Guia rápido para emissão de NF-e

emissão de NF-e (nota fiscal eletrônica) no Brasil foi criada para modernizar o processo de emissão deste documento. A mudança é grande, por isso a sua implantação no mercado acontece de forma lenta.

Mas vale informar que, até o início do ano de 2017, sua utilização será obrigatória em todo o território nacional.

O documento fiscal surgiu com a finalidade de facilitar o processo de fiscalização do governo e também diminuir eventuais erros nos procedimentos das empresas.

A princípio, a emissão da NF-e pode causar pequenos transtornos; por esta razão, preparamos um guia que vai ajudar você a começar a usar o novo sistema.

Confira abaixo o passo a passo da emissão de NF-e:

Requisitos para a emissão de NF-e

Para a emissão deste documento fiscal, é necessário cumprir com algumas exigências, além de utilizar determinadas ferramentas indispensáveis. São elas:

  • Certificado digital A1 ou A3, sendo o mais indicado o A1, que pode ser comprado junto a uma entidade certificadora, ou partir da assinatura de um dos planos oferecidos pelo eGestor. Em qualquer um dos planos do sistema, o certificado digital modelo A-1 é fornecido de uma forma inclusa;
  • Computador;
  • Software para emitir NF-e, que poderá ser acessado na “nuvem” por meio da internet ou que esteja instalado em seu computador;
  • Acesso à Internet.

Você deverá solicitar o certificado digital pela internet, pelo site da Receita Federal, a um dos órgãos autorizados ao oferecimento deste serviço.

É necessário entrar em contato com a Autoridade Certificadora Habilitada, fornecer os dados exigidos e fazer o pagamento de uma pequena taxa. E então, o empreendedor poderá começar a emitir as suas notas fiscais eletrônicas.

Preenchimento da NF-e

Preencher os campos da nota fiscal eletrônica é algo que exige extrema atenção, devido à exigência de que todas as informações estejam corretas.

Algumas delas são obrigatórias e devem constar no documento, enquanto outras são apenas dados complementares que fazem parte das observações. Alguns locais são preenchidos automaticamente:

  1. Número da NF-e
  2. Data da emissão
  3. Horário da emissão

Em contrapartida, os dados que devem ser preenchidos manualmente são:

  1. Dados do emitente
  2. Dados do destinatário
  3. Descrição dos produtos ou serviços
  4. Valor
  5. Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM)
  6. Código Especificador de Substituição Tributária (CEST)
  7. ICMS / Código de Situação Tributária (CST)
  8. Origem
  9. Natureza da operação
  10. Forma de pagamento
  11. Código Fiscal de Operações e Prestações (CFOP)
  12. Base de cálculo do ICMS
  13. Valor do ICMS e do ICMS-ST
  14. Valor total dos produtos ou serviços
  15. Valor do frete, quando houver
  16. Valor de possíveis seguros, quando houver
  17. Valor do desconto, quando houver
  18. Valor total da NF-e

Emissão da NF-e

Assim que todos os campos estiverem devidamente preenchidos, confira cada um deles e envie à Receita Federal. O documento emitido vai gerar uma chave de 44 dígitos, a qual servirá para comprovar a validade da NF-e junto à RF. Então, o DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) poderá ser impresso e a mercadoria finalmente enviada ao destinatário.

Carta de Correção

Caso ocorra algum erro na digitação da nota fiscal eletrônica, é possível fazer uma carta de correção eletrônica (CC-e). Este documento será anexado à NF-e na hora de enviar a mercadoria para o cliente.

Veja abaixo o que pode ser corrigido por meio da CC-e:

  1. CFOP – Natureza de operação, desde que não mude os impostos
  2. Dados do transportador
  3. Peso e volume
  4. Endereço do destinatário
  5. Razão social do destinatário
  6. Códigos fiscais, desde que não mude valores

Quantidade de cartas de correção eletrônicas para uma NF-e

Para cada nota fiscal eletrônica, podem ser emitidas até 20 cartas de correção eletrônica. Todas as informações das cartas de correções anteriores devem obrigatoriamente constar na última CC-e. O documento pode ser gerado no prazo máximo de 30 dias após a emissão da NF-e.

Cancelamento de NF-e

Muitos empresários ficam com dúvidas em relação ao cancelamento das notas fiscais eletrônicas, mas o procedimento é muito fácil e rápido de ser realizado.

Bastam apenas alguns cuidados para que tudo dê certo. O mais importante é cuidar do prazo limite de 24 horas após a emissão da nota fiscal para o seu cancelamento.

Veja a seguir o quanto é simples cancelar uma nota fiscal eletrônica:

  1. Encontre a opção “cancelar NF-e” que está dentro do software e siga as instruções do seu programa;
  2. O sistema enviará um arquivo para a Receita Federal;
  3. Aguarde o aviso da Receita confirmando o cancelamento;
  4. Para garantir, faça uma consulta no site da Fazenda.

Seguindo as orientações citadas acima, a nota fiscal eletrônica será cancelada e um novo documento com dados corretos poderá ser emitido.

Tipos de NF-e

Existem três tipos de nota fiscal eletrônica e cada um serve para substituir determinado documento. São eles:

  1. A NF-e que substitui os antigos modelos 1 e 1A;
  2. A NFS-e (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica), criada para substituir a Declaração de Serviço;
  3. CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico), substitui documentos de transporte de carga.

Benefícios NF-e

As vantagens de emitir NF-e são muitas, tanto para as empresas quanto para o governo, veja as principais:

  1. Ampliação de controle fiscal;
  2. Redução de custos com impressão de documentos;
  3. Facilidade de fiscalização.

Controle de Estoque

Controlar o estoque de uma empresa é uma tarefa complicada, mas, mediante um software de gestão, torna-se uma tarefa interessante.

Por meio de um programa, a baixa no estoque ocorre de forma automática toda vez que um item é incluído em nota fiscal eletrônica. Isso facilita muito a vida dos empreendedores.

Planilha de controle de estoque gratuita para download

Controle Financeiro por meio da NF-e

O controle financeiro de uma empresa também é facilitado com o uso da NF-e, pois elas trazem registrados todos os dados essenciais referentes a custos e despesas do empreendimento.

Além disso, elas podem ser arquivadas para posterior conferência e permanecer atreladas aos documentos fiscais.

Fim do emissor gratuito Sefaz

A Secretaria da Fazenda do Estado já informou que, a partir de janeiro de 2017, o sistema de emissão de notas fiscais eletrônicas via emissor gratuito do Sefaz será descontinuado. O download do sistema e atualizações não estarão mais disponíveis para os contribuintes.

A alternativa para continuar emitindo as NF-e normalmente é adquirir um ERP (Enterprise Resource Planning, ou Planejamento de Recursos da Empresa), afinal, o custo é inexpressivo diante das vantagens que o sistema proporciona.

Escolha do novo software de emissão

A escolha do software deve ser feita com muita cautela. É necessário avaliar todos os benefícios que ele trará à sua empresa, pois no mesmo sistema é possível fazer a emissão das notas fiscais e toda a gestão do estabelecimento.

A emissão de NF-e é um passo muito importante para o desenvolvimento e manutenção do seu negócio no mercado, por isso, vale a pena se atualizar.

Gostou de nosso guia rápido para emissão de NF-e? Então, baixe agora mesmo o nosso ebook gratuito com tudo o que você precisa saber sobre nota fiscal eletrônica: 

Ebook Nota Fiscal Eletrônica

Escrito por eGestor
O eGestor é um software online para gestão de micro e pequenas empresas. Teste gratuitamente em: https://www.egestor.com.br