ao monitorar os níveis de estoque e as vendas de um determinado produto, a empresa pode identificar rapidamente problemas de qualidade. Isso permite que a empresa resolva problemas de qualidade antes que eles se tornem generalizados e afetem a reputação da empresa.

É crucial que os empreendedores dediquem tempo e recursos para monitorar e aperfeiçoar suas estratégias de controle e organização de estoque. Dessa forma, além de oferecer produtos de qualidade e uma ótima experiência para o consumidor, eles podem garantir uma posição sólida no mercado.

Como criar indicadores de estoque?

Os indicadores de estoque podem servir diferentes propósitos de acordo com as necessidades de cada empresa.

Para criar indicadores de estoque, você precisa considerar alguns fatores importantes. Aqui estão algumas etapas que podem ajudar:

  1. Identifique os tipos de estoque que sua empresa possui – Matérias-primas, produtos acabados, em processo, etc.
  2. Defina as métricas que você deseja acompanhar – Exemplos incluem níveis de estoque, tempo de ciclo, taxa de rotatividade de estoque, tempo de lead time, custo de armazenamento, etc.
  3. Analise seus dados de estoque – Utilize softwares de gestão de estoque, planilhas ou outros recursos para coletar e analisar os dados do estoque.
  4. Aplique cálculos e fórmulas – Com base nas métricas definidas anteriormente, você pode aplicar cálculos e fórmulas para criar indicadores de estoque.
  5. Interprete os resultados – Analise os indicadores criados e interprete os resultados. Identifique áreas de melhoria e tome medidas corretivas, se necessário.

Alguns exemplos de indicadores de estoque que podem ser úteis:

  • Nível de estoque: quantidade de estoque disponível em um determinado momento.
  • Tempo de ciclo de estoque: o tempo necessário para completar o ciclo de compra, recebimento, armazenamento e venda de um produto.
  • Taxa de rotatividade de estoque: quantas vezes a empresa esgotou e renovou completamente seu estoque dentro do período.
  • Tempo de lead time: o tempo necessário para que um pedido de compra seja entregue ao local de armazenamento.
  • Custo de armazenamento: o custo total de armazenar e gerenciar o estoque.

Métodos de controle de estoque

A utilização de métodos de controle de estoque adequados ajuda a garantir que os indicadores de estoque estejam sempre em conformidade com as metas estabelecidas pela empresa.

Por exemplo, o método de ponto de pedido permite que o gestor defina um estoque mínimo para cada produto, evitando a falta de produtos em estoque, o que poderia levar a perda de vendas. Esse método está diretamente relacionado com o indicador de nível de serviço, que mede a capacidade da empresa em atender aos pedidos dos clientes de forma rápida e eficiente.

Existem diversos métodos para controlar o estoque de uma empresa. A Receita Federal aceita a utilização de alguns desses métodos para a realização dos cálculos tributários. Enquanto outros uma empresa só pode utilizar internamente, para fins gerenciais.

PEPS

O PEPS , que significa “Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair” e em inglês é conhecido como FIFO. Nesse método os produtos que entraram primeiro são os primeiros a sair, e o custo registrado na contabilidade é o de aquisição. Assim, ele é muito útil para controlar produtos perecíveis e evitar perdas financeiras.

UEPS

UEPS significa “Último a Entrar, Primeiro a Sair” e em inglês é conhecido como LIFO. Esse método é mais lucrativo em termos financeiros, uma vez que a base de valor dos estoques são os últimos produtos que entraram, e que geralmente estão mais valorizados devido a inflação. Isso aumenta o custo e diminui o lucro contábil. Devido a esse fato, ele não é aceito pela Receita Federal para o cálculo de impostos.

Custo Médio

Para calcular o custo médio, soma-se os custos individuais de aquisição ou produção e divide-se isso pela quantidade total de itens. Dessa forma, o estoque total sempre será uma média do custo unitário de cada produto que o compõe.

Por exemplo, se a empresa gastou R$ 50,00 para produzir 10 unidades de um produto (R$ 5,00 por unidade) em um período e R$ 75,00 para produzir mais 10 unidades (R$7,50 por unidade) desse mesmo produto em outro período, o custo médio do estoque total deste produto é de R$ 6,25.

Perguntas frequentes sobre indicadores de estoque

Quais são os indicadores de estoque mais utilizados?

Os indicadores de estoque mais comuns são: giro de estoque, disponibilidade de produtos, ruptura de estoque e estoque mínimo.

O que é KPI de estoque?

KPI (Key Performance Indicator) de estoque é uma métrica ou indicador chave de desempenho que ajuda a empresa a monitorar e avaliar o desempenho de seu estoque em relação a um objetivo específico. Os KPIs de estoque podem variar de empresa para empresa, dependendo dos objetivos e metas de cada uma.

Qual a diferença de um indicador e um KPI?

Um indicador é qualquer métrica ou medida com o objetivo de avaliar o desempenho de um processo ou sistema. Enquanto isso, um KPI é uma métrica ou medida específica que serve para avaliar o desempenho em relação a um objetivo ou meta específica.

Quais são os indicadores de logística?

Indicadores de logística são métricas que servem para avaliar o desempenho de todo processo logístico e de entrega de uma organização. Alguns desses indicadores são: Percentual de Entregas Realizadas no Prazo; Tempo de ciclo de pedido; Tempo médio de entrega; Custo de entrega dos produtos.

Como um ERP pode melhorar os indicadores de estoque?

Utilizar um sistema de controle de estoque online é a melhor maneira de fazer a gestão de todas as movimentações de mercadorias. Isso porque ele é capaz de integrar todos os processos comerciais, desde o momento da compra com o fornecedor, passando pela venda e finalizando no financeiro da empresa.

Com isso, as informações geradas têm maior qualidade, já que a automação diminui a incidência de erros humanos que de outra forma poderiam comprometer a confiabilidade dos dados.

O eGestor é um ERP que torna seu controle de estoque eficiente e simples. Nele é possível fazer o controle dos seus indicadores com a ajuda de diversos relatórios gerenciais como estoque mínimo, estoque em data específica, estoque histórico por produto, sugestão de compra, movimentação de um produto, produtos por fornecedor, curva ABC de produtos vendidos, ABC de vendas por cliente, detalhes de produtos comprados, e vários outros.

Início 9 Sistema de Gestão 9 Controle de Estoque 9 8 Indicadores de estoque que vão melhorar sua gestão
Escrito em: 27/04/23
<a href="https://blog.egestor.com.br/author/pedro-henrique-escobar/" target="_self">Pedro Henrique Escobar</a>

Pedro Henrique Escobar

Pedro Henrique Escobar é formado em Administração e gerente de marketing no eGestor. O eGestor é uma ferramenta online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: eGestor.

Comentários:

Compartilhe seu comentário, dúvida ou sugestão!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar…

Guia do MEI: Tudo sobre o MEI – Blog do eGestor

O MEI (Microempreendedor Individual) é um tipo de empresa voltado para formalização de profissionais autônomos. O custo para abrir um MEI é zero. Os impostos pagos pelo MEI são o ICMS, pela venda de mercadorias, o ISS, por prestação de...

Faturamento: O que é, como calcular e aumentar o seu

Porque o faturamento é tão importante para a empresa? Porque ele é o valor, em dinheiro, que a empresa recebeu em um período. Assim, ele demonstra se o resultado foi satisfatório ou não. Com o acompanhamento se tem uma melhor ideia da...

Nota fiscal eletrônica: tudo o que você deve saber [ATUALIZADO]

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um documento cuja função é atestar a venda de um produto ou a prestação de um serviço. Ela foi desenvolvida com o objetivo de substituir alguns sistemas de impressão de documentos fiscais em papel. Assim...

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): o que é e quem emite

A NFS-e, ou Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, é um dos tipos de notas fiscais que existe juntamente com a nota fiscal, a nota fiscal do consumidor e o conhecimento de transporte. Elas são úteis para empresas que tem como uma das funções...

Gestão empresarial: guia definitivo para o sucesso do seu negócio

Toda empresa precisa ter um objetivo, uma missão maior que guie todas as suas atividades. Independente de qual for esse objetivo, ele tem tudo a ver com a gestão empresarial. Isso porque é através de uma gestão empresarial competente e...

Controle financeiro empresarial: Como fazer passo a passo

Passo a passo para fazer o controle financeiro da sua empresa Faça o controle do fluxo de caixa Separe custos e receitas Planejamento de recebimentos e pagamentos Registre todas as operações financeiras Tenha um orçamento bem estruturado...

Controle de Estoque: Como fazer um controle profissional

Porque o controle de estoque é tão importante para a empresa? O estoque é o principal ativo de uma empresa, sendo a forma mais importante de fazer dinheiro. Por isso, ter total atenção a gestão do estoque é de extrema importância. Se a...

ERP: O que é e vantagens [GUIA COMPLETO]

Teste Grátis A administração de uma empresa acontece diariamente, com processos e controle que devem ser feitos a todo momento. Esses processos são o que mantém a empresa funcionando, e esse controle é o que mantém as contas em dia e os...

Fluxo de Caixa: Guia de como fazer o da sua empresa

O que é o fluxo de caixa?O fluxo de caixa é o controle de todos os valores que entram e saem do financeiro da empresa. Qual o objetivo do fluxo de caixa?O objetivo do fluxo de caixa é garantir a saúde financeira do negócio, assegurando...

NFC-e (Nota fiscal de consumidor eletrônica) [Atualizado]

Emitir NFC-e Todo produto ou serviço vendido, deve ter sua comprovação fiscal e um dos meios de atestar essa transação é a nota fiscal. Afinal, ela dá segurança tanto à empresa que vende o produto, quanto ao consumidor que o compra....